segunda, 17 de junho de 2024
Golpe do Pix

Golpe da Multiplicação do PIX: 7 dicas para identificar e se proteger

Especialista dá explica como evitar cair nessas fraudes

09 junho 2024 - 13h00Por Kadu Soares
Golpe da Multiplicação do PIX: 7 dicas essenciais para evitar fraudesGolpe da Multiplicação do PIX: 7 dicas essenciais para evitar fraudes - Crédito: Reprodução

Desde a criação do Pix, em 2020,  o método de pagamentos instantâneos tem se tornado cada vez mais popular entre os brasileiros. De acordo com o Banco Central, em 2023, o Pix respondeu por 39% das transações financeiras e movimentou R$ 17,18 trilhões no ano passado, um novo recorde.

Junto com o crescimento da modalidade, o número de golpes também aumentou, 2,5 milhões de “golpes do Pix” foram aplicados no Brasil em 2023.

Identificar esse golpe pode não ser uma tarefa fácil, mas é possível. Geralmente, os golpistas usam termos que buscam passar credibilidade, como Rei do Pix ou Pix de Ouro. Além disso, exibem postagens com transferências elevadas e depoimentos de casos supostamente bem-sucedidos.

Os golpistas também utilizam a técnica de falsos relatos. Essa técnica consiste em apresentar depoimentos de outros usuários que afirmam que a técnica funciona. Mesmo sabendo que tudo aquilo pode ser uma fraude, a curiosidade faz com que as pessoas queiram receber mais informações.

 

Confira dicas

Pensando nisso, Fábio Murad, sócio-diretor da Ipê Investimentos, separou 7 dicas para você não cair no golpe do PIX:

  1. Nunca forneça dados bancários para sites suspeitos;

  2. Sempre desconfie, mesmo que seja o perfil de um amigo próximo que garante que o negócio funciona, cheque se é ele mesmo do outro lado da tela através de outras formas de contato;

  3. Não clique em links enviados por números ou perfis desconhecidos;

  4. Para receber Pix de desconhecidos, utilize a chave aleatória, assim, não precisa enviar seus dados para ninguém;

  5. Esteja sempre atento às atualizações dos seus aplicativos bancários e do seu telefone;

  6. Evite realizar transações em redes Wi-Fis públicas, pois elas podem não ser seguras;

  7. Lembre-se, bancos não ligam pedindo senhas, tokens, dados pessoais ou PIX.

“A melhor forma de prevenir, é com conhecimento. Adotando essas práticas simples, podemos nos proteger e contribuir para um ambiente financeiro mais seguro para todos”, finaliza Murad.