Menu
Busca quarta, 22 de setembro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
petroleo eua

Petróleo dos EUA flerta com US$ 35 o barril em sinal de maior otimismo

26 maio 2020 - 16h32Por Investing.com

Por Barani Krishnan

Investing.com - Após a febre de bloqueios nos últimos dois meses, os norte-americanos estão reabrindo com força os fechamentos do coronavírus, aumentando o apetite por risco em Wall Street os preços do petróleo.

O WTI de julho subia US$ 1,05, ou 3,1%, a US$ 34,30 por barril às 15h35 (horário de Brasília), com os mercados dos EUA retomando as negociações após o fechamento de segunda-feira pelo feriado do Memorial Day. O WTI atingiu anteriormente US$ 34,80, máxima desde 10 de março.

A Bolsa de Nova York também reabriu parcialmente seu pregão físico pela primeira vez em dois meses, ajudando Wall Street a estender seu rali de recuperação da pandemia.

O Brent, benchmark global para petróleo negociado em Londres, subia 70 centavos de dólar, ou 2%, para US$ 36,23.

Os mercados de petróleo também foram apoiados por sinais de cortes entre os membros da Opep, com produção reduzida antes de uma reunião com a Rússia para discutir a extensão dos cortes depois de junho, informou a Reuters, citando fontes.

O ministro da Energia da Rússia, Alexander Novak, também disse que um aumento na demanda de combustível deve ajudar a reduzir um superávit global de cerca de 7 a 12 milhões de bpd em junho ou julho. A agência de notícias RIA de Moscou disse que os volumes de produção de petróleo da Rússia estavam perto da meta de 8,5 milhões de bpd do país para maio e junho.

A produção de petróleo dos EUA, que diminuiu acentuadamente com os preços baixos forçando o fechamento de plataformas, alcançará uma baixa de cerca de 10,7 milhões de bpd em junho, mínima de dois anos, antes de começar a se recuperar lentamente, disse a Rystad Energy em uma estimativa.

Os preços do WTI receberam outro impulso fundamental da contagem semanal de plataformas de sexta-feira publicada pela empresa Baker Hughes, que mostrou que as perfuradoras fecharam outras 21 plataformas de petróleo. Essa redução eleva para quase 450 o número de plataformas paralisadas desde a semana que terminou em 18 de março, quando os bloqueios contra o coronavírus começaram intensamente nos Estados Unidos e em todo o mundo depois que a China iniciou o fenômeno em janeiro.

O Seevol.com, enquanto isso, registrou um declínio de 4,26 milhões de barris na semana até 22 de maio no centro de Cushing, Oklahoma, que armazena o petróleo entregue dos contratos vencidos do WTI. Se confirmado, esse declínio será somado à queda de 5,8 milhões de barris da semana anterior, relatada pela Energy Information Administration. A queda no estoque em Cushing foi um dos fatores que impulsionou o desempenho relativamente bom do WTI em relação ao seu rival de Londres, o Brent, no mês passado.

"Restam apenas 22 plataformas na bacia Eagle Ford, e a Permian está se aproximando das mínimas de 2016", disse Olivier Jakob, da PetroMatrix, consultoria de risco de petróleo com sede na Suíça. "As estimativas de produção dos EUA continuarão sendo revisadas mais baixo nos relatórios da Administração de Informação de Energia."

Jakob disse que as operações nas refinarias de petróleo dos EUA também devem aumentar ainda mais esta semana, com a demanda de gasolina voltando com o verão.

"Os intervalos de tempo do petróleo bruto WTI devem permanecer apoiados à medida que a pressão sobre Cushing está diminuindo", acrescentou.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: