sexta, 19 de abril de 2024
Ações

Oi (OIBR3)(OIBR4) volta para a carteira de Nelson Tanure e ações sobem 130% no mês

Fontes informaram ao Valor Econômico que o fundo da Trustee que adquiriu participação na companhia está a serviço do acionista

22 fevereiro 2024 - 10h08Por Redação SpaceMoney
Oi (OIBR3)Oi (OIBR3)

A recente alta nos papéis da Oi (OIBR3)(OIBR4) — as ações ordinárias acumulam valorização de mais de 130% no mês e as preferenciais, mais de 50% — pode estar relacionada à volta do investidor Nelson Tanure à companhia em recuperação judicial.

A operadora informou na última quarta-feira (21) que a Trustee Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários alcançou a participação de 33,1 milhões de ações ordinárias, o equivalente a 5,14% do total do capital votante da companhia.

Fonte que acompanha de perto o processo de recuperação judicial da Oi confirmou ao Valor Econômico, que o fundo da Trustee que adquiriu participação na companhia está a serviço de Nelson Tanure.

Com a aquisição dos papéis, a Trustee deve se tornar o maior acionista individual da Oi, à frente do investidor Victor Adler e da corretora VIC, que detinham 0,02% das ações ordinárias e 10,40% das preferenciais. Juntas, as ações em poder de Adler somam 0,27% do capital social da operadora.

Na página da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Trustee aparece como administradora do Fundo de Investimento em Ações Nova Oi, constituído em 23 de janeiro. Por solicitação do administrador, a identificação dos ativos que compõem a carteira do fundo foi omitida do público em geral por 70 dias.

“Trata-se de um investimento, que tem a intenção de contribuir junto a empresa, autoridades, reguladores, poder judiciário do Rio de Janeiro, credores e a estrutura administrativa da empresa, em uma ampla solução para o soerguimento dessa relevante instituição de serviço público em todo o território nacional”, informou a Trustee à Oi, de acordo com o comunicado divulgado nesta quarta-feira (21).

Tanure chegou a ser um dos maiores acionistas da Oi durante a primeira recuperação judicial da companhia, iniciada em 2016, mas se desfez dos papéis antes do término do processo, em 2022.

Considerando valores de fechamento de terça-feira (20), a participação da Trustee é avaliada em R$ 42 milhões, mas os papéis apresentavam forte valorização na tarde desta quarta-feira (21).

As informações são do Valor Econômico.

Tags: Oi, oibr3, OIBR4