quarta, 08 de dezembro de 2021
EUA

Petróleo cotado para declínio semanal depois de aumento nos estoques dos EUA

03 maio 2019 - 10h32Por Investing.com

Investing.com - Os preços do petróleo lutavam por direção na sexta-feira, mas permaneceram no caminho para uma queda de mais de 2%, depois dos EUA aumentar a sua produção e o retorno de um gasoduto russo, que causou nervosismo em relação ao rebalanceamento do mercado.

Os futuros de petróleo West Texas Intermediate negociados em Nova York avançavam 5 centavos, ou 0,1%, desde o final da quinta-feira até ficarem US$ 61,86 por barril às 8h19, reduzindo as perdas semanais aproximadamente 2,3%.

Enquanto isso, os futuros do petróleo Brent, referência para os preços do petróleo fora dos EUA, foram negociados com queda de 17 centavos, ou 0,2%, para US$ 70,58, levando a queda desta semana para 2,2%.

Quer investir mas não sabe por onde começar? Abra uma conta na Órama e faça o seu dinheiro render!

O petróleo despencou nesta semana depois que dados da Administração de Informação de Energia dos EUA mostraram que a produção de petróleo norte-americana atingiu o recorde de 12,3 milhões de barris por dia (bpd), um aumento de cerca de 2 milhões de bpd em relação ao ano anterior. Isso foi associado a um aumento nos estoques de petróleo bruto dos EUA de quase 10 milhões de barris e a um aumento inesperado nos estoques de gasolina.

O aumento da produção nos Estados Unidos causou preocupação de que os esforços liderados pela OPEP para reequilibrar os mercados restringindo a produção seriam insuficientes para reduzir a oferta global. Esses temores aumentaram desde que a Arábia Saudita sugeriu que poderia substituir unilateralmente qualquer produção iraniana perdida devido ao aperto das sanções americanas.

Os fracos dados industriais desta semana, tanto dos EUA quanto da China, também reacenderam as preocupações com a desaceleração global e seu impacto negativo sobre a demanda.

A Opep disse na quinta-feira que prevê que a demanda por seu petróleo caia para 30,3 milhões de bpd em 2019, cerca de 1,1 milhão abaixo do nível estimado de 2018.

Somando-se ao sentimento de baixa na sexta-feira, a Reuters citou investidores que disseram que a Rússia havia retomado as remessas através de um oleoduto para a Europa Ocidental, depois que vários países na semana passada pararam as importações por causa da contaminação.

Em outros negócios de energia, os futuros de gasolina subiam 0,3%, para US$ 2,0246 por galão, às 8h22, enquanto o óleo de aquecimento caia 0,4%, para US$ 2,0692 por galão.

Por fim, os futuros de gás natural subiam 0,8% a US$ 2,610 por milhão de unidades térmicas britânicas.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content