terça, 30 de novembro de 2021

Bancos lucram mais que todas as empresas juntas e puxam aumento de 9% nos ganhos no 1º tri

16 maio 2019 - 16h42Por Angelo Pavini
O lucro de empresas de capital aberto brasileiras cresceu 9,14% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, puxado pelo setor bancário, segundo estudo da Economatica. Sem os bancos, as empresas registram queda de 2,55% no lucro. O levantamento foi elaborado com todas as empresas brasileiras de capital aberto com demonstrativos financeiros apresentados à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), sem contar com Petrobras, Vale e Oi, que distorceriam o levantamento. A empresa de telefonia Oi, por exemplo, teve um lucro de R$ 30 bilhões no primeiro trimestre do ano passado, reflexo de ajustes contábeis em meio a sua recuperação judicial. No mesmo período deste ano, o valor caiu para R$ 568 milhões. A diferença é mais que todo o lucro das empresas abertas no ano passado, sem os bancos. Já a Vale passou de um lucro de R$ 5 bilhões em 2018 para um prejuízo de R$ 6,4 bilhões por conta da tragédia de Brumadinho. Petrobras foi a que teve menor distorção, passando de lucro de R$ 6,961 bilhões para R$ 4,031 bilhões este ano.

Lucro de R$ 42 bi no trimestre com bancos ganhando R$ 21,5 bi

Segundo a Economatica, 304 empresas de capital aberto brasileiras registraram um lucro consolidado de R$ 42,0 bilhões no primeiro trimestre de 2019, contra R$ 38,5 bilhões no ano de 2018, um crescimento de 9,14% ou 3,52 bilhões. O lucro dos bancos sozinho, de R$ 21,5 bilhões, representa mais da metade de todo o ganho e mais que o de todas as demais empresas abertas.

Lucro de R$ 20,5 bi sem bancos

A mesma análise, porém sem os bancos, reúne 282 empresas de capital aberto que apresentam um lucro consolidado de R$ 20,5 bilhões neste ano, para um ganho de R$ 21,0 bilhões no primeiro trimestre de 2018, queda de R$ 538 milhões ou -2,55%. Considerando Petrobras, Vale e Oi o resultado das empresas no primeiro trimestre de 2019 sobe para R$ 40,2 bilhões, contra R$ 81,1 bilhões no ano de 2018, uma queda de R$ 40,9 bilhões ou -50,4%.

Só quatro setores com prejuízo

Dos 27 setores analisados somente quatro registram prejuízo no primeiro trimestre e o setor de Papel e Celulose registra a maior perda consolidada. Onze dos 27 setores registram queda de lucratividade em 2019.
Lucro liquido empresas de Capital aberto brasileiras em R$ Milhares

Dos 10 maiores lucros, 4 são de bancos

Os bancos superaram a Petrobras em termos de lucros no primeiro trimestre deste ano. Entre os 10 maiores lucros do ano, quatro são de bancos. Assim, os setores com os maiores lucros em termos nominais são o setor bancário com cinco empresas e o setor de energia elétrica com quatro empresas.
Maiores lucros no primeiro trim de 2019 R$ Milhares

Vale, Suzano, BRF e PDG lideram os prejuízos do trimestre

Entre as 20 empresas com maiores prejuízos no primeiro trimestre de 2019, Vale lidera as perdas, sob os efeitos da tragédia de Brumadinho, que trouxe um impacto de R$ 19 bilhões em seu resultado do primeiro trimestre e poderá ter novos efeitos ainda por alguns trimestres e anos. Em seguida vem Suzano, refletindo as oscilações do dólar e do mercado de celulose em meio à guerra comercial EUA-China, que afeta as commodities. BRF, dona das marcas Perdigão e Sadia, vem em terceiro lugar, ainda com os impactos dos problemas de gestão, que levaram a uma disputa entre os acionistas no ano passado, e das denúncias de problemas sanitários em algumas unidades e, por fim, declarações desastradas do novo governo envolvendo a embaixada do Brasil em Israel que irritaram os importadores árabes. Já PDG é o modelo da crise do setor de construção, apanhado pela recessão depois de um período de crescimento excessivo alavancado pelo crédito. Os setores com mais representantes são o setor de energia elétrica com quatro empresas e o setor de construção com 3 empresas.
Maiores prejuízos no primeiro trim de 2019 R$ Milhares
Itaú lidera lucros da América Latina O ItauUnibanco registra o maior lucro entre empresas de capital aberto da América Latina, seguido pelo Bradesco e Petrobras. Entre os 20 maiores lucros, 11 empresas são brasileiras, seis mexicanas, duas peruanas e uma chilena. O setor bancário é o mais presente com sete instituições.
Quantidade de empresas

Maiores prejuízos da América Latina

A Vale registra o maior prejuízo no primeiro trimestre de 2019 entre empresas de capital aberto da América Latina, seguida pelo Suzano e BRF. Entre os 20 maiores prejuízos temos quinze empresas brasileiras, quatro mexicanas e uma chilena. O setor de energia elétrica é o mais presente com quatro empresas.
Quantidade de empresas
O post Bancos lucram mais que todas as empresas juntas e puxam aumento de 9% nos ganhos no 1º tri apareceu primeiro em Arena do Pavini.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content