Menu
Busca terça, 19 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Ouro

Ouro sólido pouco acima de US$ 1.900 conforme o dólar sobe e o Dow afunda

26 outubro 2020 - 19h29Por Investing.com

Por Barani Krishnan, da Investing.com - O colapso das ações uma semana antes da eleição nos EUA e em meio a novos casos alarmantes de Covid-19 fez com que os investidores corressem para portos seguros na segunda-feira, solidificando o ouro em pouco mais de US$ 1.900 a onça.

O ganho de 50 centavos no dia que deixou os futuros do ouro acima de US$ 1.905, obviamente, não foi motivo de alarde. Mas foi notável por um motivo: ocorreu apesar de uma alta do dólar, que normalmente teria levado o metal amarelo para o outro lado.

Foi a segunda vez nas últimas duas semanas que o ouro e o dólar se moveram da mesma forma: a última foi em 16 de outubro, quando ambos caíram cerca de 0,2% no dia. Embora seja muito cedo para sugerir que a correlação inversa entre os dois acabou, é certamente algo para se pensar.

“Os preços do ouro estão se mantendo, apesar de um dólar forte, enquanto os investidores fogem para portos seguros com a ansiedade sobre a crise do coronavírus e expectativas crescentes de uma 'onda azul'”, disse Ed Moya da OANDA em Nova York, referindo-se à vitória esperada para o candidato “azul”, ou do partido democrata, Joe Biden, contra o presidente do partido vermelho, ou Republicano, Donald Trump.

O ouro para entrega em dezembro fechou em US$ 1.905,70, alta de 50 centavos de dólar, ou 0,03%, enquanto o Dow caiu quase 3%.

O ouro à vista, que reflete as negociações em tempo real, operava estável, a US$ 1.902,13 às 18h20 (horário de Brasília).

O Índice Dólar, que coloca o dólar norte-americano contra as seis principais moedas, subia 0,3%, a 93,04.

Em março, quando a aversão ao risco estava no auge logo após a eclosão global do coronavírus, o ouro e o dólar subiram ao mesmo tempo.

O dólar então afundou e o ouro continuou sua ascensão quase implacável, ganhando mais de US$ 500, ou 30%, para bater recordes de quase US$ 2.090 na Comex no início de agosto.

Nesse ponto, o ouro despencou e os investidores voltaram para o dólar, que se tornou o porto seguro de escolha devido à sua posição como moeda de reserva. O ouro atingiu uma baixa de 11 semanas de cerca de US$ 1.851 no final de setembro, antes de se fixar no suporte de US$ 1.900 na semana passada.

“Pelo que sabemos, as pessoas estão sendo atraídas pelo ouro agora por diferentes razões”, disse Phillip Streible, estrategista-chefe de mercado da Blueline Futures em Chicago.

“A possibilidade de estímulo adicional é certamente uma; todos nós sabemos que outro plano de ajuda está acontecendo, é só uma questão de quando. Outra é que as pessoas ainda estão revivendo o pós-eleição de 2016, quando o índice Dow Jones subiu 1.500 pontos durante a noite. Portanto, existe essa teoria de que o ouro pode continuar a mergulhar com toda a incerteza que temos sobre a atual eleição antes de voltar. O ouro pode se beneficiar ao longo desta semana e teve baixa volatilidade de qualquer maneira.”

Veja os fatores que influenciam os mercados hoje

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: