Menu
Busca terça, 19 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Petróleo

Preços do petróleo ampliam ganhos com esperanças de recuperação da demanda

10 novembro 2020 - 14h28Por Investing.com

Por Geoffrey Smith, da Investing.com - Os preços do petróleo aumentaram seus ganhos na terça-feira (10), enquanto o mercado continuou a reavaliar as perspectivas para a demanda de combustível na sequência de um anúncio na segunda-feira que encorajou as esperanças de um fim antecipado para a pandemia de Covid-19.

Às 14h24 (horário de Brasília), os futuros do petróleo dos EUA subiam 2,3%, a US$ 41,19 o barril, enquanto os futuros do Brent, a referência internacional, subiam 2,2% a US$ 43,34 a barril.

Ambos, no entanto, estavam fora de altas intradiárias depois que o Brent falhou novamente em quebrar um nível de resistência em torno de US$ 43,55, de acordo com analistas do Saxo Bank.

Os preços dispararam na segunda-feira depois que a Pfizer (NYSE:PFE) anunciou que sua vacina experimental para a Covid-19 se mostrou mais de 90% eficaz na prevenção do coronavírus, citando resultados de um teste em estágio final. Os ganhos foram moderados à medida que o mercado absorveu o fato de que a segurança e a longevidade da vacina ainda precisam ser comprovadas.

A mídia dos EUA citou Russell Hardy, CEO da importante trader de petróleo Vitol, dizendo em uma conferência na terça-feira que agora vê os preços do petróleo voltando para US$ 50 o barril, já que uma recuperação na demanda leva a uma redução mais rápida dos estoques globais. Mesmo assim, ele disse que pode haver alguns “meses difíceis” antes disso.

Os analistas do Saxo reconheceram que as notícias da Pfizer foram um grande impulso para o petróleo, mas observaram que "com os casos da Covid-19 ainda em alta, não menos nos EUA, as perspectivas de curto prazo continuam desafiadoras".

Os EUA registraram seu quarto dia consecutivo de mais de 100.000 novas infecções, e picos da Califórnia ao meio-oeste e na fronteira mexicana sugerem fortemente que a pandemia saiu do controle enquanto a nação estava distraída pela campanha eleitoral.

A velocidade em que os estoques estão sendo reduzidos de seus níveis anormalmente altos continua sendo a variável-chave no mercado, com o bloco Opep+ produzindo deliberadamente menos do que a demanda atual para pressionar os estoques. O American Petroleum Institute divulgará sua estimativa semanal dos estoques dos EUA às 17h30, como de costume.

Além disso, a Bloomberg informou que os estoques chineses caíram substancialmente nas últimas semanas, à medida que a economia doméstica se recupera. Isso levou o governo a aumentar as cotas de importação das refinarias privadas para o próximo ano, o que será um suporte líquido à demanda global. Pequim também estabeleceu preços mínimos para produtos refinados para garantir as margens das refinarias, em um momento em que as margens do refino em todo o mundo estão sob forte pressão. A Royal Dutch Shell (LON:RDSa) disse na segunda-feira que fecharia sua refinaria da Louisiana após não ter conseguido encontrar um comprador.

Posteriormente, a Administração de Informações de Energia dos Estados Unidos divulgará seu relatório “Short-Term Energy Outlook” (“Cenário para a Energia no Curto Prazo”, em tradução livre), a primeira de três pesquisas importantes sobre o mercado de petróleo nesta semana. Relatórios da Opep e da Agência Internacional de Energia seguirão na quarta e quinta-feira, respectivamente.

Veja os fatores que influenciam os mercados hoje

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: