domingo, 28 de novembro de 2021
destaques

Destaques: vacinas derrubam dólar e índices voltam a subir

23 novembro 2020 - 10h25Por Investing.com

Por Geoffrey Smith, da Investing.com - O dólar americano perde força e ativos considerados de risco ganham impulso após mais notícias positivas sobre a vacina contra o coronavírus, dessa vez da AstraZeneca. Juiz da Pensilvânia derruba ação que questionava resultado da eleição presidencial dos EUA no estado.

Índices americanos devem abrir em alta, mas PMIs da Europa mostram cenário mais fraco mesmo com alguns países relaxando as restrições sociais. Enquanto isso, os preços do petróleo atingiram o maior nível desde agosto.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na segunda-feira, 23 de novembro.

1. Dólar cai com otimismo renovado por vacinas

O Índice Dólar caiu e os ativos considerados de risco subiram ao redor do mundo com mais notícias positivas sobre o desenvolvimento da vacina contra a Covid-19.

A AstraZeneca (SA:A1ZN34) (NASDAQ:AZN) disse que a prevenção, desenvolvida pela Universidade de Oxford, se mostrou 90% efetiva no teste de larga escala do laboratório. A companhia irá agora “preparar imediatamente a submissão dos dados às autoridades ao redor do mundo” que tenham abertura para aprovação inicial.

A vacina da farmacêutica corresponde a 40% de todas as negociações sobre a prevenção feitas a países de média e baixa renda, de acordo com a Bloomberg, o que justifica a reação positiva no mercado de câmbio para países emergentes nesta segunda-feira, como o rand sul-africano, o peso mexicano e o rublo russo.

Também, o órgão regulador americano deu autorização de caráter emergencial ao uso do tratamento experimental da Regeneron (NASDAQ:REGN) (SA:REGN34) contra a doença.VEJA TAMBÉM: Primeiros norte-americanos podem receber vacina contra Covid-19 em 11/12, diz autoridade

2. Pensilvânia dispensa ação de Trump

Um juiz federal na Pensilvânia rejeitou uma ação movida pelos advogados do presidente Donald Trump que visava anular o resultado da eleição, removendo o último grande obstáculo para que Joe Biden fosse declarado o vencedor oficial.

O juiz Matthew Brann decidiu que a equipe do Trump apresentou "argumentos jurídicos sem mérito e acusações especulativas, sem suporte de evidências".

Trump, que no fim de semana faltou à reunião do G20 de líderes mundiais sobre a resposta à pandemia global para jogar golfe, ainda estava repetindo os mesmos argumentos em tweets na noite de domingo.

O presidente eleito Joe Biden deve começar a nomear os cargos administrativos esta semana, com relatos que ele irá escolher Anthony Blinken para ser Secretário de Estado. Blinken atuou como vice do cargo entre 2015-2016.

3. Índices devem abrir em alta

Os índices americanos devem abrir em alta com as perspectivas para o fim da indefinição eleitoral ajudando as já positivas notícias sobre a vacina.

Perto das 8h55, o Dow Jones Futuros, o S&P 500 Futuros e o Nasdaq 100 Futuros subiam 0,7%, 0,49% e 0,33%, respectivamente.

Ações de empresas de cassino devem ficar em evidência após o governador de Nevada, Steve Sisolak, cortar a capacidade permitida de 50% para 25% para tentar conter o avanço do coronavírus no estado. Papéis de empresas de cruzeiro também devem ser penalizadas após o Centro de Controle de Doenças americano elevar o nível de atenção para o máximo desde o início da pandemia.

4. França, Reino Unido começam a relaxar lockdowns; PMIs em queda

A economia europeia recuou em novembro pela primeira vez em cinco meses com a pressão dos novos lockdowns na região.

A prévia dos índices de atividade dos gerentes de compra composto, que reúne as leituras da indústria e do setor de serviços, caiu de 50 para 46,1, enquanto os dados somente da indústria da Alemanha e da França subiram acima do esperado.

Do lado positivo, a França anunciou que irá reabrir lojas não-essenciais antes do Natal seguindo a forte queda no número de infecções, enquanto o Reino Unido deve anunciar ainda hoje o relaxamento de algumas medidas.

5. Petróleo sobe com ataque na Arábia Saudita

Os preços do petróleo atingiram o maior nível desde agosto após relatos de um ataque militar de rebeldes hutis iemenitas contra um centro de armazenamento e distribuição de petróleo da Arábia Saudita.

A Saudi Aramco (SE:2222), proprietária da instalação, não confirmou nenhum ataque, que seria um eco de um ataque mais sério às instalações no ano passado.

A notícia coincidiu com o encontro do príncipe herdeiro do país, Mohammed bin Salman, com o primeiro-ministro israelense Benyamin Netanyahu, o primeiro encontro conhecido entre chefes de governo sauditas e israelenses.

Por volta das 10h25, o Petróleo Brent Futuros subia 1,33%, a US$ 45,67, enquanto o Petróleo WTI Futuros avançava 1,08%, a US$ 42,88.

Veja os fatores que influenciam os mercados hoje

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content