Menu
Busca sábado, 23 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
tarifas

Procon mostra aumentos de até 32% e diferença de até 260% em tarifas de bancos; pacotes podem variar 38% entre instituições

07 junho 2019 - 09h20Por Angelo Pavini
A Equipe de pesquisas da Fundação Procon-SP realizou levantamento das tarifas bancárias de seis instituições financeiras com o objetivo de verificar a evolução dos valores e informar os consumidores. Foram comparadas as tabelas de serviços prioritários e dos pacotes padronizados do Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú, Safra e Santander. Na comparação por banco entre os valores cobrados em 2018 e 2019, a maior alta foi do Bradesco, de 32,56%, relativa ao “Fornecimento de Extrato de um período em terminal de autoatendimento e outros meios eletrônicos”. Em 6 de junho de 2018, o custo do serviço era R$ 2,15 e, em 20 de maio deste ano, R$ 2,85.

Taxa de compra de dólar pode variar até 260%

No comparativo entre os bancos dos serviços prioritários vigentes em 2019, a maior diferença foi de 260%, relativo ao serviço “Operações de câmbio – venda de moeda estrangeira (cheque de viagem, emissão/carga e recarga de cartão pré-pago) e compra de moeda estrangeira (cheque de viagem e cartão pré-pago)”, sendo o menor valor, de R$ 25,00 pelo Bradesco e o maior, de R$ 90,00, pelo Safra.

Pacotes Padronizados subiram 2,49%

Por determinação do Banco Central, os bancos são obrigados a oferecer quatro tipos de pacotes – pacotes padronizados I, II, III e IV – que devem ser divulgados em local visível ao público e também na internet. Cabe ao consumidor escolher se irá contratar um pacote e qual é o mais adequado às suas necessidades. Na comparação dos valores entre 2018 e 2019, o valor médio aumentou em todos, sendo que a maior variação positiva ocorreu no pacote padronizado IV, que em junho de 2018 custava R$ 38,09 e em maio era de R$ 39,04, elevação de 2,49%.

Pacotes podem variar até 38% entre bancos

Ao comparar os valores cobrados pelas seis instituições financeiras em maio deste ano, a maior diferença encontrada foi no pacote padronizado IV, o menor valor cobrado foi de R$ 31,00 pelo Safra e o maior de R$ 43,00 pelo Itaú, diferença de 38,71%. O Procon analisou os pacotes Padronizados I, II, III e IV e comparou os valores cobrados pelas seis instituições financeiras em maio. 1) Padronizado I: maior valor cobrado: R$ 13,20 (Santander). Menor valor cobrado: R$ 11,00 (Safra). Diferença: 20,00%. Valor médio: R$ 12,35 2) Padronizado II: maior valor cobrado: R$ 21,00 (Santander). Menor valor cobrado: R$ 16,00 (Safra). Diferença %: 31,25%. Valor médio: R$ 19,58. 3) Padronizado III: maior valor cobrado: R$ 27,60 (Itaú). Menor valor cobrado: R$ 22,00 (Safra). Diferença:: 25,45%. Valor médio: R$ 25,78 4) Padronizado IV: maior valor cobrado: R$ 43,00 (Itaú). Menor valor cobrado: R$ 31,00 (Safra). Diferença: 38,71%. Valor médio: R$ 39,04

Orientações ao consumidor

O Banco Central determina um rol de serviços gratuitos, é importante o consumidor observar se esses serviços atendem as suas necessidades, antes de optar por um pacote. A contratação do pacote não é obrigatória, não podendo ser imposta pelo Banco. No caso de optar pela contratação de um dos pacotes, o consumidor deve verificar se os serviços inclusos e suas respectivas quantidades estão de acordo com a utilização. O post Procon mostra aumentos de até 32% e diferença de até 260% em tarifas de bancos; pacotes podem variar 38% entre instituições apareceu primeiro em Arena do Pavini.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: