Menu
Busca terça, 19 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Ibovespa futuro

Com dados externos e balanços, Ibovespa futuro inicia o dia com queda

30 julho 2020 - 09h35Por Investing.com

Por Gabriel Codas - Investing.com - O índice futuro do Ibovespa começa a sessão desta quinta-feira com queda de 0,64% aos 104.825 pontos às 09h24, com o dólar registrando valorização de 0,69% a R$ 5,2050 antes da divulgação do PIB dos EUA do segundo trimestre.

O mercado terá um dia de fatores opostos pesando sobre os desempenhos dos índices acionários. Um dos fatores que podem pesar negativamente é a prévia do PIB americano do segundo trimestre, que pode trazer uma queda recorde, a exemplo do que já aconteceu com os dados da Alemanha.

Por outro lado, dados locais, como a temporada de balanços, em especial com números da Vale (SA:VALE3) e do Bradesco (SA:BBDC4), além do avanço das discussões da reforma tributária e da aprovação de um pacote de ajuda para pequenas empresas podem pesar de forma positiva no mercado local.

- Cenário Interno

IGP-M

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) passou a subir 2,23% em julho contra alta de 1,56% em junho, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quinta-feira.

A expectativa em pesquisa da Reuters era de avanço de 2,12% no mês BRIGP=ECI.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

Covid-19

O Brasil atingiu nesta quarta-feira novo recorde de mortes registradas em 24 horas por Covid-19, com mais 1.595 óbitos, elevando o total de vítimas fatais da doença no país a 90.134, e também registrou um novo recorde de casos confirmados, com mais 69.074 notificações, totalizando 2.552.265, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Os números nacionais desta quarta-feira foram impactados por uma atualização de dados da véspera do Estado de São Paulo que não foram contabilizados na terça-feira devido a um problema técnico. Somente em SP foram incluídos no sistema nesta quarta 26.453 novos casos e mais 713 óbitos.

O recorde anterior de mortes registradas em 24 horas por Covid-19 no Brasil era do dia 4 de junho, com 1.473 óbitos, enquanto o maior número de casos registrados em um dia havia ocorrido em 22 de julho, com 67.860.

Na semana passada, o Brasil registrou seu maior número de casos semanais desde o início da pandemia, com 319.653 infecções, indicando que enfrenta seu pior momento desde que foi atingido pela crise do coronavírus.

- Cenário Externo

Alemanha

A economia da Alemanha contraiu 10,1% no segundo trimestre, recuo mais acentuado já registrado, uma vez que os gastos das famílias, os investimentos empresariais e as exportações despencaram durante a pandemia de Covid-19, mostraram dados preliminares nesta quinta-feira.

A agência de estatísticas informou que a queda foi a mais forte desde 1070 e pior do que a contração de 9% esperava por economistas em pesquisa da Reuters. Ela encerrou quase 10 anos de crescimento econômico.

“Agora é oficial, é a recessão do século”, disse o economista do DekaBank Andreas Scheuerle.

“O que até agora foi impossível de conseguir com as quebras dos mercados acionários ou os choques do preço do petróleo foi alcançado por uma minúscula criatura chamada Corona.”

EUA

A economia dos Estados Unidos provavelmente contraiu no segundo trimestre no ritmo mais acentuado desde a Grande Depressão uma vez que a pandemia de Covid-19 destruiu os gastos dos consumidores e das empresas, potencialmente apagando mais de cinco anos de crescimento.

A maior parte das perdas históricas nos dados do Produto Interno Bruto a serem divulgados pelo Departamento do Comércio nesta quinta-feira aconteceu em abril, quando a atividade quase parou depois que restaurantes, bares e fábricas foram fechados em meados de março para conter a disseminação do coronavírus.

Embora a atividade tenha acelerado a partir de maio, o ímpeto diminuiu em meio a um ressurgimento de novos casos da doença, especialmente nas densamente povoadas regiões Sul e Oeste, onde autoridades estão fechando as empresas de novo ou dando uma pausa na reabertura. Isso reduziu as esperanças de uma forte recuperação do crescimento no terceiro trimestre.

China

A China vai avançar com reformas abrangentes e profundas com maior força, disse o presidente Xi Jinping nesta quinta-feira segundo a mídia estatal.

Ele também afirmou que a China vai resolver de forma proativa riscos, desafios e a enorme pressão de qualquer área, segundo a Xinhua.

Xi falou sobre a agenda econômica para o segundo semestre do ano em reunião com pessoas fora do Partido Comunista.

Líderes do partido decidiram na quinta-feira que a quinta sessão plenária do atual mandato do partido acontecerá em outubro, informou a Xinhua. Sessões plenárias geralmente dão o tom e direção para o trabalho do governo.

Zona do euro

A confiança econômica da zona do euro se recuperou mais do que o esperado em julho uma vez que os governos relaxaram as restrições relacionadas à pandemia de Covid-19, com os ganhos mais fortes em indústria e serviços embora os consumidores tenham se tornado mais sombrios.

A Comissão Europeia disse que o sentimento econômico subiu a 82,3 pontos em julho de 75,8 em junho, superando a expectativa do mercado de 81,0.

O sentimento na indústria saltou a -16,2 de -21,6 em junho e em serviços houve aumento a -26,1 de -35,5. Mas entre os consumidores, a confiança piorou a -15,0 em julho de -14,7 no mês passado.

BOLSAS INTERNACIONAIS

Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,26%, a 22.339 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,69%, a 24.710 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,23%, a 3.286 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,49%, a 4.656 pontos.

A quinta-feira dá sinais fortemente negativos nos mercados europeus, com o DAX, de Frankfurt, caindo 2,91% aos 12.450 pontos, enquanto que em Londres, as perdas são de 1,90% aos 6.015 pontos. Já em Paris, o CAC cede 1,63% aos 4.878 pontos.

COMMODITIES

A sessão desta quinta-feira foi marcada por uma nova importante valorização nos preços dos contratos futuros do minério de ferro, que são negociados na bolsa de mercadorias da cidade de Dalian, na China. O ativo com o maior volume de operações, com data de vencimento para o mês de setembro deste ano, somou 1,02% para 840,00 iuanes por tonelada, o que representa avanço de 8,5 iuanes em relação aos 831,50 iuanes de liquidação da véspera.

No mesmo sentido, a jornada teve como principal característica o avanço das cotações futuras dos papéis do vergalhão de aço, que são transacionados na bolsa de mercadorias da também chinesa cidade de Xangai. O contrato com mais liquidez, com data de entrega para o mês de outubro do presente calendário, avançou 19 iuanes para um total de 3.767 para cada tonelada produto. Já o de janeiro de 2021, segundo em volume, teve ganhos de 14 iuanes para 3.609 iuanes por tonelada.

No caso do petróleo, a preocupação dos investidores puxa uma forte queda do produto. Em Londres, o barril do tipo Brent tem recuo de 1,70%, ou US$ 0,75, a US$ 43,34. Já em Nova York, o WTI cede ,08%, ou US$ 0,86, a US$ 40,41.

MERCADO CORPORATIVO

- Bradesco

O Banco Bradesco (SA:BBDC4) divulgou nesta quinta-feira uma queda de 40,1% no lucro do segundo trimestre com o aumento de provisões multibilionárias para créditos de liquidação duvidosa.

O segundo maior banco privado do país teve um lucro líquido recorrente, que exclui itens extraordinários, de 3,873 bilhões de reais contra 6,462 bilhões de reais no ano anterior e também 10,3% abaixo da estimativa média de 4,316 bilhões de analistas consultados pela Refinitiv .

O banco reservou 3,8 bilhões de reais e 747 milhões de reais em provisões extraordinárias para enfrentar as perdas esperadas com empréstimos e seguros relacionados à pandemia de Covid-19, respectivamente.

No primeiro trimestre, o Bradesco já havia provisionado 2,7 bilhões de reais para possíveis perdas com crédito.

- Ambev (SA:ABEV3)

A Ambev informou nesta quinta-feira que seu lucro líquido caiu pela metade no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, com as vendas e volumes afetados pela pandemia do coronavírus e despesas financeiras maiores.

A subsidiária brasileira da Anheuser Busch InBev lucrou 1,27 bilhão de reais entre abril e junho, de acordo com o balanço, queda de 51,4% na comparação anual, conforme medidas de isolamento social alteraram as dinâmicas de consumo de bebidas.

O desempenho operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado recuou 28,6% para 3,35 bilhões de reais, com a margem Ebitda ajustada caindo para 28,8% ante 38,6% no segundo trimestre de 2019.

“O impacto total da pandemia do Covid-19 em nossos resultados futuros permanece incerto”, disse a Ambev no comunicado.

- Vale

A mineradora Vale anunciou nesta quarta-feira um lucro líquido de 995 milhões de dólares no segundo trimestre, ante um prejuízo de 133 milhões de dólares no mesmo período do ano passado, quando a empresa foi atingida pelo rompimento de uma barragem em Minas Gerais.

A companhia também reportou um crescimento de 8,8% na geração de caixa medida pelo Ebitda ajustado, para 3,37 bilhões de dólares, devido principalmente aos maiores preços realizados do minério de ferro, “refletindo a demanda saudável vinda da China”.

O preço realizado CFR/FOB do minério de ferro da companhia totalizou 88,9 dólares por tonelada no segundo trimestre, um aumento de 5,1 dólares ante o primeiro trimestre, após a retomada da atividade industrial na China, com a redução de casos de Covid-19.

O lucro líquido da empresa, apesar de ter ficado abaixo da projeção da Refinitiv, de 1,5 bilhão de dólares, superou os 239 milhões de dólares registrados no primeiro trimestre, mesmo diante de impairment em ativos de 314 milhões de dólares, após o anúncio em maio da exclusividade para negociar a venda da produtora de níquel VNC.

Além disso, o conselho aprovou pagamento de juros sobre capital próprio (JCP) deliberados em 19 de dezembro de 2019, de aproximadamente 1,41 real por ação.

“Como outro passo importante na frente da alocação de capital, também estamos anunciando a retomada da nossa política de dividendos”, destacou o diretor-presidente da Vale.

- TIM

A TIM sofreu queda de cerca de 24% no lucro líquido ajustado do segundo trimestre ante o mesmo período do ano passado, apesar de forte crescimento na base de clientes de banda larga fixa e manutenção nas linhas pós-pagas de telefonia móvel.

A companhia também divulgou nesta quarta-feira proposta de reorganização societária em que pretende obter ganhos de eficiência operacional e financeira. O plano envolve a incorporação da empresa controladora TIM Participações pela subsidiária integral TIM SA (SA:TIMP3), com listagem desta no segmento Novo Mercado da B3.

A terceira maior operadora de telefonia móvel do país teve lucro líquido ajustado de 260 milhões de reais, enquanto o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado ficou praticamente estável, a 1,98 bilhão de reais. Um ano antes a empresa contabilizou crédito fiscal de 2,9 bilhões de reais por conta de decisão judicial que excluiu o ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins.

A base de clientes banda larga disparou quase 20% no período, para 606 mil, enquanto as linhas pós-pagas de telefonia celular se mantiveram no patamar de 21,3 milhões. Porém, as linhas pré-pagas sofreram queda de 8,7%, para 30,7 milhões. A receita líquida do grupo recuou 6,5%.

- Pão de Açúcar

O GPA (SA:PCAR3) teve queda de 20,3% no lucro líquido do segundo trimestre, impactado por operações descontinuadas, apesar de crescimento expressivo nas vendas em meio à pandemia do novo coronavírus.

Dono das bandeiras Pão de Açúcar, Assaí e Extra, o grupo varejista teve lucro líquido consolidado das operações no Brasil, Argentina, Colômbia e Uruguai de 333 milhões de reais de abril a junho, segundo balanço divulgado nesta quarta-feira.

Excluindo as operações da Via Varejo (SA:VVAR3), na qual o GPA vendeu sua participação em meados do ano passado, o lucro líquido subiu para 274 milhões de reais ante 65 milhões no segundo trimestre de 2019.Em novembro, a controladora do GPA, o grupo francês Casino, concluiu uma reorganização societária de seus ativos na América Latina em que o GPA incorporou o grupo colombiano Almacenes Éxito.

Com isso, a receita bruta consolidada do GPA saltou 61,1% no segundo trimestre, para 22,9 bilhões de reais, dos quais 17,08 bilhões vieram do Brasil. As vendas brutas subiram 26,4% na rede de atacarejo Assaí e 13,6% na unidade chamada “multivarejo”, que envolve as bandeiras Extra, Pão de Açúcar e Compre Bem. As operações de comércio eletrônico dispararam 272% sobre o segundo trimestre do ano passado, como efeito do isolamento social.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) cresceu 83,2%, para 1,54 bilhão de reais, e a margem Ebitda ajustada passou de 6,6% para 7,6%.

- Petrobras (SA:PETR4)

A Petrobras informou na noite desta quarta-feira que poderá obter até 16,9 bilhões de reais, antes dos efeitos fiscais, após a companhia ter obtido uma decisão favorável em um processo em que buscava recuperar contribuições de PIS e Cofins pagas a mais.

De acordo com informação anterior da Petrobras, teria havido cobrança além do devido em razão da inclusão do ICMS na base de cálculo das contribuições a partir de outubro de 2001.

Segundo a empresa, os valores serão reconhecidos nas demonstrações financeiras do segundo trimestre de 2020.

- Vale

O Tribunal de Contas da União autorizou nesta quarta-feira a renovação antecipada dos contratos de concessão da ferrovia Vitória-Minas e da Estrada de Ferro Carajás, ambas administradas pela Vale.

Os contratos preveem investimentos de 21 bilhões de reais, sendo 8,5 bilhões de reais na Vitória-Minas e 9,8 bilhões na Carajás, além do investimento cruzado, que permite usar parte do valor de outorga para construir novas ferrovias com investimento privado. O prazo do contrato é de 30 anos.

Neste caso, a previsão é de que 2,73 bilhões de reais serão destinados para a construção da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico) entre Mara Rosa (GO) e Água Boa (MT), trecho que vai escoar a produção de soja e milho do Vale do Araguaia, até a Ferrovia Norte-Sul.

- JBS (SA:JBSS3)

A JBS afirmou nesta quarta-feira que investiu mais de 100 milhões de reais (19,3 milhões de dólares) em medidas, sistemas e processos de contingência em saúde e segurança para todas suas fábricas no Brasil.

A companhia, maior processadora de carne do mundo, afirmou que os recursos foram investidos em dezenas de ações nos últimos três meses, incluindo contratação de profissionais de saúde, aumento de frota de ônibus de transporte de funcionários e compra de 180 mil proteções faciais para os trabalhadores.

As medidas envolveram as 135 unidades da empresa, incluindo centros de distribuição, escritórios e outras instalações no país, onde emprega 130 mil pessoas, afirmou a companhia.

- IPO do Soma

A Grupo de Moda Soma (SA:GSOM3) movimentou 1,823 bilhão de reais em sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), após a operação ter sido precificada nesta quarta-feira no centro da faixa estimada pelos coordenadores.

A operação da companhia, que se apresenta como a maior plataforma de moda do país, captou 1,35 bilhão de reais na oferta primária, ações novas, cujos recursos irão para o caixa.

A empresa pretende usar esse dinheiro para abrir mais lojas e comprar mais marcas, além de pagar dividendos e dívidas.

A oferta secundária do Soma, dono das marcas Animale, Cris Barros e A.Brand, para público feminino; Fábula, para crianças; e Foxton, para homens, movimentou 472,5 milhões de reais, com quase 40 vendedores, segundo o prospecto preliminar.

Itaú BBA, JPMorgan, Bank of America e XP Investimentos coordenaram a operação. A oferta saiu a 9,90 reais por ação, no centro da faixa indicativa de preço de 8,80 a 11 reais.

A empresa deve estrear no pregão da B3 na sexta-feira (31), negociada sob o ticker GSOM3.

- Ecorodovias (SA:ECOR3)

A Ecorodovias afirmou está priorizando contenção de despesas e avaliando adiar investimentos devido à Covid-19, que entre outros efeitos provocou queda de 13,4% no tráfego das estradas sob sua concessão no segundo trimestre.

A companhia também emitiu mais de 2,5 bilhões de reais em dívida para ampliar sua liquidez financeira desde abril.

Responsável pela gestão do Sistema Anchieta-Imigrantes, que liga a capital paulista ao litoral e ao Porto de Santos, a Ecorodovias anunciou nesta quarta-feira que teve lucro líquido de 35,3 milhões de reais entre abril e junho, queda de 41,2% ante mesma etapa do ano passado.

Desconsiderando pagamentos por acordos com o Ministério Público de São Paulo e de leniência, o lucro teria subido 47%, a 84,2 milhões de reais.

A receita líquida da companhia, excluindo as geradas por construção, recuou 7,5%, também refletindo o impacto da pandemia nas operações do porto de Santos.

Já o resultado operacional da companhia medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) somou 354,3 milhões de reais, queda de 18,2% no comparativo ano a ano.

A Ecorodovias fechou junho com 1,58 bilhão de reais em caixa, queda de 24% em três meses. A alavancagem financeira, medida pela relação dívida líquida sobre Ebitda subiu de 3,1 para 3,3 vezes de março para junho.

- AES

A norte-americana AES Corp (NYSE:AES) pretende acelerar a expansão de sua unidade de energia renovável no Brasil, AES Tietê, após ter chegado nesta semana a um acordo com o BNDES para a compra de parte das ações do banco estatal na companhia que envolveu cerca de 1,27 bilhão de reais.

O crescimento da AES Tietê focará possíveis aquisições de ativos eólicos, podendo aproveitar eventuais oportunidades surgidas com a crise do coronavírus, e a busca por contratos de longo prazo para desenvolver usinas de geração limpa que atendam diretamente à demanda de clientes, disse à Reuters nesta quarta-feira o chefe da AES na América do Sul, Julian Nebreda.

O executivo confirmou ainda que a AES pagará 17,15 reais por ação no negócio fechado com o BNDESPar, o que representa um total de 1,265 bilhão de reais por 18,5% do capital social da AES Tietê.

“A operação confirma nossa confiança no mercado brasileiro, na economia do Brasil e nas oportunidades que o mercado brasileiro oferece. O modelo da Tietê representa o futuro do setor elétrico e é o que a AES quer fazer globalmente”, disse Nebreda, em conversa por videoconferência.

- Petrobras

A Petrobras informou que foi aprovado pelo Conselho de Administração da companhia o lançamento de 950 milhões de reais em seu balanço do segundo trimestre deste ano, para contemplar um acordo de pagamento ao fundo Petros pelo fim de litígio arbitral relacionado à Sete Brasil.

Segundo fato relevante divulgado nesta quarta-feira, o acordo tem por objetivo obter ressarcimento sobre alegados danos materiais na empresa de sondas Sete Brasil.

“O acordo extingue o litígio sem reconhecimento de culpa ou responsabilidade por ambas as partes e não afeta outras ações judiciais ou arbitragens envolvendo as Partes, bem como outros litígios envolvendo o investimento na Sete Brasil.”

A companhia ainda disse que informará, oportunamente, a data de realização do pagamento à Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros) e permanece em defesa de seus interesses nos processos em curso.

- Localiza (SA:RENT3)

A maior empresa de aluguel de carros do país, Localiza, viu seu lucro no segundo trimestre cair mais que a metade, impactada pelas medidas de isolamento social que fecharam lojas e pontos de venda de seminovos e restringiram a circulação nas cidades.

A companhia teve lucro líquido de 89,9 milhões de reais de abril a junho, queda anual de 52,7%, com a receita líquida recuando cerca de 32%, a 1,57 bilhão de reais.

Porém, a empresa afirmou em balanço divulgado nesta quarta-feira, que dos 529 pontos de aluguel de carros que tem no Brasil, 393 já voltaram a funcionar e das 125 lojas de seminovos, 124 estão operantes. Com isso, a Localiza em junho retomou nível de aluguel de 120 mil carros, mesmo patamar registrado um ano antes.

A empresa afirmou que diante da queda na demanda por aluguel de carros em boa parte do trimestre, reduziu compra de veículos junto a montadoras e manteve a venda. A estratégia reduziu a frota em 16,9 mil carros, produzindo uma geração de caixa de 655,5 milhões de reais.

- Enel (MI:ENEI)

A elétrica Enel, maior empresa de serviços de utilidade pública da Europa, reduziu seu “guidance” para 2020 nesta quarta-feira, citando efeitos cambiais, depois de superar expectativas ao registrar um leve aumento no lucro no primeiro semestre do ano.

Em comunicado, o grupo italiano disse que a receita principal ordinária avançou 0,4% no período, a 8,794 bilhões de euros, impulsionada pelas unidades de energia renovável e comercialização.

A Enel, que controla a espanhola Endesa e possui diversos negócios na América Latina, disse que não espera uma recuperação das moedas latino-americanas até o final do ano.

A empresa passou a projetar as receitas essenciais no ano em cerca de 18 bilhões de euros, ante “guidance” anterior de cerca de 18,6 bilhões de euros.

O lucro líquido ordinário no ano deve ficar entre 5 bilhões a 5,2 bilhões de euros, versus projeção anterior de cerca de 5,4 bilhões de euros.

AGENDA DE AUTORIDADES

- Jair Bolsonaro

O presidente da República viaja nesta quinta-feira para São Raimundo Nonato (PI) onde participa da cerimônia alusiva ao acionamento do Sistema Integrado de Abastecimento de Água de Campo Alegre de Lourdes, visitando em seguida o Parque Nacional da Serra da Capivara e o Museu da Natureza, antes de retornar a Brasília.

- Paulo Guedes

- Videoconferência com o secretário especial da Receita Federal, José Tostes;

- Videoconferência com o secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco;

- Videoconferência - Reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN);

- Videoconferência com representantes das operadoras de telecomunicações do Brasil;

-  Videoconferência com a primeira Dama, Michele Bolsonaro, secretária-executiva do Programa Pátria Voluntária.

(Com contribuição de Reuters)

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: