Menu
Busca quinta, 21 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Oi

Oi: TIM, Vivo, Claro avaliam nova oferta pela rede móvel da operadora

24 julho 2020 - 12h11Por Investing.com

Por Gabriel Codas, da Investing.com - Depois da notícia da oferta realizada pela Highline, empresa controlada pela gestora americana Digital Colony, para a aquisição da operação da rede móvel da Oi (SA:OIBR3), o grupo composto por TIM (SA:TIMP3), Claro e Telefônica Brasil (SA:VIVT4) preparam uma forma de reagir para superar a rival. As informações são da edição desta sexta-feira do O Globo. Nesta sexta-feira na bolsa paulista, as ações ordinárias da Oi seguiam com rali. Elas saltavam 5% a R$ 1,68 - com pico em R$ 1,77, enquanto as preferenciais avançavam 2,38% a R$ 1,72 às 12h01. Na véspera, ambas dispararam com envolvendo as notícias de venda da operação da companhia telefônica, fechando respectivamente em 19,4% a R$ 1,60 e 7,69% a R$ 1,68, acumulando substanciais respectivos ganhos semanais de 39,67% e 14,97. Já os papéis continuavam a cair. Vivo recuava 0,81% a RR$ 49,18 e TIM 2,91% a R$ 14,37. Na véspera, as quedas foram respectivamente de 3,73% a R$ 49,58 e 8,43% a R$ 14,77. O Ibovespa recuava 0,88% a 101.392 pontos. Veja os fatores que influenciam os mercados hoje

Highline

De acordo com a reportagem, a Highline, que é dona de infraestrutura de telecomunicações, tem como estratégia no Brasil a compra da operação de telefonia móvel e, por meio de um leilão, fazer a venda dos 34 milhões de clientes da empresa. Assim, uma das possibilidades é um acordo com a mineira Algar. Uma segunda etapa do fundo americano seria o aluguel das frequências móveis da Oi para as companhias do setor, atuando no chamado “mercado de atacado”. Essa estratégia é alvo de críticas das rivais, uma vez que o regulamento não prevê atuação unicamente no atacado para uma empresa de serviço móvel pessoal (SMP). Assim, haveria pressão do governo de a Agência Nacional de Telecomunicações “não poder mudar a regra no meio do jogo”. O jornal revela ainda que “quem pagará a conta nos planos da Highline serão as teles, comprando clientes e rede”. Outro ponto em questão envolve o leilão do 5G. Uma fonte disse à publicação que “o uso de frequência apenas no atacado pode ser determinante para mudar totalmente o esquema do leilão do 5G, pois todo mundo vai querer comprar espectro sem necessidade de atender a todos os clientes finais”. Com o novo cenário, TIM e Vivo seguem com interesse em buscar uma solução para a compra da Oi Móvel. A Claro, por sua vez, fica ainda sem definir se vai acompanhar as concorrentes. Uma nova proposta pode acontecer somente na data do leilão, sem data para ocorrer.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: