Menu
Busca terça, 26 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile

Microsoft e Fed entre as cinco notícias internacionais de hoje

19 julho 2019 - 09h50Por Investing.com
Nesta sexta-feira (19), o mercado acionário brasileiro está atento ao noticiário internacional, principalmente aos indícios de iminente corte de juros pelo Federal Reserve (Fed), o banco central dos EUA. Veja esse e outros destaques a seguir. Irã nega a alegação de destruir drones de Trump, petróleo salta Os preços do petróleo saltaram mais de 2% durante a noite de sexta-feira após o O presidente Donald Trump confirmou que a Marinha destruiu um drone iraniano no Estreito de Ormuz, um dos principais pontos de estrangulamento dos fluxos globais de petróleo, mais uma vez aumentando as tensões no Oriente Médio. O petróleo bruto cortou alguns desses ganhos, no entanto, com Abbas Araqchi, vice-ministro das Relações Exteriores do Irã, negando a notícia, dizendo que Teerã não havia perdido nenhum drone no Estreito de Ormuz nem em qualquer outro lugar. Além disso, Aragchi disse que os EUA podem, de fato, ter derrubado um deles por engano. A escalada das tensões no Oriente Médio sustentou os preços do petróleo sob a especulação de que eles poderiam impactar a oferta. 2. Ações dos EUA com tendência para abrir em alta com suporte da Microsoft (NASDAQ:MSFT) e do Fed O mercado futuro dos EUA apontava para uma abertura em alta com os ganhos e as receitas de negócios na nuvem da Microsoft acima do esperado. O otimismo também é influenciado com as renovadas esperanças de flexibilização da política monetária do Federal Reserve na reunião do colegiado no fim do mês. Wall Street fechou em alta nesta quinta-feira, depois que o presidente do Fed de Nova York, John Williams, disse que o banco central precisava agir rapidamente quando a economia estava desacelerando e as taxas estavam baixas. Embora ele não tenha feito nenhuma referência ao próximo movimento na reunião de 30 e 31 de julho, os mercados aumentaram suas apostas para uma redução de 50 ponto base para 46%. Uma redução do quarto de ponto está totalmente precificada. Potencialmente acrescentando combustível ao fogo dovish, o Presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, falará em uma reunião anual da Associação de Pesquisa do Banco Central. Bullard foi o único formulador de políticas a discordar na reunião do Fed em junho, com base em sua preferência por um corte de 25 pontos base. No entanto, ele disse que não estava convencido da necessidade de algo maior. Também na pauta econômica, a Universidade de Michigan irá publicar sua revisão preliminar da percepção do consumidor para julho às 11h00. 3. Boeing (NYSE:BA) assumirá US$ 4,9 bilhões pelo aterramento do 737. A Boeing anunciou que será necessário uma provisão de US$ 4,9 bilhões no balanço do segundo trimestre, que será divulgado em 24 de julho. A empresa explicou que o encargo será para cobrir as interrupções estimadas da proibição de voo de seus aviões 737 MAX, devido a dois acidentes fatais. Várias companhias aéreas disseram que buscariam indenização da Boeing. As ações ainda subiram quase 2% no comércio de pré-mercado e o Morgan Stanley disse que o ganho era uma indicação de que os investidores estavam confortáveis com o valor da cobrança e com os planos de produção da Boeing. 4. AB Inbev capta US$ 11,3 bilhões com venda de unidade A Anheuser Busch Inbev (NYSE:BUD) viu suas ações subirem mais de 4% antes de anunciar a venda de sua unidade australiana para o grupo japonês Asahi (T:2502) por US$ 11,3 bilhões, incluindo dívida. A mudança é uma opção de retorno para a empresa, que fez do corte da dívida sua prioridade máxima. A AB InBev cancelou o IPO de seus negócios asiáticos na semana passada depois de tentar levantar cerca de US$ 10 bilhões devido às condições do mercado naquela que teria sido a maior abertura de capital do mundo no ano. 5. Co-fundador da WeWork retira US$ 700 milhões antes do IPO Adam Neuman, co-fundador da WeWork (NYSE:WEWK), retirou mais de US$ 700 milhões da empresa através de uma mistura de vendas de ações e dívidas, de acordo com o The Wall Street Journal, que citou pessoas familiarizado com o assunto. A quantia foi identificada como incomum, pois os fundadores costumam contar as quantias depois da oferta pública inicial da empresa. A empresa está planejando um dia de analistas em 31 de julho, enquanto se prepara para seu IPO. A WeWork foi recentemente avaliada em US$ 47 bilhões em uma rodada privada de captação de recursos, tornando-a uma das empresas privadas mais valiosas do mundo.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: