Menu
Busca quarta, 20 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Ibovespa Dólar

ABERTURA: Com mercados em colapso, Ibovespa despenca mais de 9%; dólar dispara a R$ 4,75

09 março 2020 - 10h10Por Redação SpaceMoney

O Ibovespa, principal índice acionário da B3, a bolsa brasileira, abriu em baixa nesta segunda-feira (09), seguindo o pânico generalizado nos mercados com o preço do petróleo e os receios com o coronavírus. Por volta das 10h25, as perdas eram de 9,36%, aos 88.828,14 pontos. O dólar comercial abriu em alta, com valorização de 2,56% ante o Real e cotado a R$ 4,753. Às 9h10, o Banco Central promoveu novo leilão no mercado de câmbio, no intuito de conter os ânimos em relação à alta da divisa norte-americana. O horário normal de funcionamento do mercado brasileiro, das 10h às 17h, é retomado hoje, com o início do horário de verão norte-americano. Veja os principais fatores que influenciam o mercado financeiro na sessão de hoje:

Mercados internacionais

As bolsas internacionais prenunciam o dia de queda generalizada. No Japão, o Nikkei afundou mais de 5%, enquanto a Bolsa de Xangai encerrou o pregão com perdas de 3%. Na Europa, DAX 30 derretia 7%, assim como o FTSE 100, enquanto o índice CAC 40 caía 7,30%. Em Nova York, os futuros operavam em campo negativo. Leia mais: No Japão, ações fecham em queda e Índice Nikkei 225 recua 5,38%

Petróleo

Após a discordância entre Rússia e Opep em relação aos cortes de produção, a petroleira estatal da Arábia Saudita, a Saudi Aramco, está oferecendo petróleo a preços abaixo dos oficiais. Além disso, o país faz preparativos para elevar a sua produção para mais de 10 milhões de barris ao dia (mbpd). Com isso, o preço do barril de petróleo chegou a cair 30%. Agora, o Brent é cotado a US$35,86/barril. A situação também derrubou moedas emergentes, como o peso mexicano.

Coronavírus

A epidemia da nova doença alcançou novos níveis na Itália, o segundo país com maior número de casos, com mais de 7 mil infectados. Milão, importante centro econômico, está em quarentena. No Brasil, os casos confirmados chegaram a 24, sem nenhum óbito. No mundo, as ocorrências do COVID-19 passam de 100 mil e as mortes chegam a 3.800.

Em Brasília

O presidente Bolsonaro endossou publicamente, no último sábado, as manifestações convocadas para 15 de março, que têm como pauta o fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal. O presidente, no entanto, disse que o movimento é "pró-Brasil". No Twitter, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, tentou aliviar as tensões, afirmando que a casa está pronta para dar continuidade às reformas.

Balanços

O noticiário corporativo, ofuscado pela crise do petróleo e os receios com o coronavírus, aguarda os resultados das empresas CPFL e Direcional para depois do fechamento dos mercados.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: