segunda, 29 de novembro de 2021
Petrobrás

Ibovespa e dólar caem com sinais negativos do exterior

03 setembro 2019 - 09h39Por Investing.com
Investing.com - Depois do feriado nos Estados Unidos na véspera, o Ibovespa iniciou a sessão desta terça-feira (03) em alta, mas logo adotou viés de queda com sinais negativos do exterior. Às 13h51, o Ibovespa caía 0,82%, aos 99.729 pontos. Já o dólar comercial recuava 0,31% a R$ 4,170. Em julho de 2019, a produção industrial nacional caiu 0,3% frente a junho (série com ajuste sazonal), terceiro resultado negativo consecutivo. A perda acumulada nesse período foi de 1,2%. No confronto com julho de 2018 (série sem ajuste sazonal), a indústria recuou 2,5%, após queda de 5,9% em junho. O acumulado no ano foi de -1,7%. O acumulado nos últimos 12 meses (-1,3%) mostrou perda de ritmo frente ao resultado de junho (-0,8%) e permaneceu com a trajetória predominantemente descendente iniciada em julho de 2018 (3,2%). Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física (PIM-PF) Brasil. - Cena Externa China x EUA As ações da China se recuperaram das perdas de mais cedo e fecharam em alta nesta terça-feira, impulsionadas pelos ganhos em empresas de tecnologia, já que Pequim incentiva autossuficiência no setor em meio a uma prolongada guerra comercial com os Estados Unidos. A China apresentou uma queixa contra os Estados Unidos à Organização Mundial do Comércio (OMC) sobre direitos de importação nos EUA, informou o Ministério do Comércio da China na segunda-feira. Também há expectativa de que Pequim esteja pronta para intervir para evitar ondas de vendas nos mercados antes do feriado do Dia da China, em 1º de outubro. Zona do Euro Os preços ao produtor da zona do euro subiram levemente em julho, após quatro meses de queda, mas apenas por causa do aumento da energia, mostraram nesta terça-feira estimativas oficiais, num sinal de inflação futura muito limitada no bloco. O escritório de estatísticas da União Europeia, a Eurostat, informou que os preços nos portões das fábricas nos 19 países que compartilham o euro subiram 0,2% em julho, em linha com as expectativas do mercado. O aumento modesto em julho veio após quatro quedas mensais consecutivas nos preços industriais, incluindo uma baixa de 0,6% em junho. - Agenda Americana Nesta terça-feira, por volta das 11 horas (no horário de Brasília) será divulgado o PMI Industrial, indicador que mede a atividade do setor nos Estados Unidos. A estimativa do mercado é que o resultado seja de 50,5 pontos, uma leve valorização positiva diante dos 50,4 pontos da prévia, mas acima dos 49,9 pontos registrados em agosto. BOLSAS INTERNACIONAIS Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,02%, a 20.625 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,39%, a 25.527 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,21%, a 2.930 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,14%, a 3.853 pontos. Na Europa, a terça-feira dá sinais de que o dia será de perdas para os principais mercados. Em Frankfurt, o DAX tem queda de 0,37%os 11.909 pontos, enquanto em Londres, o FTSE recua 0,37% aos 7.253 pontos. Já em Paris, o CAC cede 0,46% aos 5.467 pontos. COMMODITIES Mais uma vez, a jornada desta terça-feira foi marcada por uma forte valorização para os contratos futuros do minério de ferro, que são transacionados na bolsa de mercadorias da cidade chinesa de Dalian. O ativo com o maior volume de negócios, com data de vencimento para janeiro de 2020, teve ganhos de 3,16% a 637,50 iuanes por tonelada, o que representa variação diária de 19,50 iuanes. No mesmo sentido, o segundo dia da semana também foi caracterizado pelos ganhos dos papéis futuros do vergalhão de aço, que são negociados na bolsa de mercadorias de Xangai, na China. O contrato de maior liquidez, com entrega para o primeiro mês do ano que vem, a alta foi de 34 iuanes para um total de 3.403 iuanes por tonelada. Já o segundo mais negociado, de outubro deste ano, a valorização foi de 47 iuanes para 3.714 iuanes por tonelada. No sentido oposto, o petróleo começa a terça-feira com forte queda nos preços. O barril do tipo WTI, referência em Nova York, cai 1,98%, ou US$ 1,09, a US$ 54,01. Já em Londres, o Brent cede 1,59%, ou US$ 0,93, a US$ 57,73. MERCADO CORPORATIVO - Petrobras (SA:PETR4) A Petrobrass iniciou a fase vinculante para a venda da totalidade de suas participações em 11 campos de produção em águas rasas da Bacia de Campos, denominados de Polo Garoupa, informou a estatal em comunicado nesta segunda-feira. A produção média do Polo Garoupa, de acordo com dados dos últimos doze meses, é de cerca de 19,6 mil barris de óleo equivalente ao dia, segundo a Petrobras (SA:PETR4). “Essa operação está alinhada à otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, visando à geração de valor para os nossos acionistas”, disse a petroleira, que vem realizando vendas de ativos considerados não essenciais. A empresa acrescentou que nesse projeto, especificamente, não haverá fase não vinculante. Petróleo A produção de petróleo do Brasil em julho somou 2,775 milhões barris ao dia (bpd), alta de 8,5% ante o mês anterior e avanço de 7,8% em relação ao mesmo mês de 2018, informou nesta segunda-feira a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Já a produção de gás natural em julho somou 124 milhões de metros cúbicos ao dia, alta de 11,7% ante junho e de 7,1% na comparação com o mesmo mês do ano passado, mostrou boletim mensal de produção da autarquia. A alta ocorre após um recuo mensal registrado no mês anterior, diante de parada para manutenção de plataforma em Lula, maior campo produtor do país. - Cyrela (SA:CYRE3) CP A Cyrela (SA:CYRE3) Commercial Properties, braço de imóveis corporativos da construtora Cyrela, anunciou que teve autorização de seu conselho de administração para realizar uma oferta primária de ações. A oferta será coordenada por Bradesco BBI, BTG Pactual (SA:BPAC11), Itaú BBA,Morgan Stanley (NYSE:MS), J. Safra e XP Investimentos, segundo o fato relevante. O conselho também aprovou a exclusão do direito de preferência dos atuais acionistas da companhia na subscrição das ações a serem emitidas na oferta. - Caixa Econômica Federal A Caixa Econômica Federal teve lucro líquido de 7,533 bilhões de reais no primeiro semestre, o que equivale a uma alta de 13,2% em relação a igual etapa de 2018, segundo dados divulgados no website do Banco Central. As receitas do banco estatal com prestação de serviços e cobrança de tarifas de janeiro a junho somaram 13,18 bilhões de reais, avanço de 1,16% sobre igual etapa do ano passado. Também na comparação semestral, as despesas da Caixa com pessoal avançaram 3,17%, para 10,75 bilhões de reais, enquanto as demais despesas administrativas recuaram 13,4%, para 4,89 bilhões de reais. O resultado da provisão para créditos de difícil liquidação, que reflete quanto um banco espera ter de perdas com calotes, somou 6,2 bilhões de reais, segundo dados do BC. Um ano antes, a Caixa fizera provisão para perdas com inadimplência de 7,1 bilhões de reais. A Caixa Econômica anunciou nesta segunda que divulgará seus resultados consolidados do semestre na terça-feira pela manhã. - Vale (SA:VALE3) A Moody’s mudou nesta segunda-feira a perspectiva para o rating da Vale (SA:VALE3) de negativa para estável, mantendo a nota ‘Ba1’, citando maior visibilidade dos custos e passivos financeiros da mineradora após o rompimento de uma de suas barragens em Brumadinho (MG). Após o desastre, a empresa provisionou um total de 6 bilhões de dólares no primeiro semestre de 2019, englobando ações para recuperação socioeconômica e ambiental das áreas afetadas pelo rompimento, recursos esses que serão desembolsados principalmente durante o período de 2019 a 2021, observou a Moody’s em relatório. “Como a Vale (SA:VALE3) continua gerando fluxos de caixa livres positivos, não esperamos nenhum impacto significativo na liquidez ou alavancagem da empresa”, argumentou. “O retorno gradual das operações que foram suspensas após o acidente é também uma consideração para a perspectiva estável.” - Oi (SA:OIBR4) A Oi (SA:OIBR4) está em conversando com instituições financeiras para buscar um financiamento adicional de até 2,5 bilhões de reais, conforme comunicado da companhia nesta segunda-feira. De acordo com a Oi (SA:OIBR4), sue plano de recuperação judicial prevê diversas formas de financiamento adicional. Nesse contexto, a empresa afirma que, além dos recursos obtidos com o aumento de capital, poderá buscar, se necessário, em até dois anos da data da homologação judicial do plano, novos recursos no mercado, no montante de até 2,5 bilhões de reais. "Estas captações serão realizadas em condições atrativas para viabilizar a capitalização dos recursos necessários à consecução das atividades do grupo, podendo ser realizadas, entre outras formas, mediante a emissão de pública de ações ordinárias ou de novos instrumentos de dívida, incluindo dívidas com garantia", afirmou a Oi (SA:OIBR4) no comunicado. - Exportações As exportações de minério de ferro pelo Brasil em agosto somaram 30,11 milhões de toneladas, um recuo de 15,5% na comparação com mesmo mês do ano passado e de 12% ante julho, mostraram dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) nesta segunda-feira. Já as exportações de milho dispararam, para 7,65 milhões de toneladas, com alta de 170% frente a agosto passado e avanço também frente aos 6,32 milhões de toneladas registrados em julho. O número do mês passado é um novo recorde para o cereal, superando os 6,317 milhões de toneladas de julho, confirmando expectativas. Em etanol, as exportações em agosto foram de 314,4 milhões de litros, alta de 30% na comparação anual, registrando o maior volume desde outubro de 2013, segundo dados compilados pela Reuters. Em julho, as vendas externas de etanol somaram 206,7 milhões de litros. AGENDA DE AUTORIDADES - Jair Bolsonaro A terça-feira do presidente começa com café da manhã com Luiz Eduardo Ramos, Ministro-Chefe da Secretaria de Governo; Deputado Pastor Marco Feliciano (PODE/SP), Vice-Líder do Governo no Congresso Nacional; e Sérgio Dávila, Diretor de Redação do jornal Folha de S.Paulo. Em seguida, se reúne com Ernesto Araújo, Ministro das Relações Exteriores; Paulo Guedes, Ministro da Economia; Marcos Pontes, Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações; e José María Álvarez-Pallete López, Presidente Mundial do Grupo Telefônica (SA:VIVT4). Na parte da tarde, participa do Lançamento da Campanha Semana do Brasil. - Paulo Guedes O ministro da Economia inicia a terça-feira acompanhando o presidente da República em audiência com José Maria Álvarez-Pallete, presidente Mundial da Telefonia-Vivo, seguindo o restante do dia com uma agenda de reuniões. Confira a programação: - Reunião de Governança - Audiência com o deputado federal Vanderlei Macris (PSDB/SP) - Reunião semanal com o secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel - Reunião semanal com o secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, Marcos Troyjo - Reunião com o secretário especial de Produtividade e Competitividade, Carlos Da Costa, e o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho - Reunião semanal com o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Salim Mattar.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content