quinta, 02 de dezembro de 2021

Destaques: covid-19 nos EUA e tensão em Hong Kong

01 julho 2020 - 09h07Por Investing.com

Por Geoffrey Smith 

Investing.com - Texas e Califórnia registram novos recordes de infecções por Covid-19, enquanto Anthony Fauci alerta que os EUA está perdendo o controle do vírus. A economia da Europa está mostrando sinais de melhorias adicionais, enquanto a China realiza suas primeiras prisões em Hong Kong sob a nova lei de segurança nacional. 

As ações devem abrir em baixa em Wall Street antes do Índice ISM da indústria, enquanto os preços do petróleo recuperam impulso após novos sinais de queda na produção e recuperação da demanda. 

Aqui está o que você precisa saber nos mercados financeiros na quarta-feira, 1º de julho.

1. Califórnia e Texas registram novos casos de infecção

O Texas registrou um recorde de 6.900 novos casos de coronavírus na terça-feira, enquanto a Califórnia registrou um novo recorde de 8.441, segundo a Reuters. Os números ampliam o alerta feito na terça-feira pelo principal infectologista dos EUA, Anthony Fauci, de que o país está perdendo o controle da epidemia.

Fauci, chefe do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, disse que os EUA "estão indo na direção errada" e alertou que as novas infecções podem chegar a 100.000 por dia. Suas palavras vieram antes do fim de semana de 4 de julho, no qual eventos públicos e reuniões de família devem aumentar os riscos de transmissão.

Fauci disse que cerca de metade de todos os novos casos estão atualmente em quatro estados: Califórnia, Texas, Flórida e Arizona.

Uma pesquisa realizada pela CNBC mostrou que o progresso do vírus está fazendo com que o presidente Donald Trump seja avaliado cada vez mais negativamente menos de cinco meses antes da eleição de novembro.

2. Recuperação econômica na Europa com desaceleração no desemprego

A economia da Europa mostrou mais sinais de melhora após seu colapso no início do segundo trimestre.

O índice composto de gerentes de compras IHS Markit para a zona do euro em junho foi revisado para 47,4, enquanto o índice para o Reino Unido subiu acima de 50, sugerindo que a economia parou de se contrair. O economista-chefe do Banco da Inglaterra, Andrew Haldane, que votou contra o aumento da compra de títulos do banco no mês passado, também disse que a recuperação no Reino Unido está ocorrendo mais rápido do que o esperado.

Além disso, o aumento do desemprego na Alemanha desacelerou acentuadamente em junho para apenas 69.000, bem abaixo das expectativas de um aumento de 120.000. As vendas de automóveis na França aumentaram em pela primeira vez neste ano.

3. Ações devem abrir em baixa; ISM esperado

As ações dos EUA devem começar o terceiro trimestre em tom negativo, já que as preocupações com a propagação do vírus - e uma possível piora nas relações com a China - dominam o sentimento do mercado.

Às 8h42 (horário de Brasília), o contrato Dow Jones 30 Futuros caía 283 pontos, ou 1,1%, enquanto o contrato de futuros do S&P 500 caía 0,8% e o Nasdaq 100 futuros caía 0,6%.

O desconforto em relação aos ativos de risco está sendo refletido no preço do ouro, que subiu para uma nova máxima de oito anos depois de fechar acima de US$ 1.800 pela primeira vez desde 2012 na terça-feira. Às 8h41, o metal estava em US$ 1.791,70 por onça troy, uma queda de 0,5% em relação ao fechamento de terça-feira.

As ações em foco incluirão a Constellation Brands (NYSE:STZ), fabricante da cerveja General Mills, que irá divulgar balanço. O lançamento de dados do dia é o ISM Manufacturing Index às 11h, que deve subir de 43,1 em maio para 49,5 em junho. Há também o relatório de folhas de pagamento privadas da ADP para junho.

4. China ataca Hong Kong

A polícia chinesa fez suas primeiras prisões em Hong Kong sob a nova lei de segurança, promulgada na terça-feira.

A lei, que prevê sentenças de prisão perpétua contra os condenados por subversão, sedição e terrorismo, foi imposta sem ser lida na própria legislatura da cidade.

A CNN relatou cerca de 70 prisões em resposta a protestos relativamente pequenos em comparação com as ações pró-democracia ocorridas antes da explosão da pandemia de coronavírus.

5. Petróleo se recupera com evidência de reequilíbrio

Os preços do petróleo recuperaram um momento de alta após dados mostrando uma clara queda nas exportações do Iraque em junho, o país com maior excesso de produção da Opep+.

Às 8h42, os preços do petróleo dos EUA subiam 1,7%, a US$ 39,95 por barril, enquanto o índice internacional Brent subia 1,4%, a US$ 41,86 por barril.

O clima também foi ajudado por uma queda muito maior do que o esperado nos estoques de petróleo dos EUA - conforme relatado pelo American Petroleum Institute - que tranquilizou os traders de que o processo de reequilíbrio do mercado ainda não foi atrapalhado pelo aumento de casos de Covid-19 nos EUA.

A extensão do reequilíbrio foi ilustrada na terça-feira - embora com números de grande interesse histórico -, após a Administração de Informação de Energia dizer que a produção de petróleo dos EUA caiu em abril para 12,06 milhões de barris por dia, queda 300.000 bpd maior do que o estimado.

Os dados de estoque do próprio governo da semana passada devem ser publicados às 11h30.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content