Menu
Busca sexta, 22 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Trump

Trump responde e eleva tarifas sobre produtos chineses; Guerra comercial aumenta

23 agosto 2019 - 22h57Por Investing.com
Investing.com – O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou a elevação das tarifas em vigor e as novas taxas sobre produtos chineses. Essa é uma resposta à decisão do gigante asiático em impor taxas de sobre US$ 75 bilhões de importações dos EUA. Em seu Twitter, Trump informou que as taxas de 25% sobre US$ 250 bilhões já em vigor subirão para 30% em 1º de outubro. Já a tarifa de 10% sobre os US$ 300 bilhões, que estavam imunes até então, passará a ser de 15% em 1º de setembro. O mau humor com a escalada da guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo derrubou as bolsas e estressaram o câmbio. Em Nova York, o Dow perdeu 623 pontos, ou -2,37%, para fechar a 25.628 pontos, enquanto o S&P 500 recuou 75 pontos, -2,59%, para 2.847 pontos. Já o Nasdaq, afundou 3% para 7.751 pontos. O índice de volatilidade VIX, também conhecido como índice do medo, disparou 195 para 19,87 pontos. No Brasil, o Ibovespa caiu 2,34%, a 97.667,49 pontos, mínima de fechamento desde 17 de junho. O volume financeiro da sessão somou 19,3 bilhões de reais. Veja aqui o material completo sobre o Ibovespa nesta sexta-feira. O dólar fechou no maior patamar em quase um ano, acima de R$ 4,12, enquanto o dólar à vista fechou em alta de 1,15%, a 4,1244 reais na venda. Entenda a disparada do dólar. É o maior patamar para um encerramento desde 18 de setembro de 2018 (4,1422 reais na venda). O dólar terminou a sessão a 1,73% do recorde de fechamento do Plano Real (4,1957 reais, de 13 de setembro de 2018). No pico intradia, a moeda bateu 4,1330 reais na venda. Na compra, a cotação máxima deste pregão foi de 4,1318 reais, patamar mais elevado desde 25 de setembro do ano passado (4,1413 reais na compra). Jackson Hole A guerra comercial acabou tirando o destaque do evento mais esperado da semana, que era a fala de Jerome Powell em Jackson Hole. No simpósio econômico anual do Fed, o chairman do Fed deu poucas pistas sobre se o banco central cortará juros na próxima reunião, apenas afirmando que a economia norte-americana está em "posição favorável" e o Fed vai "agir conforme apropriado" para manter o ritmo de expansão. Mais cedo, Trump questionou quem era o maior inimigo dos EUA: Powell ou Xi Jinping. Mais informações em instantes
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: