quarta, 22 de maio de 2024
Ações

O que acontece na Política - a nova ofensiva do governo Lula sobre a classe média

E, ainda, o jantar de André Esteves com investidores e gestores de fundos e, por fim, o destino de Mauro Cid, conforme o cronograma da Polícia Federal

22 abril 2024 - 11h00Por Redação SpaceMoney

Para atrair uma parcela da classe média no Brasil, o governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lança, nesta segunda-feira (22), um programa de refinanciamento de dívidas e de concessão de empréstimos que alcança até 95% das pessoas jurídicas no País, informou o blog de Daniela Lima, no g1.

Por refinanciamento de dívidas, em uma versão do Desenrola para PJs, o mandato pretende atender todos os microempreendedores individuais (MEI) e os inscritos no Simples, que faturam até R$ 4 milhões por ano.

Sobre os que faturam até R$ 360 mil, o governo pretende ser uma espécie de fiador para a concessão de empréstimos de até um terço do faturamento anual. Se o empreendimento for chefiado por mulheres, o empréstimo pode chegar até metade do faturamento, escreveu a jornalista.

 

O que diz André Esteves...

Em um jantar com investidores e gestores de fundos realizado em Lisboa (Portugal), André Esteves, dono do BTG Pactual (BPAC11), criticou a flexibilização recente nas metas fiscais do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e declarou que o presidente da República tem sido muito mais ideológico agora que em seus dois primeiros mandatos, informou o blog de Lauro Jardim, no jornal O Globo.

Esteves vê a reeleição do petista em 2026 como dificílima, se ele for candidato - seja pelo desgaste natural, seja porque a sociedade caminha para a direita. Contudo, elogiou Fernando Haddad, ministro da Fazenda, e aposta que Gabriel Galípolo deve suceder Roberto Campos Neto (RCN) na presidência do Banco Central (BC).

 

O destino de Mauro Cid

A Polícia Federal (PF) vai manifestar em junho sua posição sobre a anulação da delação do ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), o tenente-coronel Mauro Cid, informou o blog de Bela Megale, no jornal O Globo.

A posição à respeito do acordo vai ser colocada no relatório final da investigação que apura a tentativa de golpe de Estado e envolve o ex-presidente, integrantes de seu governo e militares.