Menu
Busca sexta, 15 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Ouro

Ouro atinge máxima de 10 semanas com temor de Covid-19 e esperanças de estímulo

22 junho 2020 - 17h46Por Investing.com

Por Barani Krishnan

Investing.com - Os preços do ouro atingiram máximas de 10 semanas na segunda-feira, aproximando-se do nível de US$ 1.800 por onça alvo dos touros do mercado, com o medo de uma segunda onda de Covid-19 nos Estados Unidos e em muitos outros países direcionando os investidores a portos-seguro.

Pelo menos 22 dos 50 estados dos EUA relataram um aumento nos casos de Covid-19 após a reabertura de suas economias nos últimos dois meses. No Arizona, um epicentro específico, as infecções aumentaram 54% em uma semana. Isso ocorre após mais de 2,4 milhões de americanos já terem sido infectados pelo coronavírus, com o número de mortos em 122.000. Um novo modelo da Universidade de Washington prevê 200.000 mortes por Covid-19 nos Estados Unidos até 1º de outubro.

Globalmente, a Coreia do Sul e a China estão enfrentando teimosos novos surtos, e o estado australiano de Victoria estendeu os protocolos de controle por mais quatro semanas. A Nova Zelândia também está enfrentando um aumento nos casos de quem chega do exterior.

"Os tipos de graves choques econômicos que vamos experimentar estão muito além das prescrições de estímulos, os trilhões aqui, os trilhões ali, de liquidez infundida no mercado", disse Laurie Garrett, historiadora de pandemias vencedora do Pulitzer. "Ou nós paramos essa epidemia ou teremos um colapso econômico."

O ouro futuros dos EUA para entrega em agosto subia US$ 13,20, ou 0,7%, para US$ 1.766,20 por onça na Comex de Nova York às 17h04 (horário de Brasília). A referência para futuros de ouro subiu mais cedo para US$ 1.778,95, nível mais alto alcançada na Comex desde 14 de abril.

O ouro spot, que acompanha transações em tempo real em barras de ouro, subia US$ 12,07, ou 0,7%, para US$ 1.756,14. A máxima intradia para o indicador foi de US$ 1.763,22.

"A quebra do nível de US$ 1.750 foi fundamental para a trajetória mais alta do ouro", disse Ed Moya, analista da OANDA de Nova York. "Se a disseminação do coronavírus continuar a registrar um aumento recorde nos casos globais, os preços do ouro poderão atingir o nível de US$ 1.800 a onça em algum momento desta semana".

A alta do ouro na segunda-feira foi uma extensão do rali de sexta-feira, desencadeado pela previsão do Goldman Sachs de que os preços poderiam subir outros US$ 250 ou mais nos próximos meses, à medida que os governos expandem os esforços de estímulo para combater a Covid-19.

Na semana passada, o Goldman elevou sua previsão de três meses para o ouro de US$ 1.600 para US$ 1.800. O banco colocou sua previsão de seis meses em US$ 1.900, contra US$ 1.650 anteriores. A empresa de Wall Street também ampliou sua meta de longo prazo em 12 meses para US$ 2.000.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: