quarta, 08 de dezembro de 2021

Destaques: ações em queda e eleições nos EUA

25 setembro 2020 - 09h20Por Investing.com

Por Geoffrey Smith - Investing.com - As ações devem cair pela quarta semana consecutiva. Os pedidos de bens duráveis ​​devem oferecer um pouco de suporte.

Amazon (NASDAQ:AMZN) está entrando em jogos baseados na nuvem e a disputa fiscal da Apple (NASDAQ:AAPL) na União Europeia continua.

A Itália está se saindo melhor com a Covid-19 pela segunda vez e o Partido Republicano promete uma transição ordenada de poder depois de novembro.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na sexta-feira, 25 de setembro.

1. Ações em curso para 4ª queda semanal

Os mercados de ações dos EUA devem abrir mistas após uma recuperação modesta na quinta-feira, já que os temores quanto às perspectivas econômicas mantêm as ações em curso para uma quarta semana consecutiva de perdas.

Às 9h06 (horário de Brasília), o Dow Jones Futuros caía 114 pontos, ou 0,42%, enquanto o contrato S&P 500 Futuros caía 0,3% e o Nasdaq Futuros sbuia 0,15%.

As ações que provavelmente estarão em foco mais tarde incluem Costco (NASDAQ:COST), que relatou ganhos melhores do que o esperado após o fechamento na quinta-feira, ajudada por evidências renovadas de clientes estocando produtos em antecipação a um retorno de medidas de saúde pública mais restritivas para conter o coronavírus.

2. Dados de bens duráveis esperados, confiança do empresário italiano surpreende

Os pedidos de bens duráveis ​​dos EUA para agosto dominam um calendário de dados amplamente vazio. Os bens duráveis ​​essenciais, que eliminam elementos voláteis e "irregulares", como aeronaves, devem ter aumentado 1,2% em relação a julho, uma desaceleração adicional de uma recuperação inicialmente forte no verão.

Paul Donovan, economista-chefe do UBS Global Wealth Management, observou que, embora a tendência de trabalhar em casa deva apoiar a compra de bens duráveis ​​por algum tempo - especialmente equipamentos relacionados ao escritório -, ela também diminui o investimento empresarial em itens comparáveis, deixando os dados agregados estáveis.

Na Europa, a Itália encerrou uma semana de pesquisas de confiança dos empresários com uma leitura surpreendentemente forte, reforçando a impressão de que o país está lidando com a segunda onda do coronavírus muito melhor do que lidou com a primeira.

3. Amazon (NASDAQ:AMZN) lança serviço de jogos em nuvem

A Amazon seguiu a Microsoft (NASDAQ:MSFT) no lançamento de um serviço de assinatura de jogos baseado em nuvem, em mais uma evidência dos gigantes da tecnologia defendendo mais negócios com consumidores presos em casa.

O serviço, que se chamará Luna, vai estrear na quinta-feira por US$ 5,99 ao mês e opção de compra de um controle por US$ 50. No início desta semana, a Microsoft concordou em pagar US$ 7,5 bilhões pela ZeniMax, proprietária da editora de vídeo games Bethesda Softworks.

O serviço está entre um punhado de novos produtos e serviços apresentados pela Amazon em um evento corporativo na quinta-feira. Outros itens anunciados incluem novos alto-falantes e dispositivos relacionados à segurança.

No entanto, não havia sinal da Amazon entrando no mercado de dispositivos de exercício conectados, rumores que atingiram as ações da Peloton Interactive (NASDAQPTON) no início da semana.

4. Republicanos prometem transição ordenada

Os republicanos de alto escalão prometeram uma transição ordenada de poder após as eleições de novembro, um dia depois que o presidente Donald Trump se recusou a fazer tal compromisso por temor de fraude eleitoral.

O líder do Senado, Mitch McConnell, tuitou que haveria uma "transição ordenada, como ocorre a cada quatro anos desde 1792", o ano da reeleição de George Washington.

As preocupações de Trump sobre o abuso de cédulas pelo correio foram repelidas na quinta-feira pelo diretor do FBI Christopher Wray, que foi nomeado pelo próprio Trump. Wray disse ao Comitê de Segurança Interna do Senado que “não vimos, historicamente, nenhum tipo de esforço coordenado de fraude eleitoral nacional em uma grande eleição, seja por correio ou de outra forma”.

5. UE apela de decisão do tribunal em disputa com a Apple

A disputa fiscal da Apple com a União Europeia deve continuar, possivelmente por um ano ou mais. A Comissão Europeia disse na sexta-feira que vai apelar de uma decisão do Tribunal de Justiça Europeu.

O TJCE no início deste ano havia derrubado uma ordem da Comissão à Apple para devolver cerca de US$ 15 bilhões em impostos à Irlanda, sob o argumento de que o acordo fiscal entre os dois violava a lei antitruste da UE.

As ações da Apple (NASDAQ:AAPL) caíam 0,2% no pré-mercado.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content