Menu
Busca quarta, 22 de setembro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Petrobras

Petrobras tem autorização da Odebrecht para venda de fatia da Braskem

06 maio 2020 - 13h28Por Investing.com
Por Gabriel Codas Investing.com - Na terça-feira, o presidente da Petrobras (SA:PETR4), Roberto Castello Branco, informou que a companhia obteve apoio da Odebrecht para transformar a Braskem (SA:BRKM5) em uma empresa sem controle definido, facilitando assim uma futura venda de sua participação na petroquímica via mercado de capitais. O executivo ponderou, no entanto, que é preciso aguardar uma melhora do cenário econômico mundial para que as operações necessárias possam ser realizadas. Atualmente, com a pandemia do novo coronavírus, a transação poderia não ser atrativa. Por volta das 11h56, as ações da Braskem operavam com alta de 2,13% a R$ 21,12, indo na contramão do Ibovespa hoje. O principal índice acionário brasileiro operava em queda de 0,77% a 78.861 pontos. Já as ações da Petrobras tinham queda maiores do que o Ibovespa, com a queda do preço do petróleo prejudicando o desempenho dos papéis da estatal. A ação preferencial da Petrobras registrava perdas de 1,51% a R$ 17,67. O petróleo Brent, negociado em Londres e referência de preço para a estatal, tinha baixa de 4,33% a US$ 29,63.

Braskem

“Vejo que temos boa oportunidade na medida em que a economia mundial se recupere, a volatilidade baixe, então vamos ter condições de sair via mercado de capitais”, disse Castello Branco, ao participar de um evento online promovido pelo banco Credit Suisse. A petroleira já havia anunciado desde o ano passado o interesse em listar a Braskem no Novo Mercado da bolsa paulista B3. Para isso, a petroquímica precisa ter apenas ações ordinárias em negociação, além de seguir uma série de regras de governança de alto nível. “Vários obstáculos foram vencidos, até a posição da própria Odebrecht. Hoje temos um diálogo bem melhor do que tínhamos há cerca de seis meses”, disse o CEO da Petrobras. Atualmente, a Odebrecht tem 38,3% da Braskem, com 50,1% das ações com direito a votos, enquanto a Petrobras tem uma participação total de 36,1%, com 47% das ações com direito a voto, segundo informações do site da companhia. “A questão de Alagoas foi solucionada, acordo com os bancos, concordância da Odebrecht de levar a companhia para ser uma ‘corporation’, ter suas ações convertidas em votantes”, listou Castelo Branco, ao comentar os passos da Petrobras para viabilizar o desinvestimento de sua fatia na Braskem. A Petrobras busca se desfazer da participação na petroquímica como parte de um amplo programa de desinvestimentos que busca reduzir a dívida e focar a empresa nas atividades de exploração e produção de petróleo em águas profundas.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: