segunda, 29 de novembro de 2021
BRF

BRF aproveita tempestade internacional e tem resultado acima das expectativas

03 março 2020 - 11h14Por Eduardo Guimaraes
A BRF (BRFS3) divulgou nesta terça-feira (3), antes da abertura do pregão, os resultados referentes ao quarto trimestre de 2019. O resultado foi bom e veio levemente acima das expectativas. A companhia registrou uma receita líquida no período de 9,3 bilhões de reais, com crescimento de 12 por cento no comparativo anual. O total no ano foi de 33,5 bilhões de reais, 10 por cento acima do realizado em 2018. O principal destaque foi o resultado operacional medido pelo Ebitda Ajustado, que alcançou 1,4 bilhões de reais no quarto trimestre de 2019 e 5,3 bilhões de reais ao longo do ano, um crescimento de 67 por cento e 115 por cento, respectivamente. O resultado contempla ganhos relacionados a ações tributárias realizadas no período na ordem de 90 milhões de reais apenas nos últimos três meses do último ano, ou um total de 880 milhões de reais ao longo de 2019. Mesmo excluindo tais ganhos, a margem Ebitda foi de 14,3 por cento no quarto trimestre e de 13,3 por cento em 2019, um aumento relativo de 4,1 pontos percentuais e 6,1 pontos percentuais. Com o forte resultado das operações e a venda de ativos ao longo do ano na ordem dos 1,8 bilhão de reais, a empresa fechou 2019 com uma relação Dívida Líquida/ Ebitda de 2,5x, bem abaixo dos 5,12x apresentados no fechamento de 2018. O lucro líquido no período foi de 690 milhões de reais e 1,2 bilhão de reais no ano, um aumento superior a 100 por cento na base anual e uma reversão do prejuízo de 2,1 bilhões de reais registrado ao longo de 2018. Mesmo com a queda nos volumes e perda de Market-share agregado, a BRF conseguiu apresentar um resultado sólido e obter seu primeiro resultado anual positivo em anos. Com a melhora no Ebitda e a geração de caixa apresentada no quarto trimestre, esperamos impacto positivo das ações no curto prazo. A performance operacional foi o grande destaque, frente ao ambiente desafiador de alta no custo dos grãos, mitigado pela substituição por outros insumos além de ganhos de eficiência. Já o volume e preço maior no segmento internacional decorrente da peste suína na África também ajudaram a alavancar os resultados da companhia. Dessa forma, a BRF aproveitou a tempestade internacional para gerar caixa e reduzir o seu elevado nível de endividamento, que tende a ser bem interpretado pelo mercado.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content