quarta, 22 de maio de 2024
Ações

Destaques corporativos: Americanas (AMER3), Braskem (BRKM5), Cogna (COGN3) e Magazine Luiza (MGLU3)

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada

13 dezembro 2023 - 13h05Por Redação SpaceMoney

Americanas (AMER3), Braskem (BRKM5), Cogna (COGN3) e Magazine Luiza (MGLU3) são algumas das empresas que protagonizam o noticiário corporativo desta quarta-feira, 13 de dezembro:

 

Empresas

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada:

 

Americanas (AMER3)

Acionistas de referência aportarão R$ 3,5 bilhões em até quinze dias após a homologação da recuperação judicial de Americanas (AMER3). Banco Votorantim e Daycoval aderiram ao acordo de apoio à restrição e plano de recuperação judicial.

O plano de reestruturação recebeu o apoio de credores que detêm mais de 38,5% da dívida.

 

ii. A Americanas (AMER3) também foi informada que os titulares de 85,42% das debêntures da 17ª emissão representadas pelo Agente Fiduciário no âmbito do PRJ aprovaram, em assembleia geral de debenturistas, a adesão ao PSA pelo Agente, o que representa a comunhão de debenturistas perante a Emissora.

 

B3

O governo federal espera contratar quase R$ 1 bilhão em investimento com os leilões de locação de terminais portuários programados para esta quarta-feira, 13 de dezembro.

Ao todo, serão oferecidas, na sede da B3, em São Paulo (SP), seis áreas nas regiões Nordeste, Norte e Sul.

 

Banco Pan (BPAN4) lança CDB com rendimento de 130% do CDI

O Banco PAN (BPAN4) anunciou uma oportunidade de investimento em CDB de liquidez diária para seus clientes, com rendimento de 130% do CDI - a maior taxa do mercado para um banco com Rating AAA, com prazo de vencimento de 90 dias.

Leia mais aqui.

 

Braskem (BRKM5)

A agência de classificação de risco Moody s rebaixou os ratings da petroquímica, e mudou sua perspectiva para negativa.

Nesta quarta-feira, 13 de dezembro, o Senado Federal vai instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar o desastre ambiental em Maceió (AL).

Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI que investigou crimes e omissões do governo Jair Bolsonaro (PL) na condução do combate à pandemia de COVID-19, passou a ser o nome mais cogitado para coordenar o colegiado.

 

Braskem (BRKM5): ações caem, após Senado instalar CPI para investigar desastre em Maceió

O Senado instalou, nesta quarta-feira (13), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Braskem (BRKM5) que será presidida pelo senador Omar Aziz (PSD-AM) e terá o senador Jorge Kajuru (PSB-GO) como vice.

A Comissão irá investigar a responsabilidade da empresa petroquímica quanto ao desastre que sua mina de sal-gema gerou em Maceió (AL).

Com isso, as ações BRKM5 abriram esta quarta-feira (13), com queda de 1,31% a R$ 16,55, por volta das 10h30.

A escolha do relator será feita na próxima terça-feira (19), segundo Omar Aziz. O presidente da comissão disse que a votação do plano de trabalho da CPI e as sessões iniciais só serão realizadas em 2024. O início dos trabalhos só no que vem era um desejo do governo Lula.

A CPI preocupa o governo brasileiro, já que a Petrobras (PETR3)(PETR4) tem cerca de 35% de participação na Braskem. Assim, as investigações da CPI podem respingar na estatal.

A oposição no Senado poderá aproveitar para convocar políticos de casos relacionados à corrupção que foram alvos da operação Lava Jato, por exemplo.

 

 

Caixa Seguridade (CXSE3): conselho elege Humberto Magalhães para presidência do CA

A Caixa Seguridade (CXSE3) comunicou, na última terça-feira (12), que seu conselho de administração designou Humberto José Teófilo Magalhães como membro do CA, para a cadeira vaga existente.

Humberto Magalhães, formado em Direito pela Universidade de Brasília e pós-graduado em Economia pela George Washington University – EUA, atua como empregado concursado da Caixa Econômica Federal desde 1989 e atualmente é Diretor-Presidente da Caixa Cartões Holding S.A.

Já atuou em cargos executivos e de direção em diversas áreas na CAIXA e foi Diretor Comercial e de Produtos na Caixa Seguridade entre 2015 e 2016.

Também atuou como Diretor-Presidente da Seguros BRB, Presidente do Conselho de Administração da BRB Serviços e Conselheiro de Administração das empresas AMERICEL, TELET e TELEMIG.

Em decorrência da alteração na composição do órgão estatutário, o conselho de administração da companhia também elegeu Magalhães para presidência do CA.

 

Cogna (COGN3)

A Cogna (COGN3) informou que a gestora BlackRock passou a deter 15,4% de suas ações ordinárias (ON).

Leia mais aqui.

 

CPFL (CPFE3) anuncia restituição de capital no valor de R$ 0,58 por ação

A CPFL (CPFE3) informou, na última terça-feira (12), uma nova redução do capital da companhia. Em assembleia-geral extraordinária (AGE), acionistas aprovaram a formalização da redução do capital social da companhia no valor de R$ 350.000.000,00. 

Assim, o capital social da companhia passa de R$ 3.332.291.914,16 para R$ 2.982.291.914,16, sem o cancelamento de quaisquer ações representativas do capital social da companhia; mantidos, portanto, inalterados o número de ações e o percentual de participação de cada acionista no capital social.

Acionistas da companhia na data-base de 12 de dezembro terão direito ao recebimento da restituição de capital no valor de R$ 0,589441416 por ação. O
pagamento da redução de capital vai ser realizado até 31 de dezembro.

 

Day Trade: compre Sabesp (SBSP3), WEG (WEGE3) e outras ações para buscar até 2,64%

Day Trade: venda BB (BBAS3), CSN (CSNA3) e Gol (GOLL4) e outras ações para buscar até 2%

 

Dividendos: Coelce (COCE3) vai pagar R$ 24 milhões ainda em dezembro; veja a data

A Companhia Energética do Ceará Coelce (COCE3)(COCE5)(COCE6) comunica que foi aprovado o pagamento de dividendos referente ao exercício social findo em 31 de dezembro de 2022, no montante total de R$ 23.975.710,17, correspondente a R$ 0,30795219 por ação ordinária (ON), preferencial Classe A (PNA) e preferencial Classe B (PNB).

O pagamento dos dividendos vai ser efetuado no dia 20 de dezembro, e terão direito ao valor correspondente aos dividendos os acionistas que se achavam inscritos nos registros da companhia no final do dia 25 de abril.

 

Dividendos: Cury (CURY3) paga R$ 100 milhões hoje

Nesta quarta-feira, 13 de dezembro, a Cury (CURY3) distribui R$ 100.000.000,00 em dividendos, o equivalente a R$ 0,3449652297 por ação ordinária (ON) de emissão própria, excluídas as ações em tesouraria.

Terão direito aos dividendos ora declarados as pessoas inscritas como acionistas da companhia na data-base de 4 de dezembro, respeitadas as negociações realizadas até essa data, inclusive.

As ações da companhia são negociadas “ex-dividendos” desde 5 de dezembro.

O pagamento vai ser realizado em moeda corrente nacional, em uma única parcela.

Não houve atualização monetária ou incidência de juros entre a data da declaração dos dividendos e a data do seu efetivo pagamento.

 

Dividendos: Gerdau (GGBR4) paga R$ 822,2 milhões hoje

Nesta quarta-feira, 13 de dezembro, a Gerdau (GGBR4) efetua o pagamento de R$ 822,2 milhões em dividendos aos seus acionistas. O montante corresponde a R$ 0,470 por papel ordinário (ON) e preferencial (PN).

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão do dia 17 de novembro deste ano. 

 

Dividendos: Melnick (MELK3) vai pagar R$ 17,4 milhões

A Melnick (MELK3) vai pagar R$ 17.480.000,00 em dividendos intercalares, como deferido pelo conselho de administração e anunciado na última terça-feira, 12 de dezembro.

O montante corresponde a R$ 0,08622798746 por ação ordinária (ON).

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão da próxima sexta-feira, dia 15 de dezembro. As ações da companhia passarão a ser negociadas ex-direitos a partir da próxima segunda-feira, dia 18 de dezembro.

Pagamentos serão efetuados até o dia 27 de dezembro deste ano.

 

Dividendos e JCP: Cemig (CMIG4) vai pagar R$ 993,732 milhões

No dia 28 de dezembro, a Cemig (CMIG4) vai realizar o pagamento da segunda parcela de proventos.

Esses proventos referem-se:

  • - aos juros sobre o capital próprio (JCP) aprovados em 15 de junho de 2022 (data ex-direito em 27-06-2022);
  • - aos juros sobre o capital próprio (JCP) aprovados em 20 de setembro de 2022 (data ex-direito em 26-09-2022);
  • - aos juros sobre o capital próprio (JCP) aprovados em 14 de dezembro de 2022 (data ex-direito em 22-12-2022);
  • - aos juros sobre o capital próprio (JCP) aprovados em 22 de dezembro de 2022 (data ex-direito em 28-12-2022); 
  • - e aos dividendos aprovados em 27 de abril de 2023 (data ex-dividendo em 27-04-2023).

 

O valor por ação soma R$ 0,45158846866. No total, a companhia vai pagar R$ 993,732 milhões.

 

Dotz (DOTZ3) marca assembleia para votar agrupamento de ações na proporção de 10 para 1

A Dotz (DOTZ3) confirmou, na última terça-feira (12), a realização de uma assembleia geral extraordinária (AGE) no próximo dia 21 deste mês, para votar, entre outros pontos, um grupamento de ações na proporção de 10 para 1.

O anúncio teve o intuito de esclarecer um questionamento da B3 (B3SA3), quanto a quantidade de ações emitidas pela companhia e que compõem seu capital social atualmente (132.440.558 ações ordinárias).

Segundo a empresa, esse montante considera o aumento de capital da Dotz aprovado em AGE realizada em 1º de agosto de 2022, em vista o implemento (ou renúncia, conforme o caso) de determinadas condições suspensivas às quais o aumento de capital em questão estava sujeito.

O aumento de capital decorreu da incorporação, pela Dotz, de ações de emissão da Noverde, conforme fatos relevantes divulgados pela
companhia em 3 de março, 4 de abril e 1º de agosto de 2022.

Sobretudo, a proposta de grupamento tem por objetivo enquadrar a cotação das ações da Dotz em valor igual ou superior a R$ 1,00, como determina o regulamento da B3. 

 

Energisa (ENGI11): Aneel homologa revisão tarifária de EAC e ERO

A Energisa (ENGI11) informou, na última terça-feira (12), que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou a revisão tarifária periódica da Energisa Acre – Distribuidora de Energia S.A. (EAC) e Energisa Rondônia – Distribuidora de Energia S.A. (ERO), a ser aplicada a partir desta quarta-feira, 13 de dezembro.

No processo de Revisão Tarifária Periódica, que ocorre a cada cinco anos, a Aneel recalcula:

  • - (i) os custos regulatórios passíveis de gerenciamento pela distribuidora (Parcela B);
  • - (ii) os custos não gerenciáveis (Parcela A), que englobam a energia comprada, o transporte da energia e os encargos setoriais, e
  • - (iii) os ajustes financeiros da Parcela A, atualizados com base na variação de preços verificada nos doze meses anteriores.

 

GetNinjas (NINJ3): REAG lança OPA a R$ 5,00 por ação

Na última terça-feira, 12 de dezembro, a REAG Alpha Fundo de Investimento Multimercado encaminhou o edital da oferta pública voluntária de compra de ações ordinárias de emissão da GetNinjas (NINJ3).

A maior acionista da companhia - que detém 32,5% de participação acionária, acima dos 25% como o estabelecido o teto em poison pill - oferece R$ 5,00 por ação, em oferta lançada a 67,410% do capital social da companhia (34,2 milhões de ações). 

O leilão da oferta pública de aquisições (OPA) foi agendado para o dia 24 de janeiro, com liquidação prevista para a data de 31 de janeiro. 

De acordo com o site InfoMoney, a REAG pode arrecadar cerca de R$ 171,0 milhões com a operação, enquanto a GetNinjas (NINJ3) mantém um valor de mercado de R$ 255 milhões em Bolsa.

 

JCP: Ambev (ABEV3) vai pagar R$ 0,7302 por ação

A Ambev (ABEV3) vai distribuir juros sobre o capital próprio (JCP) na ordem de R$ 0,7302 por ação, com base nos saldos disponíveis, no balanço extraordinário de 30 de novembro.

A distribuição de JCP vai ser tributada na forma da legislação em vigor, o que resulta em uma distribuição líquida de R$ 0,6207 por ação, exceto para os acionistas pessoas jurídicas (PJs) que sejam imunes ou isentos.

O referido pagamento vai ser efetuado em 28 de dezembro.

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão da próxima terça-feira, 19 de dezembro, no que se refere à B3, e 26 de dezembro, no que se refere à New York Stock Exchange - NYSE, sem incidência de correção monetária.

As ações e os ADRs passarão a ser negociados ex-JCP a partir de 20 de dezembro.

 

JCP: CSU Digital (CSUD3) vai pagar R$ 7,4 milhões

A CSU Digital (CSUD3) vai pagar R$ 7,4 milhões em juros sobre o capital próprio (JCP), como deferido pelo conselho de administração e anunciado na noite da última terça-feira, 12 de dezembro.

O montante corresponde a R$ 0,179365828 por ação ordinária (ON).

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão da próxima sexta-feira, dia 15 de dezembro.

Pagamentos serão iniciados a partir de 28 de dezembro.

 

JCP: Isa CTEEP (TRPL4) vai pagar R$ 1,452 bilhão a quem mantiver ações até hoje

A Isa CTEEP (TRPL4) vai pagar R$ 1,452 bilhão em juros sobre o capital próprio (JCP), como deliberado pelo conselho de administração (CA) e anunciado na última sexta-feira, 8 de dezembro.

O valor corresponde a R$ 2,204083 por ação.

Pagamentos serão efetuados em duas parcelas: a primeira, de R$ 160 milhões, com prazo findo em 15 de janeiro de 2024; a segunda, em R$ 1,292 bilhão, com prazo findo em 10 de abril de 2024.

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão desta quarta-feira, 13 de dezembro.

 

JCP: Multiplan (MULT3) vai pagar R$ 175 milhões em dezembro; veja a data

Na próxima quarta-feira, dia 20 de dezembro, a Multiplan (MULT3) vai efetuar o pagamento de R$ 175 milhões em juros sobre o capital próprio (JCP), como aprovado pelo seu conselho de administração em 21 de dezembro de 2022.

O valor corresponde a R$ 0,2990011754 por ação ordinária (ON)

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão do dia 26 de dezembro de 2022. 

 

JCP: WEG (WEGE3) anuncia pagamento de R$ 301,8 milhões

A WEG (WEGE3) vai pagar R$ 301.810.089,28 em juros sobre o capital próprio (JCP), como deferido pelo conselho de administração e anunciado na última terça-feira, 12 de dezembro.

O montante corresponde a R$ 0,071941176 por ação ordinária (ON). Em termos líquidos, o valor a ser distribuído chega a R$ 0,061150000 por ação ordinária (ON), já deduzido o imposto de renda (IR) na fonte de 15%. 

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão da próxima sexta-feira, 15 de dezembro.

Pagamentos serão efetuados em 13 de março de 2024.

 

Magazine Luiza (MGLU3)

A Justiça do Trabalho de Limeira (SP) decidiu extinguir o processo trabalhista movido contra a Magazine Luiza (MGLU3) pelos irmãos Thiago e Leandro Ramos, fundadores do KaBuM, de acordo com o blog do colunista Lauro Jardim, no jornal O Globo.

Executivos pediram a anulação da demissão por justa causa. O juiz avalia que a relação de trabalho em questão correta do contrato de compra e venda do KaBuM e deveria ser feita em processo de arbitragem.

 

Oi (OIBR4) vai pagar R$ 906 milhões a distribuidoras elétricas

A Oi (OIBR4) recebeu, na última terça-feira (12), aval da Anatel para usar os R$ 906 milhões obtidos com a venda de torres de telefonia fixa para quitar compromissos com fornecedores da concessões do Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC). A agência emitiu uma lista contendo 96 empresas que deverão ser pagas com o montante.

Esse montante vem da venda que a operadora fez para a Highline das torres fixas. Os valores estavam retidos em conta corrente desde fevereiro.

Na época, a Superintendência de Controle de Obrigações determinou que a Oi poderia vender, mas não poderia movimentar os valores recebidos até segunda ordem da SCO por haver processo de acompanhamento dos bens reversíveis em tramitação no Tribunal de contas da União (TCU).

No entanto, o processo no TCU aguarda o fim da busca por solução consensual entre Oi e Anatel. “A reaplicação dos recursos no STFC vai ao encontro do entendimento do Tribunal, portanto, não vimos motivo para não autorizar os pagamentos”, comenta ao Tele.Síntese o superintendente Gustavo Borges.

Os valores tiveram correção monetária e devem agora ser usados para pagamento apenas de aluguel de infraestrutura e serviços relacionados à manutenção da concessão de telefonia fixa. Compromissos tomados com fornecedores para funcionamento dos demais produtos da Oi não entram no aval.

Na lista da Anatel está presente empresas de energia que cedem pontos de fixação em postes, torreiras e prestadores de serviços técnicos de manutenção e instalação, como a Serede, empresa do próprio grupo Oi.

Por isso, a Anatel determina que a apresentação dos extratos dos pagamentos até o dia 15 do mês seguinte aos pagamentos.

 

 

Petrobras (PETR3)(PETR4): FUP questiona ANP por realizar leilão sem a estatal

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) questionou, na última terça-feira (12), a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) o motivo pelo qual vai ser realizado um leilão sem a participação da Petrobras (PETR3)(PETR4).

O evento foi agendado para esta quarta-feira, 13 de dezembro, com oferta pública de 38 blocos exploratórios no Brasil.

Leia mais detalhes aqui.

 

Petrobras (PETR4) e Shell arrematam 7 blocos no setor SP-AUP3 da Bacia de Pelotas

Em leilão realizado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta quarta-feira (13), foram arrematados 8 blocos no setor SP-AUP3 da Bacia de Pelotas durante o 4º Ciclo da Oferta Permanente pelo regime de concessão.

O consórcio formado por Petrobras (PETR3; PETR4), com 70%, e Shell, com 30%, arrematou 7 blocos no setor R$ 15,9 milhões. 

O grupo formado pelo consórcio Petrobras (50%), Shell Brasil (30%) e CNOCC Petroleum (20%) arrematou o bloco P-M-1739 por R$ 2,8 milhões.

O bônus foi de R$ 18,88 milhões no total, com ágio de zero. Já o investimento previsto na área é de R$ 200 milhões, segundo informações do Estado de S.Paulo.

(Contém informações do Estado de S.Paulo)

 

Raizen (RAIZ4) anuncia mudanças nos cargos de Conselho de Administração

Nesta quarta-feira (13), os conselheiros da Raizen (RAIZ4) tomaram conhecimento da renúncia apresentada por Luis Henrique Cals de Beauclair Guimarães ao cargo de membro do Conselho de Administração (CA). 

Com o comunicado, os conselheiros decidiram aprovar a eleição de Nelson Roseira Gomes Neto para ocupar o cargo de membro efeitvo do CA a partir de 1º de janeiro de 2024. 

A empresa informou ainda que, com a realização da próxima Assembleia Geral da Companhia, Neto deverá ser eleito para completar o mandato em curso.

 

 

Sabesp (SBSP3): Moody's reitera rating corporativo AAA.br 

A agência de classificação de risco Moody’s reiterou o rating corporativo AAA.br para a Sabesp (SBSP3), com perspectiva estável.

O perfil de crédito reflete seu fluxo de caixa estável e previsível, impulsionado por uma baixa elasticidade de demanda, sua capacidade ampliada de abastecimento de água, além de forte governança corporativa.

A Sabesp (SBSP3) possui moderada alavancagem, na avaliação da agência, com métrica de dívida bruta sobre EBITDA de 2,9x em junho, e fluxo de caixa das operações (FFO) sobre dívida bruta de 27,6% no período. A cobertura de juros com EBIT era de 3,0x. 

A visão de crédito incorpora exposição à desvalorização do real, em vista que, em junho, 13,00% de sua dívida total era em moeda estrangeira.

Reflete ainda o intensivo programa de investimentos da ordem de R$ 5 bilhões por ano, que deve absorver a maior parte de sua geração de fluxo de caixa nos próximos doze a dezoito meses.

Analistas esperam que a Sabesp seja capaz de continuar a gerar fluxo de caixa operacional anual da ordem de R$ 4 bilhões, que possa manter o nível de alavancagem em torno de 3,0x nos próximos doze e dezoito meses, mesmo com o intenso programa de investimentos.

A geração de fluxo de caixa livre, contudo, principalmente em função de elevados investimentos, deve ficar negativa durante este mesmo período.

O rating poderia sofrer pressão negativa no caso de uma deterioração acentuada na liquidez da empresa ou um enfraquecimento das suas métricas de crédito, de modo que a métrica de dívida bruta sobre EBITDA fique acima de 4,0x ou FFO/dívida abaixo de 20% de forma sustentável.

Além disso, um rebaixamento poderia ocorrer caso a Moody’s Local note mudança material no ambiente regulatório, sob o qual a Sabesp opera ou de interferência política que altere o curso normal de negócios da companhia.

 

Vale (VALE3) quer ter mais 8 fábricas de briquetes até 2030

A Vale (VALE3) planeja construir mais oito fábricas de briquetes, além das duas localizadas no complexo de Tubarão, em Vitória (ES), disse Eduardo Bartolomeo, presidente da companhia, em discurso na inauguração da primeira fábrica de briquetes da mineradora, na última terça-feira (12).

Leia mais aqui.

 

Vivo (VIVT3): Vivo Ventures vai adquirir fatia na Conexa Saúde por R$ 25 milhões

A Vivo (VIVT3) informou, nesta quarta-feira (13), que o Vivo Ventures, fundo da companhia em conjunto com a Telefónica Open Innovation (Unipersonal) para investimento em Corporate Venture Capital, vai adquirir participação acionária no valor de R$ 25 milhões na Conexa Health LLC, sociedade controladora da Conexa Saúde.

Leia mais aqui.

 

Recomendações

B3 (B3SA3): gestão apresenta postura otimista para 2024 e Genial reitera compra na ação

BB Seguridade (BBSE3) sai de compra para neutra na recomendação do JPMorgan; saiba por quê

Localiza (RENT3): XP destaca visão positiva após reunião com CFO da empresa

Magazine Luiza (MGLU3): Citi destaca serviços de nuvem e recomenda compra na ação