sábado, 27 de novembro de 2021
petróleo

Petróleo cai com maior produção e disputa tarifária

03 setembro 2019 - 14h23Por Investing.com
Investing.com - Os preços do petróleo caíam cerca de 3% nesta terça-feira (03), pressionados por temores sobre o impacto da guerra comercial EUA-China na economia global e aumento da produção da Opep. O petróleo bruto caía US$ 1,91, ou 3,47%, a US$ 53,19 por barril às 11h53, enquanto a referência internacional, o petróleo Brent, caía US$ 1,15, ou 1,96%, a US$ 57,51 por barril. No domingo, os EUA impuseram tarifas de 15% a uma variedade de produtos chineses e a China começou a impor novos impostos sobre o petróleo bruto dos EUA e outros produtos na escalada mais recente da prolongada guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo.

Embora o presidente dos EUA, Donald Trump, tenha dito que os dois lados ainda se reuniriam para negociações no final deste mês, não houve acordo no final de semana sobre este momento.

                        Seu dinheiro pode render muito mais com a Genial. Invista já, de forma segura e gratuita! Preocupações com as consequências econômicas globais aumentaram depois que os dados de terça-feira mostraram que a economia da Coreia do Sul se expandiu menos do que o estimado durante o segundo trimestre, devido às exportações mais fracas. As notícias se seguiram de que a Índia, a maior economia de crescimento mais rápido do mundo nos últimos três anos, registrou seu menor crescimento anual desde 2012 nos últimos três meses até junho. "O petróleo lutará para avançar substancialmente nesta semana sem nenhum progresso nas negociações ou reuniões comerciais, dados brutos da Ásia e uma possível quebra da determinação da Opep de controlar a produção", disse Jeffrey Halley, analista de mercado da OANDA. A produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) aumentou em agosto pela primeira vez deste ano, com o aumento da oferta do Iraque e da Nigéria superando os cortes do maior produtor da Arábia Saudita e as perdas causadas pelas sanções dos EUA ao Irã. A produção russa de petróleo em agosto subiu para 11,294 milhões de barris por dia (bpd), mostraram dados na segunda-feira, atingindo o nível mais alto desde março e violando o teto de produção acordado de Moscou em um pacto com outros produtores. A OPEP, a Rússia e outros não membros, conhecida como OPEP +, concordaram em dezembro em reduzir a oferta em 1,2 milhão de bpd a partir de 1º de janeiro deste ano. Os dados que devem ser divulgados esta semana sobre os níveis dos estoques dos EUA serão adiados em um dia, para quarta e quinta-feira devido ao feriado do Dia do Trabalho nos EUA na segunda-feira. "O que é ruim para as perspectivas de crescimento global é ruim para o petróleo no momento", disse Greg McKenna, estrategista da McKenna Macro. "Apenas grandes volumes nos estoques podem atrasar essa queda." Com Reuters
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content