Menu
Busca sábado, 23 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
PETRÓLEO

Preços do petróleo caem com excesso de estoque

09 julho 2020 - 15h06Por Investing.com

Por Geoffrey Smith

Investing.com - Os preços do petróleo permaneciam limitados no início das negociações em Nova York na quinta-feira (9), uma vez que os ativos de risco falharam em subir após dados acima do esperado de pedidos de seguro-desemprego nos EUA.

O Departamento do Trabalho disse que os pedidos iniciais de seguro-desemprego caíram quase 100.000 para o menor valor desde que a pandemia explodiu em março, em 1,314 milhões. Os pedidos contínuos, relatados com um atraso de uma semana, também caíram para pouco mais de 18 milhões, continuando seu lento caminho descendente, à medida que as contratações se aceleravam após o fim das restrições de bloqueio.

Os números não foram suficientes, no entanto, para incentivar novas posições longas em um momento em que até mesmo dados de uma semana estão sendo ultrapassados ​​por números diários recorde de novos casos de coronavírus. Os EUA registraram mais de 62.000 novos casos na quarta-feira, aumentando ainda mais o medo de que novas restrições à atividade comercial - e, portanto, à demanda de combustível - sejam necessárias.

Além disso, o excesso de estoques de petróleo permanece grande, com números do governo dos EUA mostrando outro salto de 5,65 milhões de barris em estoques de petróleo na semana passada. Em 968 milhões de barris, os estoques estão mais de 10% acima do nível médio dos últimos cinco anos, segundo a pesquisa do MPAS.

Às 15h04 (horário de Brasília), o petróleo bruto dos EUA caía 3,25%, para US$ 39,57 por barril. O índice internacional Brent caía 2,36%, para US$ 42,27 por barril.

Os futuros de gasolina, entretanto, falharam novamente em subir para o nível de US$ 1,30 por galão, caindo 3,09%, para US$ 1,2510.

O melhor suporte para os preços ainda vem das evidências de baixa oferta, com fontes secundárias estimando que a produção da Opep caiu para o menor nível desde 1998. A Petroleum Argus estimou que os membros da Opep bombearam apenas 22,28 milhões de barris por dia em junho, queda de 1,82 milhão bpd em relação a maio. Além de "excesso de conformidade" com o acordo da Opep+ da Arábia Saudita e de outros estados do Golfo, o Iraque e a Nigéria reduziram acentuadamente sua superprodução anterior.

A sensação de que o acordo da Opep+ está caminhando para um relaxamento moderado no final deste mês foi reforçada por notícias dizendo que a Rússia e a Arábia Saudita não manterão conversações bilaterais antes da reunião do comitê de monitoramento da próxima semana.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: