Menu
Busca quinta, 28 de outubro de 2021
PETRÓLEO

Petróleo bruto cai no fim da semana; Líbia ataca a Rússia

26 junho 2020 - 13h54Por Investing.com

Por Geoffrey Smith

Investing.com - O preço do petróleo caía na sexta-feira (26), terminando a semana em baixa, com os mercados praticamente alheios aos números de renda pessoal dos EUA em maio, uma série de dados que geralmente é um indicador confiável da flutuabilidade (ou não) de gasto do consumidor.

Às 13h53 (horário de Brasília), os contratos futuros de petróleo dos EUA caíam 1,21%, para US$ 38,25 por barril, enquanto o índice internacional Brent caía 0,88%, para US$ 40,69. Ambos permaneceram relativamente estáveis ao longo da noite.

Os preços do petróleo não chegaram a lugar algum em junho, depois da recuperação de uma queda abaixo de zero em abril, no auge da pandemia. O mercado físico apertou significativamente nas últimas semanas, com a demanda se recuperando enquanto a produção foi limitada voluntariamente pelo grupo de produtores da Opep + e pelos EUA devido à situação econômica.

No entanto, qualquer aperto adicional no mercado pode ter que esperar, pois a nova onda de infecções por coronavírus nos EUA lança uma nova sombra sobre as perspectivas de demanda na Califórnia, no Texas e na Flórida, três dos estados dos EUA mais importantes economicamente.

Texas e Flórida foram forçados a suspender seus planos de reabrir suas economias na quinta-feira, com o nível de novas infecções por Covid-19 atingindo recorde. O número nacional de novos casos também atingiu um novo recorde de quase 40.000.

Mais adiante, a questão da conformidade com a Opep+ assumiu uma nova dimensão quando a Companhia Nacional de Petróleo da Líbia acusou mercenários russos de sabotar operações no maior campo petrolífero do país, Sharara. O campo não conseguiu enviar petróleo e gerar receitas de exportação muito necessárias devido à longa guerra civil no país do norte da África.

"O petróleo da Líbia é para o povo líbio, e eu rejeito completamente as tentativas de países estrangeiros de impedir a retomada da produção de petróleo", disse Mustafa Sanalla, presidente do NOC, em um post no Facebook. “Muitos países estão se beneficiando da ausência de petróleo da Líbia nos mercados globais. Alguns deles expressam cinicamente sua empatia pela incapacidade continuada da Líbia de produzir petróleo, enquanto trabalham o tempo todo em segundo plano para apoiar as forças de bloqueio".

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: