terça, 30 de novembro de 2021
SpaceDica

Conta de luz ficará mais cara em maio: veja dicas para economizar

Para tentar contornar a alta, há dicas preciosas que podem dar uma folga na conta de luz ao final do mês

07 maio 2021 - 14h23Por Guilherme Roque

A conta de luz ficará mais cara em maio para todos os brasileiros. A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) informou, no dia 30 de abril, que a fatura em todo o país terá bandeira vermelha 1 neste mês. Isso significa que será cobrada uma taxa adicional de R$ 4,169 para cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos.

A justificativa, segundo a agência, é que neste mês começa o período de secas e, com isso, as usinas hidrelétricas ficam com níveis baixos. Nesse cenário, o governo precisa usar outras fontes de energia. A principal delas é a térmica, que funciona a partir de combustíveis como petróleo e carvão, que são mais caros do que a energia de fonte hídrica.

Em tempos de home office, o custo adicional pode acabar pesando até demais no bolso do consumidor. Para tentar contornar essa situação, há dicas preciosas que podem dar uma folga na conta de luz ao final do mês.

O principal conselho é diminuir o uso de aparelhos domésticos conhecidos por serem os protagonistas no consumo de energia, como secador de cabelo, chuveiro, ar-condicionado, ventiladores e lâmpadas. Confira, abaixo, algumas dicas.

Chuveiro: se possível, realizar banhos mais curtos e verificar se todos os buracos de onde a água sai estão totalmente desobstruídos, para dar mais vazão;

Lâmpadas: sempre desligar as lâmpadas se não for ficar no cômodo; evitar o uso se já houver iluminação ambiente por luz solar;

Geladeira: deixar o mínimo de tempo com a porta aberta e evitar secar roupas atrás do eletrodoméstico, porque isso exige mais do motor;

Celular:  quando o aparelho estiver com a bateria cheia, retirar o carregador da tomada, pois isso consome energia elétrica;

Outros eletrodomésticos: opte sempre por comprar aqueles que têm o selo Procel e evite deixá-los na opção “stand by”.

Outro ponto que deve ser levado em conta é a troca das lâmpadas incandescentes por fluorescentes ou de LED. Essas últimas são mais caras, porém duram mais tempo e consomem menos energia. Além disso, aparelhos que apresentam defeitos devem ser trocados, porque podem apresentar um maior consumo de eletricidade.

“Às vezes, trocar uma lâmpada em um primeiro momento sai até mais caro, mas quando você põe na ponta do lápis, a economia que você vai ter com a energia elétrica vai justificar o desembolso inicial”, explica Carlos Castro, planejador financeiro e sócio da Super Rico.

Tarifa branca

Ele também atenta para um fator pouco conhecido pela população: a possibilidade do consumidor pedir a tarifa branca na conta de luz. Esse modelo é uma opção à tarifa convencional. Nele, o consumidor é cobrado de acordo com o dia e horário de consumo. Isto é, você pagará menos se utilizar energia fora dos horários com maior demanda por energia elétrica.

Funciona da seguinte maneira: você terá uma redução no valor da conta de luz se conseguir transferir seus hábitos de consumo de energia para os horários de menor uso de eletricidade. Contudo, você também terá uma cobrança maior ao consumir nos horários que tem mais uso de energia elétrica, os chamados “horários de pico”. Para utilizar esse modelo, basta entrar em contato com sua concessionária.

Esses horários são definidos pela Aneel e variam de região para região. No geral, os horários considerados intermediários vão das 17h às 18h e das 21h às 22h; já os horários chamados “de ponta”, quando o custo da energia fica ainda mais caro, costumam ser das 18h às 21h. Aos finais de semana e feriados, é sempre considerado “fora de ponta”, ou seja, com custo mais baixo. Para consultar os horários da sua região, clique aqui.

“Como a gente está mais em casa, temos que monitorar na nossa conta os momentos de pico, em que gastamos mais energia. Se você mantiver seu consumo concentrado no período mais caro, corre o risco que a conta fique, também, muito mais cara”, explica Carlos. “Você pode economizar, mas fique atento aos horários de pico”, completa.

Faturas atrasadas

Se a conta chegou no final do mês, mas mesmo assim você não conseguiu pagar, há a possibilidade de renegociação dos valores. Isso varia de acordo com a concessionária de energia da sua região, mas na maioria das vezes a empresa estará aberta a acordos.

“O credor quer receber. De certa forma, para receber o valor devido, ele vai abrir espaço para você negociar e acertar as condições de pagamento, seja parcelando ou cobrando o valor em outras contas”, conta o especialista.

Planejamento financeiro

Outro fator que o planejador financeiro chama a atenção é a necessidade de um planejamento financeiro consciente, colocando todos os gastos e ganhos em uma planilha simples, seja em aplicativos ou até mesmo em cadernos.

O importante nesse processo é que a pessoa tenha consciência do que precisa cortar e do que não precisa. “Não, necessariamente, ela terá de cortar gastos supérfluos”, diz Carlos. Isso porque dá para ajustar tudo no orçamento, desde que, claro, a conta não fique negativa.

“A partir do momento que conseguir deixar seu saldo positivo, faça uma reserva de emergência. No período que surgir um gasto não planejado, você usa esse dinheiro e evita entrar em um dívida”.
 

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content