quinta, 02 de dezembro de 2021
petróleo

Petróleo sobe com queda nos estoques dos EUA, mas vírus limita a alta

01 julho 2020 - 18h36Por Investing.com

Por Barani Krishnan

Investing.com - Os preços do petróleo subiam na quarta-feira (1) após uma queda excessiva nos estoques de petróleo dos EUA, mas a alta do mercado foi limitada pelo aumento de novos casos de coronavírus e pelo impacto que isso poderia ter sobre a reabertura de negócios na maior economia do mundo.

Também pesou sobre o sentimento do mercado uma notícia da Reuters de terça-feira de que a Opep e a Rússia provavelmente reduzirão os cortes recorde na produção de petróleo a partir de agosto, com sinais de que a demanda global está se recuperando.

"A proposta da Rússia sobre o fim dos cortes de produção em agosto equivale a enviar um paciente da UTI para casa assim que ele recuperar a consciência", tuitou Art Berman, analista de petróleo com quase 24.000 seguidores no Twitter.

Enquanto isso, o Wall Street Journal informou que a Arábia Saudita ameaçou desencadear uma guerra de preços do petróleo, a menos que colegas da Opep compensassem sua falha em cumprir os recentes cortes de produção do cartel.

O West Texas Intermediate, índice de referência para futuros de petróleo dos EUA negociado em Nova York, subia 46 centavos de dólar, ou 1,2%, para US$ 39,73 por barril às 17h22 (horário de Brasília).

O Brent, referência mundial em petróleo negociada em Londres, subia 68 centavos de dólar, ou 1,6%, para US$ 41,95.

Os preços do petróleo se recuperaram do fechamento em baixa de terça-feira depois que a Administração de Informação de Energia relatou uma queda de 7,2 milhões de barris nos estoques dos EUA na semana encerrada em 26 de junho - cerca de 10 vezes acima da previsão.

A queda acima do esperado também pode ser devida a um aumento na compra de refinarias e outras atividades de demanda antes do feriado de 4 de julho, quando os norte-americanos costumam pegar a estrada. Assim, serão necessárias mais uma ou duas semanas de conjuntos de dados da EIA para verificar se realmente existe uma grande demanda, pois as estatísticas de reabertura dos bloqueios pela Covid-19 poderiam gerar uma narrativa diferente.

Os Estados Unidos relataram cerca de 40.000 novos casos de coronavírus por dia na chamada "segunda onda" do surto e o principal especialista em pandemias dos EUA, Anthony Fauci, disse na terça-feira que essa taxa pode crescer para 100.000 sem distanciamento social e outras medidas de segurança.

Os dados mostram que cerca de 2,7 milhões de americanos já foram infectados pela Covid-19, com um número de mortos superior a 130.000. Um novo modelo da Universidade de Washington também prevê 200.000 mortes de coronavírus nos EUA até 1º de outubro, lançando novas dúvidas sobre a reabertura econômica. Como um sinal de quão seriamente o mundo está vendo o surto nos EUA, a União Europeia reabriu suas fronteiras a visitantes de 15 países, mas excluiu os norte-americanos.

Enquanto os estoques de petróleo caíram, os estoques de gasolina subiram em 1,2 milhão de barris, em comparação com uma queda de 1,7 milhão de barris há uma semana. Os estoque de destilados forneceram um argumento melhor para touros de petróleo, caindo 593.000 de barris versus um aumento de quase 250.000 barris na semana anterior.

Enquanto isso, a produção de petróleo permaneceu inabalável em cerca de 11 milhões de barris por dia, sugerindo que os cortes na produção observados nos últimos três meses praticamente terminaram, já que a recuperação de 300% no WTI desde as mínimas de abril incentivou as perfuradoras norte-americanas a abrir novamente suas torneiras. A constante produção de petróleo confirmou os cortes decrescentes em plataformas de petróleo dos EUA, que mostraram um declínio de apenas uma unidade na semana passada.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content