sexta, 19 de abril de 2024
Ações

Destaques corporativos (2): JHSF (JHSF3), Marisa (AMAR3), Sequoia (SEQL3) e Vale (VALE3)

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada

02 abril 2024 - 16h27Por Redação SpaceMoney

Cemig (CMIG4), JHSF (JHSF3), Marisa (AMAR3), Sequoia (SEQL3) e Vale (VALE3são algumas das empresas que protagonizam o noticiário corporativo desta terça-feira, 2 de abril:

 

Empresas

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada:

 

Balanços

Marisa (AMAR3) adia divulgação dos resultados financeiros de 2023 novamente

A Marisa (AMAR3) adiou a divulgação dos resultados de 2023 marcada para esta segunda-feira (1º) para o dia 30 de abril, antes da realização de assembleia-geral ordinária (AGO).

De acordo com a varejista, sua administração envida melhores esforços para disponibilização das informações remanescentes aos seus auditores de forma a divulgar suas demonstrações financeiras auditadas com a maior brevidade possível.

 

Informe corporativo

Petrobras (PETR4) reduz preço do querosene de aviação em 1,5%, segundo Prates

A Petrobras (PETR4) reduziu na segunda-feira (1°) os preços do querosene de aviação (QAV) em 1,5%, segundo uma publicação do presidente da companhia, Jean Paul Prates, em seu perfil no X, antigo Twitter.

Prates informou que um dos fatores que possibilitou a redução foi a cotação do barril de petróleo. “Em relação a dezembro de 2022, o preço do QAV está hoje 22,8% menor, cerca de R$ 1,16 por litro a menos”, afirmou.

 

 

Ultrapar (UGPA3): BBA eleva preço-alvo da ação, mas mantém recomendação neutra

O Itaú BBA elevou o preço-alvo para as ações da Ultrapar (UGPA3) para R$ 31,00 (de R$ 29,00 anteriormente). No entanto, o banco ajustou a recomendação para 'neutra', tendo em vista que o upside do ativo é limitado, em cerca de 11%.

Desde que o banco iniciou a cobertura dos papéis, em fevereiro de 2023, as ações já subiram 126%, confirmando a visão construtiva sobre a empresa e as suas atividades e o bom momento do setor de distribuição de combustíveis.

 

Aura Minerals (AURA33) consegue compensar perdas em 2023, diz XP

 

Azevedo & Travessos (AZEV4) contrata Renato Darros Matos para diretoria estatutária

Executivo vai atuar como diretor de Exploração & Produção da subsidiária Azevedo & Travassos Petróleo.

 

Americanas (AMER3) soma US$ 669,2 mi com título de dívidas e anuncia oferta para compra de notas

Tender Offer foi iniciada na última segunda-feira (1) e foi prevista para ser encerrada em 26 de abril.

 

Enauta (ENAT3) envia proposta de fusão para 3R Petroleum (RRRP3), que encerra negociações com PetroReconcavo (RECV3)

O conselho de administração deliberou que os esforços internos para possível fusão entre a companhia e a PetroReconcavo (RECV3) fossem momentaneamente suspensos.

 

Cielo (CIEL3): acionistas minoritários oferecem apoio a OPA, caso preço por ação seja elevado

Grupo ainda pediu suspensão da assembleia-geral especial que acontece nesta terça-feira (2), mas companhia recusou o pedido.

 

Vale (VALE3) informa nomes indicados ao conselho fiscal

O acionista Geração L. Par e Outros indicou os nomes de Heloísa Belotti Bedicks e Raphael Manhães Martins a membros titulares do conselho fiscal da Vale (VALE3).

Aos cargos de membros suplentes, indicou os nomes de Adriana de Andrade Solé e  Jandaraci Ferreira de Araújo.

Os nomes vão à eleição na próxima assembleia-geral ordinária (AGO), no dia 26 de abril de 2024.

 

Vivara (VIVA3) conclui abertura de 8 lojas Life em março

A Vivara (VIVA3) encerrou o mês de março com 406 operações. No período, oito lojas Life foram concluídas.

As unidades estão localizadas em Curitiba (PR) - duas -, Umuaruama (PR), Itajaí (SC), Juiz de Fora (MG), Mogui Guaçu (SP), Ananindeua (PA) e Franca (SP), uma adição de 622,40 metros quadrados de área de venda

Do total de operações em curso, duzentas e seiscentas e uma lojas são Vivara, cento e trinta e uma lojas são Life e quatorze quiosques.

 

Sequoia (SEQL3) propõe grupamento de ações na proporção 20:1

O conselho de administração da Sequoia (SEQLL3) aprovou, entre outros temas, a submissão de proposta de grupamento da totalidade das 389.648.916 ações ordinárias (ON) de emissão da Companhia, na razão de 20 (vinte) ações ordinárias para formar 1 (uma) nova ação ordinária (20:1), todas nominativas, escriturais e sem valor nominal, sem alteração no valor do capital social da companhia, para deliberação em assembleia-geral ordinária e extraordinária (AGOE), a realizar-se em 29 de abril de 2024.

A empresa visa enquadrar a cotação das ações em valor igual ou superior a R$ 1,00, como determinam as regras da B3. 

 

JHSF (JHSF3) recebe proposta de R$ 443,0 milhões pela compra de participação em shoppings

A JHSF (JHSF3) recebeu uma carta de intenções vinculante datada de 28 de março de 2024, por meio da qual o proponente manifesta sua intenção de adquirir participações minoritárias em determinados empreendimentos de shoppings centers detidos pela companhia e suas subsidiárias, predominantemente Shoppings Bela Vista e Ponta Negra e, também, Expansão 3 do Catarina Fashion Outlet e Shops Faria Lima, cujo valor total da transação soma, aproximandamente, R$ 443,0 milhões.

A companhia prossegue  na condução das tratativas, e a conclusão da transação proposta está sujeita às condições usuais de operações desta natureza, como a realização de due diligence, a elaboração e assinatura de contratos definitivos, bem como a obtenção das devidas aprovações societárias e legais, entre outras.

 

BB Seguridade (BBSE3) indica novo nome para cargo de Diretor Comercial, Marketing e Clientes

A BB Seguridade (BBSE3) indicou Allan Trancoso Ferraz Silva foi indicado para ocupar o cargo de diretor comercial, marketing e clientes, em substituição a Marcelo Lopes Lourenço. 

Funcionário de carreira na instituição por vinte e três anos, Ferraz Silva ocupou cargos de destaque como superintendente varejo centro-oeste (atual), superintendente estadual no Ceará, entre outros. 

O processo encontra-se em trâmite nas instâncias competentes de governança, com vistas à eleição do executivo pelo conselho de administração.

 

Santos Brasil (STBP3): S&P reafirma rating brAAA, com perspectiva estável

A Santos Brasil (STBP3), em cumprimento à regulamentação vigente, informou que a Standard & Poor’s - S&P Global Ratings (S&P) reafirmou o rating de crédito corporativo ‘brAAA’ atribuído à companhia, nível mais alto da Escala Nacional Brasil, com perspectiva “estável”.

De acordo com o relatório da S&P, o rating de crédito reafirmado se deu, principalmente pela expectativa de maior geração de caixa, considerado o posicionamento do Tecon Santos no cenário competitivo do Porto de Santos, fruto dos investimentos realizados e programados, além de reajustes contratuais com clientes e perspectivas operacionais positivas para 2024.

Adicionalmente, destaca que, apesar do robusto plano de investimentos nos ativos, a geração de caixa vai permitir a continuidade do pagamento de proventos em patamares saudáveis de alavancagem.

Por fim, a S&P afirma que “a perspectiva estável do nosso rating de crédito corporativo da Santos Brasil para os próximos 12 meses incorpora nossa visão de que a empresa vai ser capaz de sustentar margens operacionais mais elevadas, em linha com as apresentadas em 2023, apesar dos maiores investimentos no Tecon Santos, e manter a dívida líquida ajustada sobre EBITDA em torno de 0,10x-0,70x e o FFO sobre dívida líquida ajustada próximo de 47,00% no período. Além disso, vemos que sua posição de caixa de R$ 367 milhões no fim de 2023 garante uma folga para absorver eventuais adversidades”.

O relatório completo da S&P encontra-se disponível no site de Relações com Investidores (RI): https://ri.santosbrasil.com.br.

 

RNI (RDNI3) aliena ações de subsidiária para Gvinc por R$ 66 milhões

O conselho de administração da RNI (RDNI3) foi aprovada a celebração de um contrato para alienar quotas sociais de Rodobens Urbanismo LTDA na RNI Incorporadora Imobiliária, ambas subsidiárias, para a empresa Gvinc Participações e Gestão de Ativos Imobiliários, parte relacionada, que consta como interveniente garantidora do negócio, a Rodobens Participações S.A..

A operação representa a continuidade das ações necessárias dentro da reestruturação estratégica e organizacional, com o principal objetivo de monetizar ativos não estratégicos e simplificar nossas operações.

Isso fortalece a estratégia da empresa no desenvolvimento de produtos para o programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV).

A operação vai gerar um valor de R$ 66.000.000,00 (sessenta e seis milhões de reais) para a companhia, e o recebimento do montante vai se dar nos termos do contrato, celebrado entre as partes, bem como nos termos informados.

Por fim, a administração destaca que esse negócio integra a série de medidas necessárias para simplificar as operações, gerar caixa e reduzir a alavancagem, sempre pela preservação dos interesses de seus acionistas, especialmente os minoritários, e, por fim, fortalece sua expertise no setor.

 

Cemig (CMIG4) inicia processo para transferência onerosa de PCH e UHEs

A Cemig (CMIG4) e a subsidiária integral Cemig GT publicaram o edital para realização de leilão público presencial, a ser conduzido pela B3, com objeto à Transferência Onerosa do Direito de Exploração dos Serviços de Geração de Energia Elétrica de uma PCH da Cemig GT e tr^^es UHEs de suas subsidiárias integrais: Cemig Geração Leste S.A., Cemig Geração Oeste S.A. e Cemig Geração Sul S.A..

O valor mínimo para o lote único das usinas soma R$ 29,10 milhões, com previsão para realização do leilão em 3 de julho de 2024, conforme cronograma do documento.

A presente alienação visa atender às diretrizes do planejamento estratégico da Cemig, que preconiza a otimização do portfólio de ativos, buscando melhorar a eficiência operacional e a melhor alocação de capital.

 

Vibra (VBBR3) elege novo vice-presidente executivo de Comercial B2B

O conselho de administração de Vibra (VBBR3) decidiu pela substituição do atual vice-presidente executivo de Comercial B2B, Bernardo Kos Winik, e elegeu Juliano Junqueira de Andrade Prado para o cargo, com prazo de gestão de dois anos.

Prado graduou-se em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com MBA executivo pela COPPEAD. Possui formação complementar em importantes escolas de negócios como London Business School, Wharton, Harvard e IMD.

Foi vice-presidente global na Gerdau (GGBR4) entre 2020 e 2023, e, ao longo de sua carreira, atuou em diversos países nas empresas Shell, Raízen (RAIZ4) e Cosan (CSAN3), na liderança de áreas como marketing, comercial, planejamento, operações, estratégia, M&A e transformação digital.

Foi diretor-executivo da Raízen (RAIZ4), e coordenou toda a operação agroindustrial com vinte e seis plantas industriais, CEO da startup Payly e diretor-executivo da holding Cosan (CSAN3). 

 

Dexco (DXCO3) aprova incorporação de subsidiária de revestimentos cerâmicos

Em assembleia-geral extraordinária (AGE), acionistas de Dexco (DXCO3) aprovaram nesta segunda-feira (1) a incorporação de sua subsidiária integral Dexco Revestimentos Cerâmicos.

De acordo com a companhia, a operação visa simplificar e tornar mais eficiente a estrutura societária do grupo e da companhia.

Pelo fato de a Dexco RC ser subsidiária integral, essa incorporação não implica alteração do capital social, emissão de novas ações, como também, não vai haver diluição dos acionistas.

 

Movida (MOVI3) avalia emissão de debêntures no mercado internacional

A Movida (MOVI3) informou nesta segunda-feira (1) que avalia a viabilidade da realização de uma emissão de títulos de dívida no mercado internacional como parte de sua estratégia de gestão de passivos financeiros.

A empresa informou que pretende utilizar os recursos a serem captados por meio da operação para o pré-pagamento de dívidas locais e fins corporativos gerais, como investimentos em capex.

A potencial operação tem como objetivo o alongamento de prazo e redução do custo médio das dívidas da Movida, bem como a diversificação de suas fontes de captação.

Caso esta operação seja concluída, a Movida projeta ter uma posição de caixa e uma estrutura de capital ainda mais saudáveis.

 

Proventos

JCP: Lojas Renner (LREN3) paga R$ 143,6 milhões nesta terça-feira (2)

O conselho de administração de Lojas Renner (LREN3) aprovou o pagamento do valor bruto de R$ 143.695.290,28 em juros sobre o capital próprio (JCP), o equivalente a R$ 0,150290 por ação ordinária (ON).

Pagamentos serão efetuados nesta terça-feira, 2 de abril, sem atualização monetária.

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão do dia 19 de março.

 

Dividendos: Iochpe-Maxion (MYPK3) paga R$ 13,134 milhões nesta terça-feira (2)

Em vista do programa de recompra de ações em curso e consequente alteração do número de ações de emissão da companhia mantidas em tesouraria, a Iochpe-Maxion (MYPK3) alterou o valor por ação do dividendo obrigatório aprovado na reunião do conselho de administração da companhia, em 6 de março de 2024, a R$ 0,0875178 por ação.

O montante total do dividendo obrigatório, assim como a data de corte que identifica os acionistas que farão jus ao dividendos, a data na qual as ações passarão a negociar “ex-dividendos” e a data de pagamento do dividendo indicados no aviso aos acionistas de 6 de março de 2024 mantêm-se inalterados.

A data de corte foi definida para o dia 11 de março. As ações são negociadas “ex-dividendos” desde o dia 12 de março. 

O pagamento dos dividendos vai ser realizado nesta segunda-feira, 2 de abril. 

 

Dividendos intermediários: Comgás (CGAS3) vai pagar a acionistas que estiverem em posição hoje (2)

O conselho de administração de Comgás (CGAS3)(CGAS5)(CGAS6) aprovou a proposta para pagamento de dividendos intermediários no valor total de R$ 1.479.630.843,62, para pagamento em 11 de abril de 2024. 

R$ 1.135.110.988,54 serão pagos às ações ordinárias, no valor de R$ 10,928949905680 por ação, e R$ 344.519.855,08 serão pagos às ações preferenciais, no valor de R$ 12,021844896248 por ação, ambas integrantes do capital social integralizado.

Dividendos serão pagos com base na composição acionária desta terça-feira, 2 de abril, inclusive.

O pagamento dos dividendos vai ser realizado em 11 de abril de 2024, sem remuneração ou atualização monetária de qualquer natureza.

 

JCP: Armac (ARML3) vai pagar R$ 24 milhões a quem mantiver ações até hoje (2)

O conselho de administração de Armac (ARML3) aprovou a proposta de declaração de juros sobre o capital próprio (JCP) no montante bruto de R$ 24.000.000,00, equivalentes a R$ 0,0694369916 por ação, excluídas as ações em tesouraria.

Os referidos JSCP terão como base de cálculo a posição acionária desta terça-feira, 2 de abril, considerado um total de 345.637.094 ações de emissão da companhia, desconsideradas as ações em tesouraria.

A partir da próxima quarta-feira, 3 de abril, as ações da companhia serão negociadas ex-direitos.

O pagamento vai ser efetuado no dia 19 de abril de 2024.

 

JCP: Localiza (RENT3) inaltera valor por ação, do total de R$ 407,0 milhões

Em vista não ter havido alienação de ações em tesouraria para atender ao exercício de opções relativas aos Planos de Opção de Compra de Ações e-ou por aquisição de ações dentro do Plano de Recompra de Ações da Companhia após a reunião do conselho de administração realizada em 26 de março de 2024, permanece inalterado o valor por ação dos juros sobre o capital próprio aprovados na referida reunião em R$ 0,383547112.

O montante dos juros sobre capital próprio aprovado pelo conselho de administração foi de R$ 407.093.448,54 e o pagamento vai ocorrer no dia 23 de maio de 2024, na proporção da participação de cada acionista, com retenção do imposto de renda (IR) na fonte, exceto para os acionistas que já sejam comprovadamente imunes ou isentos.

Farão jus ao pagamento os acionistas constantes da posição acionária da companhia em 1º de abril. As ações, a partir de amanhã, 2 de abril de 2024, serão negociadas na Bolsa de Valores “ex” esses JCP.

 

JCP: OdontoPrev (ODPV3) ajusta valor por ação

Nesta segunda-feira (1), a OdontoPrev (ODPV3) ajustou o valor por ação dos juros sobre o capital (JCP) anunciados na última quarta-feira, 27 de março, em função da aquisição de 1.854.600 ações desde a última data, dentro do programa de recompra de ações da companhia em vigor. 

O valor passou de R$ 0,0412293030 para R$ 0,0413681660 por ação. 

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão desta segunda-feira, 1° de abril. 

A data do pagamento foi programada para o dia 21 de agosto de 2024.