Menu
Busca terça, 26 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
ambev

XP eleva preço-alvo de Ambev e R$ 15 para R$ 16 e mantém recomendação neutra

11 agosto 2020 - 12h22Por Investing.com

Por Gabriel Codas, da Investing.com - A XP Investimentos divulgou relatório atualizando as estimativas para a Ambev (SA:ABEV3), mantendo a recomendação neutra e elevando o preço-alvo de R$ 15 para R$ 16. A nova visão da corretora leva em consideração os números divulgados pela empresa no segundo trimestre, além de incorporar o novo cenário macroeconômico, com um risco-país ligeiramente menor. Para os analistas, apesar disso, a companhia ainda deve ter margens pressionadas adiante, com dificuldade no repasse de preços, competição acirrada e pressão de custos. Nas novas estimativas, as ações da Ambev negociam a 20x Preço/Lucro 2021, um patamar justo na visão deles. Por outro lado, enxergam as iniciativas de inovação da Ambev como positivas para a empresa no longo prazo, porém ainda difíceis de serem quantificadas.

Inovação

Em relação à inovação, a equipe destaca que a Ambev vem destacando iniciativas como o Zé Delivery, o serviço de entregas da empresa que registrou 5,5 milhões de pedidos no 2T20, mais de 3,6 vezes o total de pedidos de 2019; a digitalização do relacionamento com os clientes, especialmente durante a pandemia, com aumento dos pontos de contato virtuais via Parceiro Ambev, por exemplo, além da experiência full-digital em algumas subdivisões; a expansão do portfólio, com foco nas tendências de premiunização e diferenciação do core, por meio de testes rápidos em menor escala, com a queda no tempo desenvolvimento de protótipos do centro de inovação da empresa (ZITEC) de sete meses em 2018 para cerca de dois meses em 2020. Assim, a corretora viu como a principal surpresa positiva do balanço o volume de cerveja no Brasil, que caiu apenas -1,6% anualmente. Nesse sentido, os analistas estão mais otimistas com o segmento. Mas vale ressaltar que esperam que a receita e margem do segmento neste ano fiquem abaixo das de 2019, em função de maiores dificuldades para volume, preço e custos mais altos. Adicionalmente, a discussão de ambiente competitivo acirrado segue relevante, ainda que a resiliência que a empresa demonstrou em meio ao coronavírus tenha surpreendido os analistas da XP. Em números, esperamos um EBITDA de R$ 8,1 bilhões para 2020 (margem de 33,8%), e de R$ 10,8 bilhões para 2021 (margem de 41,8%). Veja os fatores que influenciam os mercados hoje
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: