Menu
Busca domingo, 24 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
petróleo acordo líbia

Preços do petróleo sobem após impacto das notícias sobre o acordo de paz da Líbia

18 setembro 2020 - 14h51Por Investing.com

Por Geoffrey Smith, da Investing.com - Os preços do petróleo se recuperaram após uma queda acentuada no início do pregão em Nova York na sexta-feira (18), com os comerciantes se concentrando mais na promessa de disciplina de produção da Opep e seus aliados do que na perspectiva de aumento da oferta devido a um acordo de paz na Líbia, um grande exportador.

Os preços caíram depois de notícias que Khalifa Haftarl, que está lutando contra o governo reconhecido pela ONU em Trípoli, aprovou o fim do bloqueio às instalações de petróleo do país. Em teoria, isso poderia liberar até 900 mil barris por dia de petróleo no mercado mundial, com base no que a Líbia exportava antes de sua guerra civil interromper os embarques. No entanto, esta é uma história que viu muitos falsos amanheceres, e a National Oil Company disse que só suspenderia a “força maior” em seus contratos quando todas as instalações de petróleo e terminais de exportação fossem “desmilitarizadas”.

Opep+

Às 12h15 (horário de Brasília), os futuros do petróleo dos EUA subiam 0,8%, a US$ 41,28 o barril, em curso para um ganho de 10% na semana, após uma intervenção agressivamente otimista do ministro do petróleo da Arábia Saudita, Príncipe Abdulaziz bin Salman, em uma reunião ministerial do chamado bloco Opep+ bloco na quinta-feira. Os futuros de Brent subiram 0,1%, a US$ 43,36 o barril.

O príncipe Abdulaziz advertiu os especuladores para não "testar a determinação" dos maiores exportadores de petróleo do mundo, muitos dos quais ainda precisam de um preço mais alto do petróleo para equilibrar seus orçamentos. Ele também falou duramente para destruidores de cotas como os Emirados Árabes Unidos (embora não os tenha citado), e expôs a possibilidade de uma reunião de emergência para decidir cortes mais profundos na produção se os preços continuarem sob pressão de um déficit em demanda global.

"Acreditamos que as negociações da Opep+, deixando sobre a mesa a opção de uma reunião extraordinária adicional, sacudiram alguma confiança em mentes otimistas", disse o analista da Rystad Energy, Bjornar Tonhaugen, em comentários por email. “A crença pode ser que a Opep+ não chegará 'tarde demais' (em termos de ajustes da política) se a demanda cair mais devido a novas restrições da Covid no curto prazo.”

Essas novas restrições parecem cada vez mais prováveis ​​à medida que a taxa de novas infecções na Índia atinge o nível de 100 mil por dia, enquanto os países europeus aumentam suas restrições a reuniões sociais para conter o ressurgimento de casos no final do verão. As capitais da Espanha e do Reino Unido estão enfrentando novas medidas de bloqueio, segundo autoridades de ambos os países. Mais de um quinto dos leitos hospitalares de Madri estão agora ocupados por pacientes com coronavírus, de acordo com dados oficiais citados pelo El Pais.

Tonhaugen, da Rystad, observou que ainda não estava claro se as palavras da Opep seriam suficientes para virar o mercado, visto que as fracas margens de refino estão reduzindo a demanda das refinarias em várias regiões importantes.

Veja os fatores que influenciam os mercados hoje

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: