Menu
Busca segunda, 25 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Criptomoedas

Como proteger seus investimentos em criptomoedas

06 agosto 2020 - 13h56Por Redação SpaceMoney

Ao longo da última década, vimos crescer o interesse pelos investimentos em criptomoedas. Atualmente, esse tipo de investimento é muito presente e falado no mercado financeiro. As criptomoedas estão fazendo parte da carteira diversificada de diversos investidores brasileiros.

As criptomoedas tem como base uma tecnologia chamada de blockchain, que proporciona transações financeiras seguras e rápidas. Criado em 2009, com o blockchain surgiu também o Bitcoin (BTC), que posteriormente inspirou diversas outras moedas digitais. 

Por ser um sistema descentralizado, o blockchain não depende de uma autoridade central, de modo que também não está suscetível a falhas e problemas que a instituição poderia se submeter. É um sistema tecnológico e moderno que garante a segurança das transações.

De todo modo, o mercado das criptomoedas também é alvo de hackers e criminosos, que vão atrás de eventuais descuidos dos investidores. Por isso, separamos algumas dicas e avisos sobre como você pode se proteger desse tipo de problema ao investir nas moedas digitais.

Dicas de segurança

Você toma muito cuidado com o seu cartão de crédito e seus dados bancários, certo? Com dinheiro ninguém brinca. Da mesma forma, é preciso estar atento à proteção das suas criptomoedas. Existem algumas medidas de segurança para você ter sempre o acesso das suas criptomoedas em mãos, além de se proteger de hackers. 

Escolha a melhor carteira

Para a sua carteira de criptomoedas, escolha empresas confiáveis e renomadas no mercado. A carteira armazena suas moedas digitais, e, através do blockchain, elas enviam e recebem valores. 

Converse com outros investidores, pesquisa a reputação das empresas, e faça uma escolha sábia do serviço em que você vai confiar todas as suas moedas. Além disso, é importante você saber que existem dois tipos de carteiras: as cold wallets (offline) e as hot wallets (online). Com a hot wallet, você tem uma carteira para facilitar as transações do dia-a-dia, enquanto na cold wallet você pode armazenar grandes quantidades que você não irá mexer a curto prazo.

Faça sempre um back-up

Uma boa estratégia é fazer um back-up offline semanal da sua carteira, para um pen-drive ou HD externo. Essa é uma medida que elimina os riscos de um ataque virtual de hackers.  

Inclusive, armazenar suas chaves em um documento físico também ajuda, no caso de perda desses dispositivos, ou invasão dos seus dados na rede. 

Crie um e-mail exclusivo

Imagine que você usa apenas um e-mail para todos os serviços que você possui, e a partir de algum deles, criminosos conseguem o acesso à sua conta de e-mail. Esse seria um grande risco, já que eles teriam acesso a todas as suas contas em corretoras e carteiras, certo? 

Por isso, uma dica importante é você ter um e-mail exclusivo para lidar com suas criptomoedas. Se você quiser ainda uma camada extra de segurança, pode até mesmo criar um e-mail diferente para cada criptomoeda ou serviço. Dessa forma, caso você tenha problemas em algum setor, isso não afetará os outros. 

Conheça os golpes mais comuns

Assim como qualquer segmento, o mercado das criptomoedas não está livre de pessoas mal intencionadas. Como explicamos, o sistema do blockchain é extremamente seguro contra golpes e falhas técnicas. Porém, ainda assim, estamos suscetíveis a fraudes que se apoiam na falta de atenção das pessoas. 

Esses golpes fazem com que as vítimas voluntariamente divulguem seus dados de acesso ou com que realizem alguma ação prejudicial a partir de algum tipo de manipulação. Por isso, listamos abaixo alguns dos crimes mais comuns no universo das moedas digitais. Estar ciente da existência desses golpes e se informar sempre é o primeiro passo para não cair em uma furada. Confira!

Phishing

Cuidado com os e-mails e SMSs que você recebe! Não abra qualquer link e não forneça suas informações em qualquer lugar. O phishing é um crime que consiste em obter informações pessoais como dados de acesso e senhas a partir da falsificação de mensagens. 

Tratam-se de mensagens falsas que fingem ser de alguma empresa ou serviço que você utiliza. Algumas falsificações não são bem feitas, possuindo erros de ortografia e links visivelmente estranhos. Entretanto, outras são muito profissionais, conseguindo copiar exatamente a identidade visual de determinada empresa, de modo que só os mais atentos conseguirão perceber a fraude. 

Atente-se para tons de ameaça ou urgência, como, por exemplo, e-mails de algum serviço utilizado avisando que se você não entrar na sua conta imediatamente ela será desativada. Os criminosos utilizam esse tipo de linguagem para causar medo e fazer com que as vítimas apressadamente façam o que foi pedido. Sem perceber o golpe, você acaba clicando no link fornecido e fazendo seu login a partir da página falsificada. Nesse momento, os criminosos passam a ter acesso aos seus dados de login de uma determinada conta, podendo fazer o que bem entendem com isso.

No mercado das criptomoedas, são comuns os golpes de phishing referentes às falsificações de mensagens de corretoras de criptomoedas e de serviços de carteiras virtuais, visto que a partir destas contas os criminosos conseguem ter acesso às suas moedas digitais e roubá-las para suas contas. Como o sistema do blockchain é anônimo, fica ainda mais difícil conseguir rastrear os culpados e recuperar seus ativos. 

Sendo assim, sempre que você receber uma mensagem suspeita de alguma plataforma digital que você utiliza para seus investimentos, não responda nem clique em qualquer link sem analisar muito bem o conteúdo da mensagem. Na dúvida, entre em contato direto com o canal de suporte da empresa, para averiguar a veracidade da mensagem recebida. 

FUD

FUD é a sigla para “fear, uncertainty and doubt”, que podemos traduzir como “medo, incerteza e dúvida”. Essa é uma estratégia utilizada para descredibilizar alguma empresa ou serviço a partir da veiculação de notícias falsas. Trata-se de uma arma competitiva que tem afetado diversas empresas há décadas. 

Com informações sensacionalistas e duvidosas, o FUD acaba influenciando a percepção de muitas pessoas e suas decisões de compra. Isso acontece sempre com alguma intenção por trás, de modo a movimentar o mercado a favor de quem circulou as notícias. 

No caso das criptomoedas, são comuns as notícias falsas informando alguma característica negativa de uma determinada criptomoeda, no intuito de causar a venda em massa da mesma, além de evitar com que novos usuários a comprem. Isso causa a desvalorização da moeda e a queda em seu preço. Outro exemplo é a circulação em massa de notícias falsas informando que um determinado governo proibiu a circulação de criptomoedas. Isso faz com que inúmeros cidadãos deste país vendam suas moedas. 

Também aparecem notícias criticando o mercado das criptomoedas de forma geral, provavelmente originadas de defensores dos investimentos tradicionais. A questão é que, como muitas vezes essas notícias estão em portais relevantes, muitas pessoas são influenciadas por elas. Por isso, é importante acompanhar o mercado com frequência, em diferentes sites de notícias, para ficar mais fácil discernir uma notícia verdadeira de uma falsa. Outra dica é também participar de fóruns e grupos de conversa com outros investidores, favorecendo a comunicação e o compartilhamento de informações. 

Tokens falsos

Um golpe conhecido no universo das criptomoedas é a venda de tokens falsos. A partir de muita divulgação e marketing, novas criptomoedas entram em cena, atraindo investidores entusiasmados. Porém, pode acontecer dessas criptomoedas serem falsas, e os investidores nunca terem um retorno, já que compraram um ativo que não existe.

Algumas vezes, essas criptomoedas recebem um nome parecido com o de alguma criptomoeda famosa, para trazer mais credibilidade e enganar as pessoas facilmente. Com um bom marketing, essas criptomoedas falsas são adicionadas a agregadores de preços, divulgadas em portais de notícias e também ganham seu próprio site.

Esse tipo de fraude pode causar inúmeras vítimas. Um caso que ficou muito conhecido foi o da moeda OneCoin, da Bulgária, que recebeu grandes quantias de investimentos, prejudicando muitos investidores em diversos países.

Entender os riscos dos investimentos em criptomoedas é um dos primeiros passos para preparar sua entrada nesse mercado com sucesso. Se você ainda está em dúvida, te contamos por que vale a pena investir em Bitcoins neste post!

* Por Natália Zamprogno, analista na BitcoinTrade

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: