segunda, 15 de abril de 2024
Política

O que acontece na Política - Lula e Vladimir Putin; avaliação de economistas sobre Fernando Haddad

E o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), defende uma reforma administrativa mais ampla do que prega o governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

20 março 2024 - 11h52Por Redação SpaceMoney

Subiu de 43,00% para 50,00% os economistas do mercado financeiro que avaliam positivamente o trabalho do ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT-SP), apontou uma nova pesquisa feita em parceria pela Genial Investimentos com a Quaest.

No sentido contrário, a avaliação do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) piorou. Hoje, 64,00% fazem uma análise negativa do mandato, eram 52,00% em novembro.

Nesta pesquisa, 30,00% avaliam o Poder Executivo como regular e apenas 6,00% mantêm visão positiva.

As informações são do jornal O Globo.

 

CPI da Braskem: HOJE

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Braskem (BRKM5) se reúne para ouvir os depoimentos de Diego Bruno Martins Alves, da Defensoria Pública da União (DPU), e de Ricardo Antunes Melro, defensor público no estado de Alagoas (AL). 

Membros querem detalhes sobre os acordos firmados sobre as áreas afetadas por afundamentos do solo em Maceió, além de acompanhar a defesa das vítimas. 


 

 

Investigações sobre tentativa de golpe de Estado...

O Ministério Público (MP) que atua junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) pediu, nesta terça-feira (20), a responsabilização do Partido Liberal (PL), de Valdemar Costa Neto, por sua participação e de seus membros na tentativa de golpe decorrente da derrota eleitoral do ex-presidente Jair Bolsonaro, destacou a reportagem de Guilherme Caetano e Cleide Carvalho para o jornal O Globo.

 

E sobre um golpe de 60 anos atrás...

O governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) planejava pedidos públicos de desculpas a vítimas do período da Ditadura Militar (1964-1985) e outras ações para marcar a efeméride dos 60 anos do golpe verde-e-oliva, informou o jornal Folha de S.Paulo.

Os atos simbólicos foram vetados pelo petista, numa tentativa de evitar confrontos com os militares diante do avanço das investigações sobre articulação golpista que envolvem o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e integrantes da caserna.

Documentos obtidos pela periódico mostram que pasta dos Direitos Humanos, liderada por Silvio Almeida, havia elaborado slogan “sem memória não há futuro”.

 

De olho no agronegócio...

O secretário de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, Guilherme Piai, vai lançar no Agrishow, em Ribeirão Preto (SP), o Programa Estadual de Irrigação, demanda do setor em meio às mudanças climáticas.

Serão linhas de crédito facilitadas para a compra de equipamentos de irrigação, além de apoio técnico do governo.

A notícia chegou a Brasília, e o entorno do ministro da Agricultura, Carlos Fávaro (PSD-MT), já se organiza para também fazer anúncios na feira do interior paulista. Oficialmente, a pasta não se pronunciou.

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

 

E a meta fiscal do déficit zero?

Apesar da avaliação do mercado de que a meta de déficit zero em 2024 já tem um encontro marcado com uma revisão, ainda que no segundo semestre, o secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron, reafirmou ao jornal O Estado de S.Paulo o compromisso da equipe econômica com o objetivo fiscal e diz que, hoje, o governo não trabalha com outro cenário.

“Nós queremos cumprir a meta sem mudá-la”, diz. “Cada dia com a sua angústia. Hoje, não há uma discussão sobre isso”, completou.

 

Alguém ainda fala em reforma administrativa em ano eleitoral...

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), defende uma reforma administrativa mais ampla do que prega o governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e mais diretamente a ministra da Gestão, Esther Dweck.

Enquanto Dweck diz que a reforma administrativa do atual governo não tem como finalidade reduzir gastos, Lira acrescentou que “não falta coragem” de colocar o tema em votação, caso haja o entendimento pela reforma.

O política defendeu ainda a proposta que começou a tramitar na Casa presidida por ele, de iniciativa do governo Jair Bolsonaro (PL), a PEC 32 – amplamente criticada pela ministra Esther Dweck.

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

 

PERSE destrinchado

O Ministério da Fazenda destrinchou, na segunda-feira (18), a estimativa de R$ 13,10 bilhões em renúncias fiscais que beneficiaram os setores contemplados no Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse) em 2023, destaca a coluna de Guilherme Amado, para o site Metrópoles. 

Em tabela, a Pasta revelou que apenas o setor hoteleiro conseguiu R$ 2,70 bilhões em renúncias.

 

E Lula cumprimentou Putin...

O presidente Lula enviou uma carta de cumprimentos ao Vladimir Putin pela reeleição para o quinto mandato consecutivo como presidente da Rússia, informou o ex-chanceler Celso Amorim, atual chefe da assessoria especial de Lula no Palácio do Planalto, à coluna de Igor Gadelha, do site Metrópoles.