Menu
Busca terça, 26 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
opep

Preços do petróleo caem pelo segundo dia, pressionados pela OPEP

29 outubro 2019 - 14h31Por Investing.com
Investing.com - Os preços do petróleo estenderam as perdas para um segundo dia nesta terça-feira, pressionados pelas expectativas de aumento dos estoques de petróleo bruto e dúvida de que a OPEP e seus aliados reduzam ainda mais a produção de petróleo em dezembro. O petróleo bruto dos EUA no oeste do Texas (WTI) caía 90 centavos, ou 1,6%, a US$ 54,91 por 9h50, depois de cair 1,5% na sessão anterior. Os contratos futuros de Brent caíam 101 centavos, ou 1,6%, para US$ 60,56 por barril, tendo caído 0,7% na segunda-feira. A previsão é de que os estoques de petróleo dos EUA suba cerca de 700.000 barris em um relatório semanal de fornecimento divulgado pelo grupo industrial Instituto Americano de Petróleo ainda nesta terça-feira, enquanto a Administração de Informação de Energia do governo dos EUA libera seus dados de estoques na quarta-feira. Enquanto isso, o vice-ministro da Energia da Rússia, Pavel Sorokin, disse na terça-feira que ainda é muito cedo para se comprometer com medidas adicionais para estabilizar um mercado assombrado pela ameaça de excesso de oferta. Sorokin disse em entrevista à Tass que o atual acordo de restrição à produção, que retém 1,2 milhão de barris por dia de petróleo bruto dos mercados mundiais, tem sido eficaz até agora. Tal declaração é consistente com comentários oficiais russos anteriores, sugerindo que eles esperam que a queda nos preços deste ano possa frear qualquer perda adicional de participação de mercado para os produtores de xisto dos EUA. "Dúvidas sobre a OPEP+" estão pesando nos preços, disse Carsten Fritsch, analista do Commerzbank (DE:CBKG), referindo-se ao futuro de um pacto de corte de oferta entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e outras nações, incluindo a Rússia. O Brent ganhou 13% em 2019, apoiado pelo acordo da OPEP+, que por enquanto exige um corte de fornecimento de 1,2 milhão de barris por dia até março. Os produtores se reúnem nos dias 5 e 6 de dezembro para decidir se estendem ou ajustam o pacto. Na semana passada, o Brent subiu mais de 4%, apoiado por uma queda nos estoques dos EUA e sinais de um abrandamento na disputa comercial EUA-China. As esperanças de progresso agora estão desaparecendo, disseram alguns analistas. "Um sentimento cauteloso do mercado permanece em vigor, com o otimismo de progresso em um acordo comercial entre a China e os EUA na semana passada, diminuindo", disse a JBC Energy em um relatório.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: