Menu
Busca sábado, 23 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Magazine Luiza

Crescimento do Magazine Luiza parece interminável, indicam analistas

30 outubro 2019 - 10h25Por Investing.com
O Magazine Luiza (SA:MGLU3) superou, mais uma vez, as expectativas dos analistas do mercado financeiro ao apresentar um resultado no terceiro trimestre de 2019 que renovou a visão de que a empresa ainda tem um enorme espaço de crescimento. O lucro líquido ficou em R$ 136,3 milhões, o que mostra um avanço de 12,7% em relação ao mesmo período de 2018. O crescimento veio impulsionado tanto pelas receitas da operação física (+ 19%), quanto da online (+ 51%; + 96% quando considerada a Netshoes (NYSE:NETS)). No e-commerce, as vendas geradas no marketplace dispararam 300% e responderam a 26% do total online no período. “Estamos traçando o caminho previsto na estratégia: um crescimento exponencial e acima da expectativa, impulsionado pelo ganho de participação, pelo marketplace e pela incorporação das vendas da Netshoes no nosso resultado”, diz Frederico Trajano, CEO do Magazine Luiza. Oportunidades Os analistas Victor Saragiotto e Pedro Pinto do Credit Suisse ressaltam a maior participação das vendas online no total e que o próximo trimestre deve marcar o primeiro período com vendas físicas menos representativas do que as geradas no e-commerce. Isso, contudo, não significa que não há espaço de crescimento nas lojas físicas, que ainda podem elevar a penetração, e em outros segmentos, como um negócio de soluções de pagamento mais poderoso. “O slogan do Magazine Luiza é o crescimento, que parece interminável em um futuro previsível”, explicam Saragiotto e Pinto. Para o BTG Pactual (SA:BPAC11), o investimento nas ações do Magazine Luiza ainda se justifica tendo em vista dois principais pontos. O primeiro está ancorado no crescimento secular do e-commerce no Brasil, que pode pelo menos triplicar até 2025. O segundo tem apoio na tendência de consolidação adiante. Assim como em mercados maduros, o setor deve se reorganizar com apenas alguns vencedores. “Graças a uma jornada impressionante e bem-sucedida nos últimos anos, o Magazine Luiza é visto pelo mercado como um desses vencedores em potencial no comércio eletrônico brasileiro”, indicam os analistas Luiz Guanais e Gabriel Savi. O BTG recomenda a compra das ações, enquanto o Credit Suisse possui uma indicação neutra. O posicionamento é o mesmo da Eleven Research, que vê o preço atual das ações já incorporando “um crescimento robusto”.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: