sábado, 04 de dezembro de 2021
Ibovespa estável após Fed

Ibovespa fica perto da estabilidade após decisão do Fed

11 dezembro 2019 - 17h49Por Redação SpaceMoney
O Ibovespa, principal índice acionário da B3, a bolsa brasileira, segue operando próximo à estabilidade na sessão desta quarta-feira (11). Com pequenas oscilações, o marcador responde à manutenção das taxas básicas de juros dos Estados Unidos. Após a decisão do Fed em manter o intervalo do juros estadunidense entre 1,50% e 1,75%, o Ibovespa registrou baixa, mas logo se recuperou. Assim, às 16h45, o marcador registrava alta de 0,19 %, aos 110.877,96 pontos. Além disso, o mercado também aguarda a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) em relação à Selic, a taxa básica de juros brasileira.

Dólar

Na direção oposta, o dólar comercial apresentava queda de 0,64%, cotado a R$ 4,12, no mesmo horário. Confira outros principais acontecimentos para o dia:

Copom

Termina hoje a reunião do ano do Comitê de Política Monetária (Copom), que deve confirmar as expectativas de um corte na taxa básica de juros (Selic) de 0,5%, renovando a mínima história para 4,50%. Entretanto, especialistas alertam que o preço da carne, que teve alta nos últimos dias, pode adiar esse corte para o início do ano que vem.

Guerra comercial

Domingo (15) é o último dia antes da elevação de tarifas alfandegárias de 10% para 15% sobre U$ 165 bilhões de produtos chineses por parte dos americanos. Esse fato deixa a semana como sendo decisiva para que se firmem acordos comerciais entre os dois países, porque analistas do mercado dizem que, depois de instauradas, é muito improvável que China e EUA voltem a conversar sobre uma resolução da guerra comercial. Segundo autoridades chinesas, existe a possibilidade dos EUA adiar esse aumento, mas nada foi declarado oficialmente por parte dos americanos.

Xp na Nasdaq

Nesta quarta-feira (11), a XP (NASDAQ:XP) estreou na bolsa de tecnologia de Nova York, a Nasdaq, e nos primeiros negócios a ação saltou 20% a US$ 32,50. Durante o leilão de abertura, o preço indicativo de abertura chegou a superar os US$ 35, o que seria uma alta de 30%. Ontem, o papel foi precificado a US$ 27,00, acima da faixa indicativa de preços de US$ 22 a US$ 25. O volume captado é de US$ 2,25 bilhões. Tal valor, representa o maior IPO de uma empresa brasileira em 2019.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content