segunda, 06 de dezembro de 2021
Banco do Brasil

Gestoras batem bancos de varejo em fundos de renda fixa desde 2016, diz Economatica

22 agosto 2019 - 17h13Por Redação SpaceMoney
Um estudo divulgado nesta quinta-feira (22) pela plataforma de análise de investimentos Economatica mostra que, desde 2016, todos os fundos de renda fixa das gestoras no mercado batem os fundos de renda fixa dos bancos de varejos*. Para a comparação, a Economatica calculou a mediana dos prêmios sobre o CDI de todos os fundos de renda fixa desde 2013 até o dia 16 de agosto de 2019. No gráfico abaixo, podemos observar que em apenas duas oportunidades (2013 e 2015) os bancos de varejo tiveram um desempenho melhor que as demais gestoras. Após esse período, os fundos das gestoras passaram a dominar contra os de bancos de varejo analisados: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú Unibanco e Santander. Para o sócio da Ipê Investimentos Sérgio Brito, o melhor desempenho das gestoras contra os bancos se deve pela especialização que essas instituições possuem. “Eu acredito que quando você é especializado em uma única coisa, a tendência é que você seja melhor nisso que os outros. O foco dos bancos é o crédito. Além disso, com a minha experiência de mercado, acredito que os ativos dos fundos das gestoras são mais atraentes em rentabilidade para o investidor”, opinou. Fundos Exclusivos X Não Exclusivos de bancos de varejo Um segundo corte foi feito com fundos exclusivos e não exclusivos conforme dados cadastrais dos fundos na ANBIMA. Os Fundos Exclusivos são um tipo de investimento que agrega as mesmas características de um fundo de investimento normal. A diferença é que eles são estruturados de forma a atender apenas a um único investidor ou número restrito de cotistas. Esses, geralmente, possuem um capital muito alto e procuram proteger seu patrimônio com esses fundos. “Esses fundos alocam recursos de maneira personalizada em termos de gestão de risco e rentabilidade. As pessoas que possuem suas cotas contam com uma carteira customizada de acordo com seus interesses e com facilidades tributárias que só esse tipo de fundo possibilita, como a isenção do imposto de renda pelas movimentações internas que realiza e ausência de come-cotas”, explica Brito. Este levantamento considera todos os fundos de bancos de varejo e os compara com fundos exclusivos das mesmas instituições. No estudo podemos verificar que os fundos não exclusivos ganharam do CDI somente no ano de 2017. Já os fundos exclusivos na mediana bateram o CDI em todas as amostras, menos nos anos de 2013, 2015 e 2016. Veja abaixo: Fundos exclusivos X não exclusivos das demais gestoras Já os fundos não exclusivos das gestoras apresentaram perdem para o CDI em quatro das 12 amostras, segundo o levantamento. Enquanto isso, os fundos exclusivos ganham do CDI em dez das doze amostras. Veja abaixo: Todos os fundos de bancos de varejo X demais gestoras (Exclusivos X Não exclusivos) A amostra abaixo considera todos os fundos de renda fixa presentes em cada período. Assim, podemos verificar que, na indústria, com todas as amostras, os fundos exclusivos têm melhor desempenho que os fundos não exclusivos. *Para a amostra foram considerados todos os fundos de renda fixa conforme classificação ANBIMA e foram incluídos os fundos que estavam presentes em cada data, mesmo que hoje eles estejam encerrados. O levantamento foi efetuado com amostra variável já que o prêmio foi calculado em cada amostra com todos os fundos existentes em cada período, para isso a Economatica utiliza os fundos ativos e encerrados.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content