terça, 28 de maio de 2024
Ações

Destaques corporativos: 3R (RRRP3), Americanas (AMER3), Gol (GOLL4), Iguatemi (IGTI11) e mais

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada

11 março 2024 - 16h45Por Redação SpaceMoney
GolGol - Crédito: Gol/Divulgação

Americanas (AMER3), CSN (CSNA3), Gafisa (GFSA3), Taesa (TAEE11), Ultrapar (UGPA3) e Vale (VALE3) são algumas das empresas que protagonizam o noticiário corporativo desta segunda-feira, 11 de março:

 

Empresas

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada:

 

Balanços

Confira o cronograma de balanços financeiros que serão informados nesta segunda-feira (11):

Empresas Código Data Horários
Direcional DIRR3 11 de março de 2024 Após o fechamento dos mercados
Fras-le FRAS3 11 de março de 2024 Após o fechamento dos mercados
Localiza RENT3 11 de março de 2024 Após o fechamento dos mercados
Metal Leve LEVE3 11 de março de 2024 Após o fechamento dos mercados
Natura NTCO3 11 de março de 2024 Após o fechamento dos mercados
Tegma TGMA3 11 de março de 2024 Após o fechamento dos mercados
Viveo VVEO3 11 de março de 2024 Após o fechamento dos mercados

 

Veja os últimos números:

Prio (PRIO3): EBITDA ajustado salta 296% em um ano, a US$ 462,06 milhões no quarto trimestre

A Prio (PRIO3) registrou um lucro líquido de US$ 324,2 milhões no quarto trimestre de 2023, um crescimento de 71,0% quando comparado ao mesmo período de 2022.

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), em critério ajustado, subiu 296% em um ano, para US$ 462,06 milhões. A margem EBITDA ajustada, por sua vez, alcançou 73,0% no intervalo, alta de 6,0 p.p. em um ano.

A receita líquida somou US$ 690,65 milhões entre outubro e dezembro passados, cifra 274% maior que a apurada em igual intervalo do ano anterior.

 

Informe corporativo

Banco do Brasil (BBSA3) deve lançar títulos verdes no exterior, diz jornal

O Banco do Brasil (BBSA3) prepara uma oferta de títulos de dívida no exterior com prazo de sete anos, segundo fontes informaram ao Valor Econômico.

A princípio, os títulos terão o carimbo de sustentáveis, ou seja, o banco se compromete a investir o mesmo valor da emissão para o financiamento ou refinanciamento de projetos ambientais e sociais existentes ou futuros.

Segundo a publicação do veículo, a oferta, que será feita por meio da operação do banco nas Ilhas Cayman, deve ser concluída ainda nesta segunda-feira. Os bancos que trabalham na captação são UBS, Citibank, J.P. Morgan, Santander e SMBC Nikko.

 

3R (RRRP3) e PetroReconcavo (RECV3) declaram não haver proposta de combinação de negócios

A 3R Petroleum (RRRP3) e a PetroReconcavo (RECV3) informaram, em comunicados distintos, que não existe proposta de combinação de negócios entre as companhias.

As posições visam esclarecer a informação de que uma fusão depende de um acordo sobre a relação de troca dos papéis das duas companhias. A proposta da 3R, de acordo com o jornal Valor Econômico, era de que sua participação acionária na nova empresa resultante da fusão seja de 50%

A PetroReconcavo declarou que não existe, portanto, qualquer acordo sobre prazos, condições, estrutura e tampouco relação de troca ou data-limite para eventual transação.

A 3R Petroleum, por sua vez, relembrou que ambas assinaram um Acordo de Confidencialidade (NDA), com a finalidade de compartilharem documentos técnicos para avaliação dos ativos que compõem os portfólios e documentos corporativos para due diligence.

E ainda, suportada pelo seu assessor financeiro e pelos seus times internos, declarou estar em fase de due diligence e avaliação técnica dos portfólios, processo este ainda em curso.

A 3R declarou que, atualmente, emprega os melhores esforços para concluir o processo de due diligence e avaliação técnica de forma célere e diligente, em total alinhamento à sua estrutura de governança corporativa.

 

Alliança Saúde (AALR3) anuncia destituições de Remi Kaiber e Gustavo Campana

O conselho de administração da Alliança Saúde (AALR3) deliberou implementar alterações em sua administração, na esteira da substituição do diretor-presidente.

Neste sentido, foram aprovadas, nesta sexta-feira (8), as destituições de Remi Kaiber, diretor financeiro (CFO) e de relações com investidores (RI), e Gustavo Campana, diretor médico.

O cargo de diretor médico passa a ser exercido por Ricardo Sartim, de forma não estatutária.

Por sua vez, o cargo de diretor de relações com investidores passa a ser temporariamente cumulado por José Ramos, diretor jurídico e de compliance.

O cargo de diretor financeiro passa a ficar temporariamente vago, até a eleição do seu substituto pelo conselho de administração, bem como a companhia passa a ter sua diretoria composta por dois membros até a eleição do diretor financeiro.

 

B3 (B3SA3) migra negociação secundária de Crédito de Descarbonização para a nuvem

A B3 (B3SA3) passa a negociar Crédito de Descarbonização (CBIO), no mercado secundário, por meio da plataforma Trademate, nesta segunda-feira (11).

Leia mais aqui.

 

Casas Bahia (BHIA3) muda data de divulgação dos resultados financeiros de 2023; veja quando vai ser

O Grupo Casas Bahia (BHIA3) informou que a divulgação dos seus resultados financeiras de 2023 foi adiada. Agora, a companhia vai apresentar os dados no dia 25 de março. Anteriormente, o balanço estava previsto para a próxima quarta-feira, 13 de março.

 

EcoRodovias (ECOR3) tem aumento de 34,4% no tráfego de veículos em fevereiro

 

Embraer (EMBR3): Brandes reduz participação acionária

Desde a última quinta-feira (7), a Brandes Investment Partners L.P. reduziu a participação detida por seus clientes na Embraer (EMBR3).

Na qualidade de gestora de investimentos discricionária, passou a deter 110.820.429 ações, o equivalente a 14,970% do total emitido pela companhia.

 

Espaçolaser (ESPA3) realiza resgate antecipado facultativo de debêntures de 2ª emissão

Na última quinta-feira (7), a Espaçolaser (ESPA3) realizou o resgate antecipado facultativo da totalidade das debêntures em circulação emitidas no âmbito da 2ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, com garantias adicionais real e fidejussória, em série única da companhia, com o consequente cancelamento de tais debêntures.

Leia mais aqui.

 

Gafisa (GFSA3): Esh Capital eleva participação a mais de 20%

Fundos geridos por Esh Capital passaram a deter a totalidade de 13.861.921 ações ordinárias (ON) de Gafisa (GFSA3), correspondente a 20,00634% do capital social da companhia.

A aquisição visa alterar a estrutura administrativa da companhia.

 

Iguatemi (IGTI11) concluiu aquisição de fatia de 10% no I Fashion Outlet Novo Hamburgo

A Iguatemi (IGTI11) concluiu a aquisição de participação adicional de 10,00% no I Fashion Outlet Novo Hamburgo. A transação elevou a participação da companhia na propriedade para 51,00%.

A transação foi submetida ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e aprovada na última terça-feira, 5 de março.

O valor da aquisição foi de R$ 24,5 milhões, que serão pagos em três parcelas corrigidas à inflação (IPCA), da seguinte forma:

  • - i) 60% na data de quinta-feira, 7 de março;
  • - ii) 20% em 180 dias e;
  • - iii) 20% em 360 dias. 

 

O valor pago, pela primeira parcela, atualizado à inflação foi de R$ 14,8 milhões.

 

O que acontece na política: a arbitragem de Lula sobre a Petrobras (PETR3)(PETR4)

A disputa interna da Petrobras em torno do pagamento dos dividendos extraordinários aos acionistas foi arbitrada pelo próprio presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), depois de duas reuniões no Palácio do Planalto com a presença de ministros, diretores e membros do conselho de administração da estatal, revelou a colunista Malu Gaspar em seu blog, no jornal O Globo.

De acordo com a jornalista, o CEO da estatal, Jean Paul Prates, defendia a proposta da diretoria de distribuir aos acionistas 50% dos recursos que sobraram livres no caixa após o pagamento dos dividendos regulares – R$ 43,90 bilhões.

Já o grupo de Alexandre Silveira (PSD-MG), ministro de Minas e Energia (MME), defendia segurar todo esse dinheiro em um fundo de reservas. Por ter a maioria das ações da petroleira, o governo detém seis dos onze membros do conselho de administração.

Os demais representam os acionistas minoritários e os funcionários.

“Nessa reunião, Prates disse que não pagar o extra poderia derrubar o valor de mercado da companhia e sustentou que não havia risco financeiro em fazer os pagamentos. Já Silveira dizia que, de acordo com um estudo técnico, a distribuição afetaria a capacidade da empresa de se financiar para fazer frente ao plano de investimentos de US$ 102 bilhões”, detalhou Gaspar.

Leia mais aqui.

 

Petrobras (PETR3)(PETR4) avalia comprar ativos de hidrogênio verde da Unigel, diz colunista

A direção da Petrobras (PETR3)(PETR4) estuda a compra dos ativos da Unigel na área de hidrogênio verde, apurou o colunista do O Globo, Lauro Jardim.

No ano passado, a Unigel anunciou que investia R$ 1,5 bilhão na produção do insumo (basicamente em eletrolisadores) na Bahia, mas tudo parou por causa das dificuldades financeiras da empresa, que recentemente pediu recuperação extrajudicial.

O conselho de administração tem a informação de que o negócio estaria acertado, escreveu o jornalista. A estatal, no entanto, diz que faz “diversas análises sobre projetos futuros, inclusive em hidrogênio verde”, mas que “não há qualquer decisão” tomada.

As informações são do O Globo.

 

Petrobras (PETR3)(PETR4) nega que Prates se absteve em votação sobre dividendos

Em relação à matéria “Prates se abstém em votação sobre dividendos da Petrobras e culpa ministros de Lula”, do jornal O Globo, a Petrobras (PETR3)(PETR4) afirmou  que não são verdadeiras as informações publicadas pelo periódico nesta sexta-feira (8).

A estatal informou que não procede a informação de que o presidente Jean Paul Prates tenha fornecido qualquer tipo de explicação aos acionistas minoritários da companhia sobre sua opção de voto na reunião de colegiado da última quinta-feira (7).

A companhia refutou a insinuação de que o presidente e o diretor Financeiro (CFO) e de Relacionamento com Investidores (RI), Sérgio Caetano Leite, tenham feito um “acordo com investidores” para pagamento de dividendos extraordinários.

A Petrobras destaca também ser inverídica a informação que o presidente Jean Paul Prates tenha colocado o cargo à disposição em função da questão ou de qualquer outro tema.

Como amplamente informado em comunicado ao mercado, o conselho de administração (CA) autorizou o encaminhamento à assembleia-geral ordinária (AGO) da proposta de distribuição de dividendos equivalentes a R$ 14,2 bilhões.

O lucro remanescente do exercício, após os dividendos e formação de reservas legais e estatutária, totaliza R$ 43,90 bilhões.

O colegiado propôs que esse montante seja integralmente destinado para a reserva de remuneração do capital, com a finalidade de assegurar recursos para o pagamento de dividendos, juros sobre o capital próprio, suas antecipações e recompras de ações.

 

LEIA MAIS: Petrobras (PETR3)(PETR4) pode pagar até 15% de DY sobre 2024, diz BTG Pactual

 

Prio (PRIO3) detinha reservas de 559,0 milhões de barris em janeiro de 2024

A Prio (PRIO3) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral uma nova certificação de reservas, elaborada por D&M.

De acordo com o relatório, a companhia possuía reservas provadas de petróleo de 559,0 milhões de barris, com data de referência em 1 de janeiro de 2024.

No campo Frade, as reservas provadas foram revisadas mediante a consideração da perfomance de polos produtores abertos em 2023.

A certificação de 2024 também prevê três novos poços produtores, MUP3B, ODP6 e Maracanã.

As informações são da agência Reuters.

 

LEIA MAIS: Prio (PRIO3): saiba como fica a recomendação do BTG, após balanço do 4T vir abaixo das expectativas

 

Rumo (RAIL3) cresce 8% nos volumes transportados em fevereiro e atinge 6 bi de toneladas

A Rumo (RAIL3) transportou 6,08 bilhões de toneladas por quilômetro útil (TKU) em fevereiro, alta de 8% na comparação anual e de 27,4% sobre os volumes transportados em janeiro.

Leia mais aqui.

 

Sabesp (SBPS3): Tarcísio decide reduzir para 30% a participação do governo na companhia

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, bateu o martelo no leilão de privatização da Sabesp (SBPS3), que será realizado em meados do ano, o percentual do governo na empresa cairá dos atuais 50,3% para 30%, apurou o colunista do O Globo, Lauro Jardim.

A companhia foi privatizada no segundo semestre do ano passado, após grande resistência de frentes políticas.

As informações são do Lauro Jardim, no jornal O Globo.

 

Vale (VALE3) convoca AGO e AGE para discutir mudanças no conselho e incorporação de subsidiária

Vale (VALE3) convocou assembleias-gerais ordinária e extraordinária (AGO-AGE) para o dia 26 de abril.

Leia mais aqui.

 

Vale (VALE3) decide manter Eduardo Bartolomeo como CEO até o fim de 2024

Em comum acordo com seu CEO, Eduardo Bartolomeo, o conselho de administração da Vale (VALE3) definiu pela extensão de seu atual mandato até o dia 31 de dezembro de 2024, bem como pela abertura do processo de sucessão, em linha com a Política de Sucessão de Presidente.

Definiu-se também que Eduardo Bartolomeo vai apoiar a transição para a nova liderança no início de 2025 e que vai atuar como advisor da mineradora até 31 de dezembro de 2025.

“Seguirei empenhado em avançar nas prioridades estratégicas da companhia até o fim do meu mandato e em garantir uma transição bem-sucedida para a nova liderança. Ao longo desses cinco anos, implementamos uma transformação profunda na companhia, a reorganização dos negócios e o foco na alocação de capital e na geração de valor para os nossos acionistas e para a sociedade. Sigo extremamente otimista em relação ao futuro da Vale”, afirma Bartolomeo.

A definição do novo presidente deve considerar os atributos e perfil necessários para a posição frente a estratégia e desafios futuros da companhia. 

 

Vibra (VBBR3): Dynamo altera participação

Fundos geridos discricionariamente por Dynamo alteraram sua participação na Vibra (VBBR3) a 111.467.800 ações ordinárias (ON) de emissão da companhia.

Os veículos passaram a deter instrumentos derivativos de liquidação física correspondentes a 4.500.000 ações ordinárias (ON), representativas de 9,95% do capital da companhia.

A distribuidora informou, adicionalmente, que tais veículos são detentores, ainda, de exposição econômica vendida por meio de instrumentos derivativos de liquidação física equivalente a 9.000.000 ações ordinárias da companhia.

 

Vulcabras (VULC3): Guepardo Investimentos reduz participação acionária

Fundos geridos pela Guepardo Investimentos passaram a deter, em conjunto, 26.931.700 ações ordinárias da Vulcabras (VULC3), representativas de 9,86% do capital social da mesma, em função da venda de 403.300 ações ao preço médio de R$ 20,07 na data desta sexta-feira (8).

Na mesma carta, a Guepardo Investimentos Ltda. informa que a participação ora informada não tem por escopo aquisição do controle, não busca alterar sua administração, composição de controle ou o regular funcionamento e tem por escopo meramente investimento.

 

Proventos

Dividendos: Vale (VALE3) vai pagar R$ 11,70 bilhões a quem mantiver ações até hoje (11)

A Vale (VALE3) vai realizar a distribuição de dividendos no valor total bruto de R$ 2,738617408 por ação, apurados conforme o balanço de 31 de dezembro passado - cerca de R$ 11,70 bilhões, como anunciado no dia 22 de fevereiro.

O valor distribuído se alinha à Política de Remuneração aos Acionistas.

A data de corte para pagamento dos dividendos aos detentores de ações de emissão da Vale negociadas na B3 foi definida para esta segunda-feira, dia 11 de março, com pagamento a ocorrer em 19 de março.

A record date para pagamento dos dividendos aos detentores de American Depositary Receipts (ADRs) negociados na New York Stock Exchange (NYSE) vai ser o dia 13 de março, com pagamento a partir de 26 de março por meio do agente depositário dos ADRs, Citibank N.A.

As ações da Vale serão negociadas ex-dividendo na B3 e na NYSE a partir de 12 de março.

O valor de dividendos a ser pago por ação pode sofrer pequena variação até as datas de corte em decorrência do programa de recompra de ações, que impacta o número de ações em tesouraria.

Se for o caso, a companhia vai fazer um novo Aviso aos Acionistas com informações sobre o valor final por ação.

 

JCP: Banco do Brasil (BBAS3) vai pagar R$ 1,170 bilhão a quem mantiver ações até hoje (11)

O conselho de administração do Banco do Brasil - BB (BBAS3) aprovou a distribuição de R$ 1.170.153.000,00 a título de remuneração antecipada aos acionistas na forma de juros sobre o capital próprio (JCP) relativos ao primeiro trimestre de 2024, como informou a companhia no dia 23 de fevereiro.

O valor dos JCPs por ação equivale a R$ 0,4100367328.

Créditos serão pagos em 27 de março de 2024 e farão jus à distribuição investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão desta segunda-feira, dia 11 de março de 2024.

 

Dividendos: JHSF (JHSF3) paga R$ 20,8 milhões nesta segunda-feira (11)

Nesta segunda-feira, dia 11 de março, a JHSF (JHSF3) efetua o pagamento da segunda parcela de R$ 20,8 milhões em dividendos aos seus acionistas.

Os créditos compõem os proventos de R$ 250 milhões anunciados em dezembro pela companhia. O montante vai ser distribuído ao longo do ano de 2024, em doze parcelas.

O valor por ação (R$/ação) a ser pago pode sofrer alteração devido ao programa de recompra de ações vigente, além dos exercícios dos planos de opção de ação da companhia, que alteram o número atual de ações com direito a dividendos.

Em caso de mudança, a companhia vai manter o mercado devidamente informado.

Os acionistas terão seus créditos disponíveis de acordo com seus dados bancários cadastrados em sua corretora (para ações custodiadas em Bolsa) ou, no caso de ações não custodiadas em Bolsa, conforme os respectivos dados bancários fornecidos ao banco escriturador da companhia.

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão do dia 29 de fevereiro de 2024.

Veja a tabela aqui.

 

Dividendos: Iochpe-Maxion (MYPK3) ajusta valor por ação, do total de R$ 13,134 milhões

Em vista do programa de recompra de ações em curso e consequente alteração do número de ações de emissão da companhia mantidas em tesouraria, a Iochpe-Maxion (MYPK3) alterou o valor por ação do dividendo obrigatório aprovado na reunião do conselho de administração da companhia, em 6 de março de 2024, a R$ 0,0875178 por ação.

O montante total do dividendo obrigatório, assim como a data de corte que identifica os acionistas que farão jus ao dividendos, a data na qual as ações passarão a negociar “ex-dividendos” e a data de pagamento do dividendo indicados no aviso aos acionistas de 6 de março de 2024 mantêm-se inalterados.

A data de corte foi definida para esta segunda-feira, 11 de março. As ações passarão a ser negociadas “ex-dividendos” a partir de 12 de março. 

O pagamento dos dividendos vai ser realizado em 2 de abril de 2024. 

 

Trade

DAY TRADE: 10 ações para comprar e vender nesta segunda-feira (11)

Nesta segunda-feira (11), a Ágora Investimentos recomendou a compra das ações de Alupar (ALUP11), Cosan (CSAN3) e Hapvida (HAPV3) para ganhos de até 1,46% em operações de day trade.

Para venda, o PagBank recomendou os papéis de Alpargatas (ALPA4) e CSN Mineração (CMIN3). Analistas gráficos estimam um ganho potencial de 2% com a operação.