Menu
Busca terça, 19 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
EUA

Opep já está aumentando a produção de petróleo, sugerem dados dos EUA

24 abril 2019 - 16h55Por Investing.com
De Barani Krishnan Investing.com - É provável que haja mais petróleo da Opep chegando aos Estados Unidos, independentemente do que os sauditas dizem e os fundos de hedge em breve poderão derrubar os preços do petróleo novamente. A cotação do petróleo cedia na quarta-feira (24/4) depois que a agência de energia (EIA) dos EUA informou que os estoques da commodity no país aumentaram cerca de cinco vezes mais do que o esperado na semana passada. As importações chegaram ao pico desde meados de março. O barril do West Texas Intermediate negociado em Nova York cedia US$ 0,42, ou 0,6%, para US$ 65,88 às 14h45. O seu dinheiro está no banco rendendo absolutamente nada? Abra uma conta na Órama e comece a investir! O Brent, negociado em Londres, o índice de referência global, perdia US$ 0,04, ou 0,1%, para US$ 74,47. A EIA disse que os estoques brutos aumentaram em 5,48 milhões de barris na semana encerrada em 19 de abril, em comparação com as previsões para um aumento de 1,26 milhão de barris. Na semana anterior, até 12 de abril, os estoques de petróleo bruto caíram 1,4 milhão de barris. Os estoques de gasolina diminuíram em 2,13 milhões de barris, em comparação com as expectativas de redução de 1,04 milhão de barris. Os estoques de outros óleos caíram apenas 660 mil barris, em comparação com as previsões para um declínio de 1,16 milhão. Apesar do recuo dos preços nesta quarta-feira, o WTI ainda acumulava um ganho de 3% na semana, enquanto o Brent sobe quase 4%. No acumulado do ano, o benchmark dos EUA avança 45%, contra 38% do Brent. O rali foi renovado após os EUA confirmarem na segunda-feira que não renovaria as isenções de sanções para os importadores de petróleo iraniano que vencem em 2 de maio, aumentando as preocupações sobre a oferta em um mercado já apertado com os cortes OPEP e interrupções na Venezuela e na Líbia. O ministro da Energia da Arábia Saudita, Khalid al-Falih, ajudou o movimento de ala ao dizer que o reino não tinha a intenção de aumentar a produção para compensar a provável queda da oferta iranianas. Qualquer aumento teria que ser baseado nas necessidades, vindo diretamente dos compradores, acrescentou Falih. Mais petróleo nos EUA Embora a postura saudita fosse dura, os dados sobre as importações semanais de petróleo nos EUA pareciam contar uma história diferente. As importações de petróleo dos EUA aumentaram 1,2 milhão de barris por dia na semana passada, a maior em três semanas. Embora a análise do local de origem do petróleo não esteja disponível até a semana que vem, o relatório sugere que a Opep já está aumentando a produção e as exportações para garantir a recuperação do petróleo neste ano. "Certamente há mais petróleo da Opep chegando aos EUA, se não ao mundo, e não é surpreendente a esse tipo de preço", disse John Kilduff, sócio-fundador do fundo de hedge de energia de Nova York, "Again Capital". "Os sauditas querem produzir mais, mas eles não querem falar sobre isso, é claro, preferindo manter a conversa sobre a estabilidade do mercado e os aumentos de produção em uma base de necessidade", disse Kilduff. "Qualquer outra coisa poderia enviar a mensagem errada para o mercado: estamos indo novamente para uma situação com excesso de oferta." "Os discursos dos sauditas são particularmente voltados para os fundos hedge, porque essa é a comunidade que você quer manter em um estado de calmaria se quiser preservar esse tipo de preço", acrescentou.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: