Menu
Busca domingo, 17 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
EUA

Facebook e banco central europeu entre as 5 notícias internacionais de hoje

25 julho 2019 - 09h55Por Investing.com
Confira as cinco principais notícias desta quinta-feira, 25 de julho, sobre os mercados financeiros: 1. BCE em destaque entre as atividades do bancos centrais O Banco Central Europeu deve anunciar sua decisão de política monetária às 8h45 em meio a especulações sobre um corte na sua taxa chave de depósito, atualmente em -0,4%. A alternativa mais provável é que o presidente, Mario Draghi, assinale um corte em setembro, com uma mudança na orientação do banco. As pesquisas de negócios fracas junto às empresas da Zona do Euro divulgados esta semana e uma outra queda do índice alemão de clima de negócios Ifo pela manhã reforçaram o argumento para a ação do BCE ainda hoje. O anúncio do BCE vem em linha a um cenário global de afrouxamento de política monetária, com a ampla expectativa de que o Federal Reserve deverá reduzir as taxas de juros na próxima semana. O presidente do Reserve Bank of Australia, Philip Lowe, disse durante a noite que era “razoável esperar um longo período de baixas taxas de juros”, pouco mais de um mês depois de cortar a principal taxa de juros do país para um patamar mais baixo de todos os tempos. Antes do anúncio do BCE, a Turquia deve anunciar um grande corte na sua taxa básica de juros às 8h00 da manhã. O presidente Recep Tayyip Erdogan - que recentemente demitiu o último governador do banco central - teria solicitado um corte de 3 pontos percentuais. 2. Dólar está próximo de uma alta de 1 mês graças à fraqueza dos rivais Mesmo que os mercados esperem uma redução de um quarto de ponto para as taxas de juros dos EUA em 31 de julho e coloque as probabilidades de mais de 25% para um corte de 50 pontos base, a fraqueza dos principais rivais do dólar viram a alta da moeda americana pela quinta sessão consecutiva pairar perto da máxima de um mês alcançado, na quarta-feira. Expectativas para um anúncio dovish do BCE, a orientação cautelosa do RBA e os temores de um Brexit difícil depois que Boris Johnson assumiu como primeiro-ministro no Reino Unido pressionaram suas respectivas moedas. Traders do dólar ainda ficarão de olho nos dados econômicos nos EUA que serão divulgados às 9h30. Dados sobre bens duráveis e pedidos iniciais de seguro-desemprego serão vistas pelo seu impacto potencial na política do Fed. 3. Facebook lidera desfile de ganhos de tecnologia As ações no Facebook (NASDAQ:FB) aumentaram quase 2% no comércio de pré-mercado depois de terem superado as expectativas de lucros graças a melhor receita média esperada por usuário. O diretor financeiro da companhia, David Wehner, alertou, no entanto, que o crescimento da receita poderá desacelerar nos próximos trimestres. A notícia do lucro veio depois que a Comissão Federal de Comércio anunciou um acordo de US$ 5 bilhões com o Facebook (NASDAQ:FB) em um acordo que exigirá que a empresa estabeleça um comitê interno de supervisão de privacidade. O Departamento de Justiça está investigando se as grandes empresas de tecnologia - provavelmente incluindo o Facebook (NASDAQ:FB), Google (NASDAQ:GOOGL), Amazon (NASDAQ:AMZN) e Apple (NASDAQ:AAPL) - estão engajadas em comportamento antitruste, enfrentando uma crescente onda de críticas de que se tornaram muito poderosos, em detrimento dos consumidores. 4. Resultados da Tesla e da Ford atingem sentimento em redemoinho de notícias do setor automotivo As ações da Tesla (NASDAQ:TSLA) caíram mais de 10% no comércio de pré-mercado depois que a empresa mais uma vez recuou sua linha do tempo para obter lucro. O prejuízo líquido da empresa foi maior do que o esperado e também anunciou que o pioneiro da bateria JB Straubel deixará seu cargo de diretor de tecnologia. O prejuízo trimestral foi mais profundo do que o esperado, e apesar das entregas recordes no trimestre, a receita ficou mais baixa do que as expectativas dos analistas. As ações da Ford (NYSE:F) afundavam já que a receita do segundo trimestre perdeu o consenso e a empresa ofereceu uma orientação para o ano mais fraca que o esperado. A rival japonesa Nissan (T:7201) também disse que cortaria 12.500 empregos em todo o mundo, um aumento de 2.500 para o número anunciado anteriormente, depois que os lucros trimestrais caíram em 98,5%. As ações da montadora alemã Volkswagen (DE:VOWG_p) contornaram a tendência com um aumento do lucro operacional do segundo trimestre de 10%, mas suas ações ainda caíram. Enquanto isso, a Toyota (NYSE:TM) anunciou um investimento de US$ 600 milhões na gigante chinesa Didi Chuxing em uma nova joint-venture para expandir a colaboração com a empresa na China. 5. Mercado futuro dos EUA misto antes das divulgações de resultados Os futuros dos EUA apontavam para uma abertura mista em Wall Street, com os investidores se preparando para outra rodada de resultados. Com 138 empresas do S&P 500 reportando lucros no fechamento de quarta-feira, a Earnings Scout respondeu aos temores de uma potencial recessão de lucros, dizendo que, até agora, "o crescimento dos lucros do S&P certamente desaceleraram, mas não é negativo". As ações da Anheuser Busch Inbev (NYSE:BUD) saltaram 6% no pregão de pré-mercado depois que a cervejaria da Budweiser bateu o consenso, registrando seu crescimento mais rápido em vendas de cerveja em mais de cinco anos no segundo trimestre. Ainda por vir estão, a 3M (NYSE:MMM), Bristol-Myers Squibb (NYSE:BMY), Comcast (NASDAQ:CMCSA) e Dow (NYSE:DOW) que apresentarão seus números depois da abertura. Após o fechamento do mercado, a controladora do Google, a Alphabet (NASDAQ:GOOGL), Amazon (NASDAQ:AMZN) e Intel (NASDAQ:INTC) divulgam os ganhos trimestrais.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: