Menu
Busca quinta, 28 de outubro de 2021
Petróleo

Petróleo sobe novamente, apesar da incerteza sobre acordo da Opep

04 junho 2020 - 16h31Por Investing.com

Por Barani Krishnan

Investing.com - A chefe da Opep, Arábia Saudita, e sua principal aliada, a Rússia, parecem ter problemas em concordar com cortes mais longos na produção se os países que não os cumpriram não o fizerem. No entanto, os touros do petróleo se recusaram a permitir mais do que uma queda simbólica nos preços do WTI na quinta-feira (4), em sua busca contínua de US$ 40 por barril, apesar dos fundamentos suspeitos.

Os futuros do WTI caíam 9 centavos de dólar, ou 0,2%, para US$ 37,20 por barril às 16h10 (horário de Brasília), mantendo o benchmark dos EUA no caminho para um ganho de 5% na semana.

Brent, referência mundial para o petróleo negociada em Londres, subia 1 centavo de dólar, praticamente estável, a US$ 39,80, tentando chegar novamente na alta de quarta-feira, de US$ 40,53.

O WTI e o Brent caíram 40% no ano, mas o benchmark do Reino Unido subiu mais de 100% a partir do final de abril. Enquanto isso, seu par dos EUA ganhou 270% em um rali que parece cada vez mais em descompasso com as realidades do mercado, que evoluíram desde a queda do WTI a preços abaixo de zero no final de abril. O Brent atingiu US$ 40 por barril no início desta semana, levantando novas questões sobre a viabilidade de tais preços enquanto a demanda por petróleo permanece suspeita.

“Certamente, o mercado está propenso a correções de fluxos e ruídos”, disse Scott Shelton, corretor de futuros de energia da ICAP em Durham, Carolina do Norte. “Mas só posso dizer que parece que o movimento foi consistentemente de compra nesta semana."

Sauditas e russos concordaram em apoiar a extensão para julho dos cortes de 9,7 milhões de barris por dia acordados pela Opep + em abril. Mas os tomadores de decisão dos titãs produtores de petróleo também estavam pensando em impor condições para países que não cumpriram suas cotas de redução nos termos do acordo, disseram fontes familiarizadas com a situação.

O Iraque alcançou apenas 49% de conformidade com os cortes acordados, enquanto a Nigéria alcançou apenas 52%, mostraram dados.

Dados semanais sobre os estoques de petróleo emitidos pela Administração de Informação de Energia (EIA, na sigla em inglês) dos EUA na quarta-feira também mostraram uma demanda atrasada.

A EIA informou que o estoque de gasolina dos EUA subiu 2,8 milhões de barris na semana passada, contra a previsão dos analistas de um aumento de apenas 1 milhão de barris.

Mais surpreendentes foram os estoques de destilados, liderados pelo diesel, que subiram 9,9 milhões de barris, em comparação com as expectativas de uma construção de cerca de 2,7 milhões de barris. Somente os estoques de destilados aumentaram em mais de 51 milhões de barris nas últimas oito semanas.

A produção de petróleo dos EUA caiu quase 2 milhões de barris em relação aos recordes de 13,1 milhões de barris por dia em meados de março. E os estoques de petróleo bruto do país caíram em inesperados 2,1 milhões de barris na semana passada. Mas esse declínio também foi compensado pelo crescimento de 4 milhões de barris na Reserva Estratégica de Petróleo, que representa suprimentos de emergência de petróleo mantidos pelo governo.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: