quinta, 09 de dezembro de 2021

Destaques: resultados da Microsoft e queda do petróleo

28 outubro 2020 - 09h40Por Investing.com

Por Geoffrey Smith - Investing.com - Ações caem com o aumento da onda de coronavírus ameaçando novos bloqueios, a Microsoft (NASDAQ:MSFT); (SA:MSFT34) ganhou US$ 1 bilhão por semana no terceiro trimestre, a Turquia caminha para uma crise monetária e o petróleo cai devido a altas nos estoques dos EUA. Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na quarta-feira, 28 de outubro.

1. Vírus provoca liquidação global

Os mercados de ações globais caíam drasticamente à medida que vários países tornaram a restringir as reuniões sociais em uma tentativa de quebrar a tendência de aumento das infecções por coronavírus.

Várias notícias na Alemanha sugeriram que a chanceler Angela Merkel tentará fechar bares e restaurantes durante todo o mês de novembro em uma reunião com governadores estaduais em Berlim na quarta-feira.

A notícia chega apenas duas semanas depois que o conselho de especialistas econômicos do governo revisou para baixo suas previsões de crescimento para os próximos dois anos.

O índice DAX liderou as ações europeias na queda, caindo quase 3%, para uma baixa de quatro meses. O rendimento dos títulos do governo alemão a 10 anos caiu quatro pontos base, para -0,64%, o menor valor desde março. O índice Stoxx 600 caiu 1,8%, para uma baixa de cinco meses.

2. Resultados da Microsoft alimentados por nuvem e jogos

A Microsoft ganhou US$ 1 bilhão todas as semanas nos três meses até setembro, aproveitando uma onda sustentada de demanda por hospedagem em nuvem, computadores e videogame.

A receita aumentou 12%, graças em grande parte a um ganho de 48% no Azure, o serviço de hospedagem em nuvem da empresa, cujo crescimento foi acelerado pela tendência de trabalho remoto e restrições à socialização na vida real. O negócio de conteúdo de jogos, que gira em torno do produto Xbox, não ficou muito atrás, com um ganho de 30%.

A gigante com sede em Redmond foi a primeira das chamadas “Gigacaps” a relatar os lucros do terceiro trimestre após o fechamento na terça-feira. De forma ameaçadora, talvez, a ação caiu 1,5% no pregão após o fechamento, depois de não corresponder às expectativas com sua previsão de receita no trimestre atual.

3. Ações devem abrir em forte queda

As ações dos EUA devem abrir em forte queda, com a preocupação com a disseminação do vírus de forma alguma confinada à Europa. Os EUA registraram outros 74.000 novos casos de Covid-19 na terça-feira, enquanto as internações hospitalares aumentaram 50% em relação ao mês anterior, para mais de 44.000, de acordo com dados da Covidtracking.com.

Alguns dos maiores surtos de infecções ocorrem no meio-oeste, em estados de batalha eleitoral como Michigan, Wisconsin e Ohio, que foram amplamente poupados das duas primeiras ondas da pandemia. A Universidade Johns Hopkins estima que cerca de 227.000 americanos já morreram do vírus, mais do que em qualquer outro país do mundo.

Às 9h12 (horário de Brasília), os futuros do Dow caíam 475 pontos, ou 1,7%, os do S&P 500 caíam 1,5%, enquanto os futuros do Nasdaq caíam 1,3%.

VIX futuros, por sua vez, que acompanha o nível de volatilidade do mercado, subia 5,7%, para uma alta de três semanas.

Em balanços, a Boeing (NYSE:BA); (SA:BOEI34) e a General Electric (NYSE:GE); (SA:GEOO34) lideram uma lista numerosa de empresas que irão reportar hoje, enquanto Visa (NYSE:V); Visa (SA:VISA34) e Mastercard (NYSE:MA); (SA:MSCD34) lideram as divulgações após o fechamento.

4. Turquia segue em espiral em direção à crise monetária

lira da Turquia caiu para um novo recorde de baixa em relação ao dólar pelo quinto dia consecutivo, com os investidores perdendo a fé na capacidade do banco central de sustentá-la em relação ao dólar, que agora está subindo novamente devido aos fluxos de portos seguros no mundo mercados de câmbio. Às 9h16 (horário de Brasília), o dólar estava em 8,2804, alta de 1,2% no dia e mais de 20% em relação ao valor do banco central em agosto.

A moeda está em queda livre desde que o banco central optou por não aumentar as taxas de juros em sua reunião da semana passada e, na quarta-feira, o banco elevou sua projeção de inflação para o ano de 8,9% para 12,1%.

Não ajudou o fato de o presidente Recep Tayyip Erdogan parecer ter a intenção de antagonizar todos os parceiros internacionais mais importantes da Turquia com sua política externa nas últimas semanas: seu governo incomodou os EUA ao promover a compra de sofisticados sistemas de defesa antimísseis russos e está apoiando Guerra do Azerbaijão com a Armênia, apoiada pela Rússia, pelo enclave de Nagorno-Karabakh. Erdogan também aumentou a tensão com a UE em uma disputa sobre as reservas de petróleo e gás no Mediterrâneo oriental.

5. Petróleo cai devido a temores da demanda e aumento dos estoques; Zeta cresce

Os preços do petróleo caíam para uma baixa de três semanas em linha com outros ativos de risco, já que o aumento nos casos de coronavírus no hemisfério norte alimentou temores de nova destruição da demanda.

Às 9h12, os futuros do petróleo dos EUA caíam 4,7%, a US$ 37,72 o barril, enquanto o benchmark internacional Brent caía 3,8%, para US$ 40,02 o barril.

O sentimento azedou depois que o American Petroleum Institute relatou o maior aumento semanal nos estoques dos EUA em mais de três meses na terça-feira, em quase 4,6 milhões de barris. Os dados oficiais do governo são esperados às 11h30, como de costume.

O furacão Zeta deve chegar ao continente na quarta-feira como uma tempestade de categoria 2, com a fronteira do Alabama com o Mississippi devendo ter as piores ondas de tempestade.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content