Menu
Busca quinta, 28 de outubro de 2021
UBS Unidas Localiza Movida

UBS rebaixa Unidas e Localiza para Neutra, mesma nota de Movida; preços-alvo caem

04 junho 2020 - 16h45Por Investing.com
Por Gabriel Codas Investing.com - Nesta quinta-feira, o UBS divulgou relatório com avaliação das empresas do setor de aluguel de carros, sob sua cobertura. Os analistas optaram, devido a atual cenário, rebaixar Unidas (SA:LCAM3)de Compra para Neutro, mesmo movimento de Localiza (SA:RENT3). No caso da Movida (SA:MOVI3), a opção segue como Neutra. Os novos preços-alvo são: Unidas de R$ 20,80 para R$ 19; Localiza de R$ 56 para R$ 46; e Movida, de R$19,20 para R$ 14,50. Preferida dos analistas, Unidas foi revista devido à sua avaliação relativamente atraente e maior exposição ao aluguel de frotas. Além disso, embora acreditem que os fatores de crescimento de longo prazo do setor permaneçam intactos, veem o nível de avaliação da Localiza como justo (6,9pp de spread de longo prazo de ROIC-Kd em 6,9pp). A equipe espera que a Localiza e a Movida registrem pequenas perdas em 2020E, mas a Unidas entregue quase metade da receita líquida de 2019. O banco acredita que o lucro líquido deve se recuperar para os níveis de 2019 até o final de 2021. Previsão 2022 PE de 27x para Localiza, 18x para Unidas e 12x para Movida. O UBS avalia que o impacto do COVID-19 no setor varia muito de acordo com a divisão, enquanto a receita de aluguel de carros caiu cerca de metade em abril, a receita de aluguel de frota permaneceu estável. A locação de veículos representa 76% da receita da Localiza, 72% da Movida e 44% da Unidas, portanto estima que a receita de aluguel tenha caído 42%, 35% e 23% em abril, respectivamente. O documento aponta que os fatores de crescimento para o setor permanecem praticamente intactos, e alguns podem até se fortalecer devido aos efeitos do COVID-19. No aluguel de carros, a demanda pode vir de pessoas que mudam de transporte público para Uber (NYSE:UBER), carros alugados e locações mensais, enquanto no aluguel de frotas, as empresas provavelmente aumentarão a terceirização de veículos - apenas 9% da frota corporativa do Brasil é terceirizada, contra uma média de 29% em outros países selecionados. Além disso, o relatório destaca que a consolidação provavelmente acelere na divisão de aluguel de frotas, à medida que os pequenos players lutam no ambiente atual, e as vantagens competitivas que os grandes players têm sobre os custos da dívida e os descontos no preço dos carros provavelmente terão um papel ainda maior. A divisão de Seminovos tem potencial negativo; as estratégias das empresas diferem, com a equipe acreditando que a oferta e a demanda de veículos usados ​​podem ser desfavoráveis ​​nos próximos trimestres, pois as lojas de carros usados ​​e os indivíduos vendem veículos para arrecadar dinheiro, enquanto o aumento da taxa de desemprego provavelmente pesará na demanda (que pode ser parcialmente compensada pela mudança de transporte público). Portanto, esperam margens EBITDA negativas de um dígito na divisão Seminovos no segundo e quarto trimestres, explicando parcialmente por que estão muito abaixo do consenso para 2020E. No entanto, os OEMS podem aumentar substancialmente os preços de veículos novos no H220 devido à depreciação do real, suportando os preços de carros usados. Em abril, a Movida vendeu 76% do volume médio mensal do Q120, enquanto a Localiza e a Unidas venderam de 20 a 30%, o que poderia explicar por que a Movida prejudicou cerca de 4% de sua frota no Q120.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: