Menu
Busca quinta, 28 de outubro de 2021
empresas

XP: as 10 empresas que pagarão mais dividendos em 2020

07 fevereiro 2020 - 15h38Por Redação SpaceMoney
A XP Investimentos divulgou nesta sexta-feira (07) um relação de dez ações que pagarão, segundo estimativa da corretora, dividendos acima da taxa Selic nos próximos anos. De acordo com a XP, com a nova redução dos juros básicos da economia brasileira, anunciada na última quarta-feira (05), os investidores terão de diversificar suas carteiras em busca de rentabilidade maior que a oferecida pela caderneta de poupança e pelos títulos públicos. Para isso, segundo a corretora, ações que pagam bons dividendos são boas opções. 

Empresas que mais pagarão

Entre as dez empresas que mais pagarão dividendos, nas estimativas da XP, quatro são do setor de geração ou transmissão de energia elétrica, duas de saneamento básico, duas de serviços financeiros, uma de construção civil e uma de siderurgia. Essas companhias, segundo a XP, têm um bom fluxo de caixa. 

Vantagens de cada uma

ISA CTEEP (TRPL4)

Desde 2018, a empresa tem uma política de dividendos que distribui 75% do lucro aos acionistas. Segundo a XP, a CTEEP é uma companhia com poucas dívidas, portanto não descarta o pagamento de dividendos extraordinários no futuro. É estimado um dividend yield de 8,0% em 2020-21.

Taesa (TAEE11)

Na visão da XP, a TAESA consegue aliar dividendos à busca por crescimento, seja pela participação em leilões de novas linhas, seja pela aquisição de projetos de outras empresas. Assim, a corretora estima um dividend yield de 7,4% em 2020-21.

AES Tietê (TIET11)

A AES Tietê apresenta lucros consistentes, embora possa haver um certo grau de volatilidade dependendo da incidência de chuvas. A companhia tem a prática de distribuir 100% do lucro líquido a acionistas a cada trimestre.Com isso, a XP estima um dividend yield de 8,3% em 2020-21.

Cyrela (CYRE3)

Com uma robusta geração de caixa da companhia, aliado ao redimensionamento do seu balanço (redução do seu patrimônio líquido), deve continuar levando a Cyrela a distribuir robustos dividendos nos próximos anos. De acordo com as perspectivas da XP, a companhia deve distribuir um dividend yield de 7,1% em 2020.

Engie (EGIE3)

A Engie ainda se destaca pela capacidade diferenciada de se proteger dos efeitos de baixa incidência de chuvas, além de ter expandido sua atuação para os setores de transmissão de energia e transporte de gás. Assim, a corretora estima um dividend yield de 7,2% em 2020-21.

Sanepar (SAPR11)

A empresa tem uma política de pagamento mínimo de 25% do lucro, além de 25% adicionais caso a situação financeira da empresa o permita, o que vem acontecendo desde 2012). Assim, a XP estima um dividend yield de 6,6% entre 2020 e 2022.

Itaú (ITUB4)

A empresa apresenta altos lucros e resiste à alta volatilidade política e econômica do Brasil. Assim, o Itaú se apresenta com um bom histórico de pagamento de dividendos, com expectativa de yield próximo a 5,7% para 2020 e tendo pago praticamente 90% dos lucros em dividendos em 2018.

Banco do Brasil (BBAS3)

Na mesma situação do Itaú, o Banco do Brasil apresenta bons resultados e resiste às tensões brasileiras. Dado que o banco é uma estatal e o fluxo de dividendos é importante para o governo também, a XP vê o banco bem posicionado para manter recorrência no pagamento de dividendos, com yield próximo a 5,5% em 2020.

Gerdau (GGBR4)

A empresa tem como diferencial sua exposição geográfica diversificada, possuindo operações relevantes fora do Brasil, com destaque para os Estados Unidos. Isso permite um certo grau de consistência nos lucros e, consequentemente, na distribuição de dividendos aos acionistas. Como política de dividendos, a empresa define o pagamento de proventos de, no mínimo, 30%, com distribuições trimestrais. Assim, a XP estima um dividend yield de 4,8% em 2020.

Copasa (CSMG3)

A empresa possui uma política de dividendos que prevê distribuição de no mínimo 25% e no máximo 50% do lucro. Além disso, há a possibilidade de distribuições extraordinárias caso certas condições de endividamento sejam cumpridas. Com base nas estimativas, a XP acredita que a Copasa deverá cumprir tais condições sem dificuldades, o que leva a corretora a estimar um potencial dividend yield de até 9,9% para os próximos anos.

Variáveis previsíveis

Ao avaliar as empresas sugeridas pela XP, Aislan Tito, da Ipê Avaliações, afirma que elas fazem parte de setores da economia mais previsíveis. “Essas empresas trabalham com projetos mais bem definidos, como construção de sistemas de redistribuição, etc. Elas costumam ter variáveis mais previsíveis, então são empresas mais seguras para investir e receber os dividendos”, comenta. Ele ainda faz um paralelo com empresas menores, que investem mais em infraestrutura do que em distribuição de capital. “Essas empresas mais tradicionais já são mais consolidadas no mercado, então elas não precisam reinvestir todo o seu lucro na própria companhia, elas podem distribuir mais entre os investidores”, finaliza.

Veja o histórico recente de pagamentos de dividendos dessas empresas

 

Por que empresas pagam dividendos?

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determina que empresas de capital aberto devem distribuir pelo menos 25% dos seus lucros para os acionistas. Eles podem ser repassados na forma de dividendos ou Juros Sobre Capital Próprio (JSCP). Se você quiser saber mais sobre as vantagens e desvantagens de receber cada um deles, leia nossa SpaceDica: O que são dividendos e juros sobre capital próprio?.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: