sexta, 03 de dezembro de 2021

Destaques: decepção com novo iPhone e queda do petróleo

14 outubro 2020 - 09h26Por Investing.com

Por Geoffrey Smith - Investing.com - Os iPhones 5G da Apple (NASDAQ:AAPL) não correspondem às expectativas, os balanços bancários continuam a ser divulgados com Bank of America (NYSE:BAC), Wells Fargo (NYSE:WFC) e Goldman Sachs (NYSE:GS).

O mercado de ações da China atinge um novo marco e os preços do petróleo lutam para recuperar o nível de US$ 40.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na quarta-feira, 14 de outubro.

1. Novos iPhones da Apple (NASDAQ:AAPL)

O lançamento do iPhone 5G da Apple ficou aquém das esperanças dos otimistas, já que a empresa admitiu que muito de sua funcionalidade aumentada terá poucos benefícios imediatos para os clientes dos EUA, devido à lenta implementação das redes 5G.

As ações da Apple se estabilizaram no pré-mercado, depois de cair 2,7% na terça-feira, com o lançamento do novo produto. Os preços restritos da empresa para seus quatro novos modelos deixaram analistas preocupados com a possibilidade de as margens brutas serem afetadas.

Enquanto isso, a ASML, empresa holandesa cujas máquinas permitem que as fabricantes de chips imprimam os novos chips 5G, relatou resultados do terceiro trimestre bem acima das expectativas e orientados para outro ano de crescimento bem acima de 10% em 2021. Ambas as empresas terão que navegar pelas consequências potenciais de qualquer piora nas relações EUA-China.

2. Ações chinesas atingem marco

O mercado de ações da China ultrapassou a marca de US$ 10 trilhões pela primeira vez, um testemunho da força de suas empresas de tecnologia e do tamanho do mercado doméstico de que desfrutam, bem como do relativo sucesso do país na luta contra o vírus da Covid-19.

A China é a única grande economia do mundo que deve evitar uma contração neste ano, de acordo com o Fundo Monetário Internacional, que previa crescimento de 1,9% para o país em suas projeções atualizadas divulgadas na terça-feira.

No entanto, isso não impediu que empresas e setores individuais enfrentassem problemas: a Evergrande (HK:3333), maior incorporadora imobiliária do país, viu suas ações em Hong Kong caírem 16% depois de não levantar tanto quanto esperado em um aumento de capital. Os investidores estão cada vez mais preocupados com um muro de dívidas a vencer, e seus títulos denominados em dólares de 2025 agora são negociados a apenas 75 centavos, o que implica grandes expectativas de uma reestruturação da dívida.

3. Ações dos EUA mistas; resultados bancários ainda em foco

Os mercados de ações dos EUA devem abrir mistos, depois de uma sequência de quatro dias de vitórias na terça-feira, sob pressão de várias fontes. Além do impasse contínuo de estímulos e seu efeito de curto prazo na economia, também houve contratempos na busca por uma vacina para a Covid-19, bem como ganhos bancários menos tranquilizadores do que pareciam à primeira vista. Na noite de terça-feira, a Eli Lilly (NYSE:LLY) seguiu a Johnson & Johnson (NYSE:JNJ) na suspensão de seu teste de vacinas para a Covid-19 devido a um evento adverso.

Às 8h39 (horário de Brasília), o Dow 30 futuros subia 15 pontos, ou menos de 0,1%, enquanto o S&P 500 futuros caía 0,1% e o Nasdaq futuros ganhava 0,2%.

Os bancos devem estar no centro das atenções novamente hoje, com Wells FargoGoldman Sachs e Bank of America publicando seus resultados, junto com PNC Financial (NYSE:PNC) e US Bancorp (NYSE:USB).

Os resultados da United Airlines também serão examinados após a Delta ter ficado abaixo das expectativas na terça-feira.

4. FMI se prepara para assustar os mercados de títulos

A corrida para a reunião de outono do Fundo Monetário Internacional continua com a divulgação do monitor fiscal do FMI, que traçará o provável curso dos déficits orçamentários no próximo ano, após a pandemia.

É também a ocasião para uma série de discursos de banqueiros centrais, incluindo a Presidente do BCE, Christine Lagarde.

O FMI disse na terça-feira que espera que a pandemia atinja os mercados emergentes, excluindo a China, mais do que os desenvolvidos, com uma perda cumulativa de produção de cerca de 8,1% entre o início deste ano e o final de 2021.

5. Petróleo luta para se manter acima de US$ 40; dados da API esperados

Os preços do petróleo continuaram lutando para se manter acima do nível de US$ 40 o barril durante a noite, depois que as restrições de oferta da semana passada desapareceram na memória.

Às 8h39, os futuros do petróleo dos EUA caíam 0,3% a US$ 40,09 o barril, enquanto a referência internacional Brent caía 0,2% a US$ 42,38 o barril.

Às 17h30 o American Petroleum Institute publicará sua estimativa para os estoques da semana passada nos EUA. Analistas esperam que os dados do governo, esperados na quinta-feira desta semana por causa de feriado, mostrem um declínio de 3,39 milhões de barris nos estoques de petróleo na semana passada.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content