Menu
Busca sexta, 22 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
INPC

Inflação dos pobres, INPC sobe 0,15% em maio com feijão e tomate em baixa; alta é a menor desde 2006

07 junho 2019 - 11h36Por Angelo Pavini
O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do mês de maio apresentou variação de 0,15%, 0,45 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa de abril (0,60%). O índice calcula a inflação para famílias com renda de até cinco salários mínimos. Este foi o menor resultado para um mês de maio desde 2006, quando a taxa foi de 0,13%, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A variação acumulada no ano ficou em 2,44% e o acumulado dos últimos doze meses, em 4,78%, abaixo do registrado nos 12 meses imediatamente anteriores (5,07%). Em maio de 2018, a taxa foi de 0,43%. A variação do INPC ficou acima da registrada pelo IPCA, que mede a inflação para famílias com renda de até 40 salários mínimos e que subiu 0,13% em maio. No INPC, alimentos, transporte e moradia têm impacto maior que no IPCA. Os produtos alimentícios tiveram queda de 0,59% em maio, contra 0,64% em abril. O tomate, após apresentar alta de 28,64% em abril, caiu 15,08%, e o feijão-carioca acentuou a queda em relação ao mês anterior (passou de -9,09% para -13,04%). As frutas (-2,87%) também recuaram mais intensamente do que em abril (-0,71%). O agrupamento dos não alimentícios desacelerou para 0,48%, enquanto em abril havia registrado 0,58%. Quanto aos índices regionais, o município de Rio Branco (0,67%) apresentou a maior variação, por conta do item energia elétrica (2,90%), como mostra a tabela a seguir. Já o menor índice ficou com a região metropolitana de Curitiba (-0,01%), influenciado pela queda nos preços do tomate (-16,65%) e das frutas (-8,44%). O post Inflação dos pobres, INPC sobe 0,15% em maio com feijão e tomate em baixa; alta é a menor desde 2006 apareceu primeiro em Arena do Pavini.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: