Menu
Busca domingo, 24 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile

Destaques: números do emprego nos EUA e máximas nas bolsas da Europa

05 junho 2020 - 09h06Por Investing.com
Por Geoffrey Smith Investing.com - Os EUA divulgarão seu relatório oficial do mercado de trabalho para maio, e há possibilidade clara de uma surpresa positiva após os números melhores do que o esperado da ADP na quarta-feira (mesmo que isso tenha sido neutralizado, por sua vez, pelos números de pedidos iniciais de seguro-desemprego de ontem).

Os futuros de petróleo Brent estão acima de US$ 41 após relatos de um avanço nas negociações sobre níveis de produção com países superprodutores.

A mais recente dose de estímulo do BCE está reduzindo os spreads dos títulos e subindo as ações, enquanto os relatórios assombrosos da Broadcom e Slack podem pesar sobre os papéis de tecnologia.

Veja o que você precisa saber nos mercados financeiros na sexta-feira, 5 de junho.

1. É dia de Payroll de maio

A terceira das atualização do mercado de trabalho nos EUA esta semana chega às 9h30 com a publicação do relatório mensal de folhas de pagamento não-agrícolas do Departamento do Trabalho. Prevê-se que as folhas de pagamento teriam caído 8 milhões no mês até meados de maio, uma queda mais suave do que os 20,5 milhões vistos em abril, mas ainda assim um número que aponta para dificuldades imensuráveis ​​em todo o país. Espera-se que a taxa de desemprego suba para uma máxima de 19,7%, não atingida desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

Há possibilidade de uma surpresa positiva: a avaliação da ADP sobre as folhas de pagamento privadas na quarta-feira sugeriu um declínio muito mais suave, de apenas 2 milhões. No entanto, a última parcela dos números semanais de pedidos iniciais de seguro-desemprego na quinta-feira foi um lembrete de que a tendência está mudando mais lentamente do que os políticos - e os mercados de ações - gostariam de acreditar.

2. Euro e Stoxx atingem máximas de três meses após ação do BCE

Os ativos europeus estão aproveitando seu momento ao sol, depois que o Banco Central Europeu adicionou outros 600 bilhões de euros (US$ 680 bilhões) em seu fundo de compra de títulos de emergência em sua reunião na quinta-feira.

O euro chegou a US$ 1,1384, seu nível mais alto em relação ao dólar desde 10 de março, mas está se consolidando agora após uma alta de 10 dias seguidos desde que a Comissão Europeia anunciou seu próprio programa de 750 bilhões de dólares destinado a ajudar a economia da UE a se recuperar no próximo ano.

Os spreads de rendimento soberano se estreitaram desde março, após a dupla iniciativa de Bruxelas e Frankfurt, algo que está permitindo que as ações dos bancos cronicamente derrotados liderem o atual rali. O rendimento do título de 10 anos da Alemanha (bonds) chegaram a mínima de -0,324%, antes de se recuperar para -0,295%, alta de 8,8% às 08h30.

Stoxx 600, índice de referência pan-europeu, subia 1,17% a 370,52 pontos, próximo à máxima de 372,28 pontos.

Na quinta-feira anterior, o Bundesbank alemão disse que o pacote de estímulo anunciado por Berlim na quarta-feira diminuiria a contração da economia este ano em mais de 1% do PIB. O banco ainda espera um declínio de mais de 7% em 2020, enquanto o BCE vê a zona do euro encolher em 8,7%.

3. OPEP-Rússia concorda, a princípio, em estender negociações

Os preços do petróleo subiram novamente quando o chamado grupo de produtores da Opep+ concordou, a princípio, em estender o atual nível de restrição de produção em um mês, ou seja, até o final de julho.

O grupo se reunirá virtualmente no sábado para aprovar o acordo, que veio depois que o Iraque e a Nigéria concordaram em melhorar sua conformidade com o acordo firmado em abril, no auge do colapso da demanda global.

Às 8h15, os contratos futuros de petróleo dos EUA subiam 2,38% a US$ 38,30 por barril, enquanto o Brent, referência global, subia 3,13% a US$ 41,24 por barril, a primeira vez que ficou acima de US$ 41 desde março.

4. Ações devem subir mais com notícias sobre petróleo

Os mercados de ações dos EUA devem subir mais, voltando à tendência positiva após quedas do S&P 500 e do Nasdaq na véspera. O retorno do apetite ao risco vem com as notícias que saem da Opep. Isso marca uma semana notavelmente resiliente para as ações, que agora estão perto de recuperar os níveis pré-pandêmicos, à medida que o dinheiro dos estímulos continua encontrando seu caminho para os ativos financeiros.

Às 8h19, o contrato futuro de Dow Jones 30 subia 313 pontos ou 1,19%, enquanto o contrato futuro de S&P 500 tinha alta de 0,78% e o Nasdaq 100 Futuros subia 0,35%.

O índice do dólar, por outro lado, parecia ter atingido o máximo de 96,85, depois de perder 1,8% ao longo da semana, enquanto os futuros de ouro caíram 1,1%, a US$ 1.709,10 por onça.

5. Slack (NYSE:WORK) e Broadcom (NASDAQ:AVGO)colocaram um ponto de interrogação sobre as ações de tecnologia

Uma nota de cautela pode ser vista nas ações de tecnologia nesta manhã, após duas atualizações decepcionantes de nomes de destaque após o fechamento de mercado na quinta-feira.

A fabricante de chips Broadcom alertou que espera que os próximos trimestres sejam ofuscados pelas restrições da cadeia de suprimentos e por uma "redefinição substancial do sistema sem fio", também sugerindo que espera que o lançamento da próxima geração de iPhones (para os quais produz chips) seja adiado .

Separadamente, o serviço de mensagens Slack disse que não registrou nenhuma aceleração no crescimento da receita nos últimos três meses, apesar das percepções de que estava bem posicionado para lucrar com o boom do trabalho remoto. Os números da Slack contrastaram fortemente com os divulgados pela Zoom Video Communications Inc (NASDAQ:ZM) no início da semana.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: