terça, 07 de dezembro de 2021
fique por dentro

Aumenta a repressão em Hong Kong; veja mais destaques do dia

18 novembro 2019 - 10h56Por Investing.com
Investing.com - Arábia Saudita se curva ao inevitável e reduz o tamanho do IPO da Aramco - mas ainda poderá ser o maior do mundo. O mercado de ações de Hong Kong desafia os confrontos mais violentos entre policiais e estudantes. A HP rejeita a oferta da Xerox, e a alta após as pesquisas de opinião do final de semana mostra os conservadores de Boris Johnson a caminho de conquistar a maioria no Parlamento e quebrar o impasse do Brexit. Aqui está o que você precisa saber nos mercados financeiros na segunda-feira, 18 de novembro. 1. Saudi Aramco, o grande sucesso de bilheteria A Arábia Saudita reduziu os planos para a oferta pública inicial da petroleira Saudi Aramco em resposta à demanda morna de investidores internacionais. A Aramco agora pretende vender apenas 1,5% de suas ações na bolsa de valores local, apenas um quarto das propostas iniciais de um acordo de US$ 100 bilhões. A empresa também anunciou uma faixa de preço avaliada entre US$ 1,6 trilhão e US$ 1,71 trilhão, cerca de 15% abaixo da avaliação esperada, mesmo estando na extremidade superior da faixa. De maneira reveladora, os planos de comercializar a oferta nos EUA, Canadá e Japão foram descartados. Isso os deixa altamente dependente da venda a investidores locais. Para facilitar isso, a Autoridade Monetária da Arábia Saudita permitirá que pequenos investidores emprestem o dobro de seu investimento em dinheiro, o dobro da alavancagem que normalmente permite em IPOs, de acordo com a Bloomberg. 2. Polícia combate estudantes em Hong Kong, mas o mercado de ações sobe Os protestos em Hong Kong aumentavam ainda mais no final de semana, com policiais e manifestantes lutando inconclusivamente por horas pelo controle de um dos campus universitários da cidade. Houve mais de 150 prisões. "A polícia pode não invadir o campus, mas parece que eles estão tentando pegar as pessoas enquanto tentam fugir", disse à Reuters o parlamentar democrata Hui Chi-fung. No entanto, índice de ações de Hong Kong fechava 1,4% mais alto, na esperança de que a ação da polícia possa enfraquecer a resistência dos estudantes sem aumentar ainda mais a violência e as baixas. 3. Ações orientadas para abrir em alta As bolsas de valores dos EUA devem abrir em novos máximos, estendendo um período ininterrupto de seis semanas, refletindo ostensivamente a confiança de que EUA e China chegarão a algum tipo de acordo comercial em pouco tempo, apesar da falta de novas evidências de que um acordo está próximo. Às 8h15 (horário de Brasília), Futuros da Dow subiam 60 pontos, ou 0,2%, enquanto Futuros da S&P 500 subiam 0,1% e Futuros Nasdaq 100 subiam 0,2%. Com 92% das empresas do S&P 500 registrando ganhos no trimestre até setembro, o declínio médio anual é de 2,3%, de acordo com o FactSet. Se essa tendência for confirmada, será a maior queda anual nos ganhos desde meados de 2016 - e também completará a maior sequência de ganhos decrescentes em três anos. Em outras notícias corporativas, o conselho da HP rejeitou por unanimidade uma oferta de fusão da Xerox. 4. Libra sobe à medida que os conservadores aumentam a liderança A libra britânica subia no fim de semana sendo negociada perto de uma máxima de seis meses após uma nova rodada de pesquisas de opinião confirmando uma grande vantagem para o Partido Conservador do primeiro-ministro Boris Johnson. Pesquisas publicadas no final de semana mostraram os Conservadores possuem uma vantagem de 15% a 17% acima do Partido Trabalhista de centro-esquerda, algo que os cientistas políticos disseram que deveria ser suficiente para garantir ao partido uma maioria, apesar dos caprichos do pós-sistema eleitoral do Reino Unido passado. Ambos os lados estão fazendo promessas cada vez mais caras em impostos e gastos, à medida que a campanha termina em dezembro. Johnson está programado para delinear um corte no imposto de renda corporativo em uma manifestação na segunda-feira, na esperança de conquistar empresas que se mantiveram céticas em relação aos benefícios do Brexit. Às 8h15 da manhã, a moeda libra estava em US$ 1,2967, um aumento de 0,5% em relação ao final da sexta-feira e em 1,1720 contra o euro, a maior em quase sete meses. 5. Trump adia decisão sobre cigarros eletrônicos O presidente Donald Trump adiou uma decisão sobre restrições a cigarros eletrônicos e produtos vaping em resposta à resistência da indústria e dos usuários, informou o Wall Street Journal, citando um funcionário do governo. Trump ameaçou banir a maioria dos produtos vaping do mercado norte-americano em setembro por motivos de saúde, baixando acentuadamente preços das ações de todos os principais grupos de tabaco, com medo de que o produto no qual eles estão construindo suas estratégias para o futuro possa ser proibido. Ele deve se reunir com representantes do setor em um futuro próximo, mas não está claro se isso terá um resultado conclusivo, disse o WSJ.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content