Menu
Busca terça, 26 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile

Decisão de expansão do GPA deve beneficiar os resultados do grupo varejista

12 dezembro 2019 - 16h48Por Eduardo Guimaraes
Na quarta-feira (11), em evento para investidores, o CEO do Grupo Pão de Açúcar (GPA) (PCAR4) afirmou que o grupo voltará a abrir lojas da bandeira Pão de Açúcar. Isso encerra um ciclo de dois anos sem novas lojas. Além da abertura de lojas da bandeira mais nobre do grupo, o Pão de Açúcar, a companhia planeja continuar sua expansão na rede Assaí, dedicada ao chamado atacarejo, com a abertura de mais 20 unidades até 2022. A expansão da rede Assaí deve romper as fronteiras do Brasil, com a inauguração de uma loja na Colômbia em 2020. A empresa não pretende crescer apenas no varejo físico. O comércio eletrônico continuará sendo importante, com o grupo desenvolvendo um marketplace para a bandeira Pão Açúcar e investindo na melhoria da experiência do omnichanel (compras via aplicativo com retirada nas lojas físicas). A retomada da expansão da rede pelo GPA está ancorada nas expectativas de um crescimento da demanda nos próximos anos. Nas palavras do CEO "Teremos uma demanda que ninguém sabe como vai ser, mas que já se sabe que será extremamente positiva". As decisões devem beneficiar os resultados do grupo varejista. Durante o evento o GPA destacou que pretende investir 1,8 bilhão de reais em 2020, valor próximo do que foi investido neste ano. Em 2019, o investimento foi focado na parte digital, com abertura de lojas da bandeira Assaí, e conversão da bandeira Extra para as bandeiras Assaí, Compre Bem e Mercado Extra. Para 2020 o investimento será focado na abertura de lojas da bandeira Pão de Açúcar, expansão da rede Assaí e na continuidade das conversões na bandeira Extra. Em 2019 o destaque do GPA foi a rede de atacarejo Assaí. Pelo conceito Mesmas Lojas (Same Store Sales, SSS), as vendas subiram 7,2 por cento. Nas demais bandeiras do grupo, as vendas tiveram um aumento menor, de 1,9 por cento. Esse melhor desempenho é um dos motivos que levou a companhia para o plano de conversão de bandeiras. O movimento se iniciou dois anos atrás e deve continuar nos próximos anos. A meta é que de 25 a 30 lojas da bandeira Extra sejam transformadas em Assaí. A companhia continuará se desfazendo de lojas com baixo desempenho, principalmente da bandeira Extra. Cada uma delas consome aproximadamente 15 milhões de reais do lucro operacional do ano. Os avanços no digital, mudanças de bandeira e venda de lojas menos rentáveis vão se somar aos avanços macroeconômicos de 2020 e 2021 e devem impactar positivamente os resultados do grupo varejista.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: