quarta, 01 de dezembro de 2021
recomendação

XP eleva Via Varejo para Compra e alvo a R$ 8,60; confira as apostas para o setor

29 agosto 2019 - 15h29Por Investing.com
Investing.com - A XP Investimento informou nesta quinta-feira (29) que elevou a recomendação para os ativos da Via Varejo (SA:VVAR3), de Neutra para Compra, com o preço-alvo indo de R$ 5,70 para R$ 8,60 em 2020. As mudanças foram realizadas incorporando os resultados do segundo trimestre da companhia e tendo também como base a queda dos juros e premissas mais otimistas para as lojas físicas. As ações da varejista, dona das marcas Ponto Frio e Casas Bahia, operam em alta nesta sessão, em um dia de apetite ao risco na bolsa paulista e no exterior. A Via Varejo (SA:VVAR3) sobe, às 13h57, 3,43% a R$ 7,24. A equipe da corretora aproveitou o evento XP E-commerce Day para atualizar as estimativas para as empresas do setor após o segundo trimestre, incluindo também novas premissas macroeconômicas. Com isso, também foram revisados os preços-alvo de Magazine Luiza (SA:MGLU3) e B2W (SA:BTOW3). A corretora seguiu uma melhor visibilidade no potencial de melhora da operação da Via Varejo (SA:VVAR3), dando o benefício da dúvida para a nova diretoria. Com a recente correção no preço das ações da varejista, a XP enxerga um momento atual como uma boa oportunidade de entrada em uma empresa que, na visão da corretora, está virando uma página e terá uma história de recuperação em 2020. Para a XP, apesar de ter perdido a alta inicial das ações após o anúncio da nova gestão, a recente correção no preço das ações (-17,7% desde o pico de R$8,5/ação em meados de agosto) abre a porta para a entrada no ativo. B2W (SA:BTOW3) A corretora mantém a recomendação de Compra à BW2, com novo preço-alvo de R$ 58,00, partido de uma estimativa anterior de R$ 41,00. A elevação é para fazer frente à incorporação dos resultados do segundo trimestre; um menor custo de capital, dado o cenário de juros mais baixos no Brasil; e o aumento de capital anunciado mais cedo neste mês. Com a conclusão da migração de algumas categorias do modelo de e-commerce próprio para o marketplace e impacto reduzido do fim da Lei do Bem nos resultados a partir do segundo semestre, os analistas acreditam que a empresa está bem posicionada para capturar a melhora, ainda que gradual, no ambiente macroeconômico e crescimento online. Para eles, a B2W (SA:BTOW3) tem uma história que envolve a combinação de aceleração do crescimento de vendas com expansão de margem e melhora na dinâmica de geração de caixa. Magazine Luiza (SA:MGLU3) A corretora manteve a recomendação Neutra para os ativos da Magalu, elevando o preço-alvo de R$ 26,00 para R$ 39,00 por ação. As estimativas incorporam os resultados do segundo trimestre; a aquisição da Netshoes (NYSE:NETS), que reforça estratégia para o e-commerce através da expansão do sortimento e adição de novos clientes para a base; e um menor custo de capital, dado o cenário de juros mais baixos no Brasil. Para a equipe da XP, as métricas de performance (KPIs) são animadoras, dando confiança que os pilares estratégicos do Magazine Luiza (SA:MGLU3) permitirão que a empresa saia como uma das vencedoras do segmento online. Contudo, apesar da visão construtiva, eles não enxergam um potencial de alta significativo nas ações nos patamares atuais, o que justifica a manutenção da recomendação.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content