quinta, 02 de dezembro de 2021
Gafisa

Novo financiamento imobiliário pode impactar ações da Cyrela, Tecnisa e outras

16 agosto 2019 - 11h37Por Redação SpaceMoney
Por Eduardo Guimarães* Os bancos vão começar a oferecer financiamento imobiliário corrigido pela inflação (IPCA) no âmbito do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), após a resolução ser aprovada no Conselho Monetário Nacional (CMN). O presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães, comentou em entrevista sobre a nova modalidade de crédito imobiliário, com lançamento na próxima semana. No final da noite, o Banco Central do Brasil confirmou a medida que criou o crédito imobiliário atrelado à inflação no âmbito do SFH, que utiliza recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). As linhas que a Caixa vai lançar serão mais baratas do que as oferecidas pelo banco, indexadas pela TR. A expectativa é que as taxas de financiamento fiquem em IPCA mais um intervalo entre 2% a 5%, dependendo do perfil de crédito e do grau de relacionamento com o cliente. A notícia é positiva para o setor de construção civil especialmente para o segmento mais voltado à média renda, pois cria alternativas de fontes de recursos para o crédito imobiliário, reduzindo a dependência da poupança (atualmente 65% do saldo da poupança deve ser direcionado ao crédito imobiliário). Esperamos impacto positivo no preço das ações das empresas do setor imobiliário voltada ao segmento de média renda: Cyrela (CYRE3), Eztec (EZTC3), Even (EVEN3), Trisul (TRIS3), Tecnisa (TCSA3), Helbor (HBOR3) e Gafisa (GFSA3). O cliente que adquire o seu imóvel poderá escolher o indexador do financiamento imobiliário (TR ou IPCA) e o regime de capitalização (tabela SAC ou Price). Segundo o presidente da CEF, existe a possibilidade de securitizar e empacotar esse novo crédito imobiliário em IPCA em certificados de recebíveis imobiliários (CRIs), o que daria mais giro à carteira e pode representar nova fonte de recursos de financiamento para o setor imobiliário. A notícia é positiva pois o setor de construção civil começa a apresentar sinais de recuperação em termos de lançamentos e vendas no segmento de média e alta renda, e vai demandar fontes de financiamento para o seu crescimento. *Eduardo Guimarães é especialista em ações na Levante, empresa de recomendações, análises e carteiras de investimentos. Esta coluna é de inteira responsabilidade da Levante e não reflete, necessariamente, a opinião da SpaceMoney.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content